domingo, setembro 04, 2005

Hellas

Estou num evento cientifico europeu, na Grecia.

Com apoio da industria farmaceutica, confesso.

Mas com inscricoes a 700 euros, qual o medico portugues que se pode deslocar individualmente pagando do seu ordenado a inscricao, a viagem e a estadia?

26 comentários:

Mário de Sá Peliteiro disse...

Quer dizer então que os profissionais de outras áreas nunca podem ir a eventos científicos internacionais?

Anónimo disse...

O médico a quem paguei 90 Euros por 26 min de trabalho (dele), pagaria isso e mto mais, na boa. Não acha?
Sousa Leite

Medico Explica disse...

Infelizmente outros profissionais normais tambem nao podem. Podem os donos das farmacias, ou os baroes da medidicina, mas farmaceuticos que nao sejam patroes, como julgo que e' dr Peliteiro, nao podem. Embora saiba que alguns farmaceuticos tambem vao com o apoio da industria, desde cosmeticos a farmacos. E sabe amigo Peliteiro, estive no Templo do Asclepius (corrija me se esta mal escrito), Deus das terapeuticas.

Medico Explica disse...

Sr Sousa Leite; se pagou foi porque quis, o SNS vai funcionando, mesmo assim. Se os 90 euros estao ou nao correctos, o senhor e; que sabera; e nesse caso pode protestar para as estruturas respecticas. Por outro lado, sem duvida que ha medicos que poderao pagar. Quem tiver uma boa privada, muitas vezes auxiliada pelos orgaos da comunicacao social, pode.

Ana disse...

Se a classe médica não pode pagar esse valor, significa que a maior parte dos profissionais não pode ir a qualquer tipo de reunião científica....

Mário de Sá Peliteiro disse...

Veja se aparece mais por aqui. Nada como uma boa discussão para animar a blogosfera.

Já agora, leia no JAMA como a formação médica via www tem igual valor à efectuada nas ilhas Gregas: http://jama.ama-assn.org/cgi/content/abstract/294/9/1043

Está bom tempo por aí? Recomendo um passeio solitário de "laser".

Anónimo disse...

Caro Dr.

Eu nao paguei porque quis, paguei porque nao tinha alternativa.
Quanto ao funcionamento do SNS concordo consigo, vai funcionando, mas acrescentaria, funcionando como um carro velho que só pega de empurrão e a cada passo vai abaixo.

Corre na net, por mail, uma descricao desse funcionamento. Vale o que vale, mas eu ja a recebi de tres origens diferentes o que, quanto a mim, ilustra a satisfacao dos utentes com o dito SNS. Dispenso-me de transcrever os comentarios que correm com o referido e-mail.

Assunto: FW: Sistema Nacional de Saúde


Permitam-me que lhes transcreva, de forma sintetica, um artigo que li no Boletim Informativo do Clube de Campismo do Concelho de Almada, datado de Junho de 2005, da autoria de José Chitô.

Consta do seguinte:

Este senhor acordou um dia com um problema no olho direito. Pareceu-lhe grave. Deslocou-se ao Hospital Garcia de Orta, em Almada (16 Abril 2005).

Diagnóstico: deslocamento de retina. Só poderá recuperar com operação.

Segundo a opinião do oftalmologista a situação é grave e urgente. Mas a lista de espera é muito grande: talve 6 meses a um ano.

O nosso amigo fica abismado, pois uma situação destas requer internamento imediato.

Qual a solução que veio da boca do médico?

A existência de um bom especialista em Setúbal, que ele próprio conhecia. Lá vai o homem à consulta do referido especialista que lhe confirma o diagnóstico: tem que ser operado.

- Eu levo 3.000 euros por operar, mais 3.000 para a clínica e assistentes.

TOTAL: 6.000 euros (1.200 contos).

Por esta consulta desembolsou 60 euros.

Por achar este orçamento brutal, resolve marcar consulta para uma clínica em Badajoz. Devido à urgência do caso, marcam-lha para o dia seguinte.

É atendido meia hora depois de ter chegado. Confirmam-lhe o diagnóstico.

O especialista diz não haver tempo a perder, não tem datas livres, por isso vai ter de adiar operações menos urgentes para poder encaixar a dele.

Volta passados 10 minutos, com a data da operação: AMANHÃ ás 17 horas.

São 1.200 euros (240 contos). Custo da consulta: 35 euros.

A operação foi um êxito! Nos 30 dias seguintes e sempre que se deslocou à Clínica, não pagou mais nada.


Sousa Leite

Medico Explica disse...

Para a Ana: é verdade, a maior parte dos profissionais médicos, no estrangeiro não pode ir a congressos e curso. Infelizmente, muitos desses cursos e congressos já são uma própria indústria...

Medico Explica disse...

Para Mário Peleteiro: o congresso não foi nas ilhas gregas, foi em Atenas. Por acaso não conheço as ilhas gregas, nem, ainda, fiz algum cruzeiro pelas ditas cujas e o dr peliteiro?

Medico Explica disse...

Sr Sousa Leite: esse mail que por aí corre (e acho de mau gosto colocá-lo aqui pois ocupa muito espaço) e já recebi vários, contem algumas incorreções que mostram duas coisas: a iliteracia dos portugueses, pois não é DESLOCAMENTO, mas sim descolamento da retina, e mostra que os portugueses preferem mandar umas bocas e não fazer queixa a ser verdade. E se fosse verdade já uma TV teria pegado no assunto... Contudo não deixa de ser um escândalo do nosso SNS, a ESTOMATOLOGIA e OFTALMOLOGIA NÃO SERVIREM OS INTERESSES DOS CIDADÃOS PARA COISAS SIMPLES: ERROS DE REFRACÇÃO E CARIES DENTÁRIAS. Já viu algum jornalista pegar nisso?

maxine disse...

You must be joking!

SusanaV disse...

Bom.. com os preços que sao cobrados por consulta.. quer.-me parecer que practicamente todos os medicos poderiam pagar isso e mto mais!!!!
Olhe eu nao.. que 700euros e quase todo o meu ordenado! e ainda tenho de pagar 70euros para consulta no pediatra todos os meses, e mais de 90 se tiver de ir a um medico da especialidade e nao quiser morrer antes de me ser diagnosticado qualquer problema...
Desculpe.. isto nao e contra si... mas infelizmente os medicos habituaram-nos a levarem-nos o dinheirinho todo.. pois sabem que precisamos. Olhando racionalmente.. nao lhe parece a si tambem que é um roubo os 70eur por consulta??? E olhe que ha mais caroo... o medico da minha mae, levava-lhe 110eur por consulta.. para depoisn nem sequer ter conseguido diagnosticar-lhe um cancro a tempo de ser tratado....

Anónimo disse...

Eu penso que o que li é um gozo para a maioria do povo portugês.
Inscrições a 700 euros, só se incluir serviço de acompanhante!!!

Isto é o resultado de um dia de " trabalho" no consultório, se forem atendidos 10 doentes numa tardita...

Portugal, andou a navegar à deriva e agora foi ao fundo!!!

A corporação médica superprotegeu-se ( 19 Valores para entrar )e agora, médicos não há, os que há muitos estão velhos... enfim ficamos reféns de toda esta porcaria...

Toda a gente viu e calou!!!

Anónimo disse...

Nunca ninguém da OM disse que queria alunos com média superior a 19 valores (já agora, tenho a impressão que esse valor nunca chegou a se atingido). Simplesmente, quase tds os alunos da área científica no secundário querem ir para medicina, havendo uma enorme competição pelos lugares. Assim, só entram os que têm melhores notas.

Já agora, existem muitos médicos que trabalham exclusivamente no SNS. Para esses, os 700 euros de inscrição são uma grande parcela do ordenado.
Considerando tds as outras profissões que existem, quais são aquelas em que, ao fim de 6 anos de estudo universitário (precedidas de uns quantos em que tiveram de ser os melhores entre os melhores para entrarem)e os anos de especialidade, 700 euros são uma parcela considerável do ordenado? Todos querem fazer pela sua vida. Os médicos não são mais nem menos do que ninguém.

Anónimo disse...

Uma questão interessantíssima para os sociólogos estudarem é que são estas mesmas pessoas que alimentam a medicina privada (é giro, eu dizer "Fui ao Professor X", "fui ao Director do Serviço X) que depois a criticam pelos preço excessivos. Para quem não sabe, as consultas no SNS são gratuitas, os internamentos também. Só vai à privada quem quer e quem podem. E muitos não teriam necessidade de lá ir...

monica disse...

700 euros de inscrição é uma pesacdinha de rabo na boca: só são cobrados porque se sabe que será a indústria farmacêutica a pagá-los. é uma outra forma de obter patrocínio para os congressos.

convenhamos no entanto: não é nos congressos que se faz formação eficaz embora quase todos alinhem nesta farsa.

não há pachorra para este discurso de vítima: coitadinho de mim que se quero progredir cientificamente tenho de recorrer à indústria farmacêutica.

Anónimo disse...

Caro colega,

pela forma pouco articulada da sua argumentação e pelo uso pobre que lhe vejo da lingua portuguesa, não creio que tenha no seu currículo 19 valores de nota de acesso. Mais, para aviso dos leitores: os autores médicos de blogs (portugueses) são uma amostra fraquinha da profissão. Felismente nos hospitais encontra-se melhor em qualquer esquina. Desculpe a sinceridade.

Medico Explica disse...

Exactamente caro colega, não tenho 19 valores, mas 14 valores como média final de curso.

E sabe, pela boca morre o peixe:

não se escreve felismente, mas sim felizmente.
E não creio que tenha sido um erro de teclado...

Anónimo disse...

Caro colega

a expressão "nota final de curso" costuma significar neste contexto "nota final da licenciatura"( em Medicina no seu caso). Ora a nota de acesso na escala de 0 a 20, de que falava, só pode significar "nota de acesso ao ensino superior". É essa que é utilizada para caracterizar em termos escolares a população que envereda pela Medicina e a que faz sentido no contexto da discussão.

Não perceber isso à primeira não é seguramente erro de teclado.

Já presumir que a troca, num teclado QWERTY, de "z" por "s" por parte de um crítico seu, não só o caracteriza em termos argumentativos como em termos éticos.

Uma vez mais - a pobreza que se vê nos Blogs médicos portugueses não é amostra da população médica que encontro nos hospitais.

Desculpe a sinceridade.

Lerei a sua resposta, a haver, mas não alimentarei mais a discussão, pois isso implicaria ter de ler o seu Blog.

Anónimo disse...

Correção de post (a fonte cor que não saiu é substituída por maiúsculas)

Já presumir que a troca, num teclado QWERTY, de "z" por "s" por parte de um crítico seu, "NÃO FOI ERRO DE TECLADO" não só o caracteriza em termos argumentativos como em termos éticos.

Anónimo disse...

Aposto que MEM vai dizer que " aposto que não foi gralha" correção em vez de correcção. But ... think twice.

Medico Explica disse...

Caro Colega

No meu tempo não havia "nota de acesso" entendida como hoje. Fiz o velhinho exame de aptidão a Medicina e entrei com mérito. Quanto à qualidade dos blogs, concordo consigo e inclusivamente com a sua apreciação sobre este. Já não é o que era! No início dedicava-me a escrever activamente. Agora, após algumas tentativas falhadas para desistir, escrever é quase uma obrigação... Pois como sabe a vida de médico tem poucos momentos de lazer “absoluto” …

E sempre disse neste blog que não era intelectual…

(Nota: esta resposta será também publicada como post.)

Anónimo disse...

O colega crítico, anónimo, como convém a quem não quer deixar dúvidas acerca do seu nível (coisa que tanto critica, o "nível" disto e o "nível" daquilo), devia deixar o link do seu blog, ou então pistas da sua intervenção pública para o esclarecimento da saciedade que MEMI faz como poucos (apesar de outros blogs médicos que, pasme-se, não me parecem também eles terem assim tão pouco "nível").

Mas o "nível" depende muito do apreciador. E o que escreve estas linhas não é um inominado nivelado por cima, pelos vistos. Assina por baixo e reconhece o mérito a quem faz aquilo que não tenho o tempo nem a paciência de fazer.

O que só prova que o "nível" deve ser inversamente proporcional à vergonha na cara.

Alfredo Vieira

Raúl R Boldão disse...

Voltando atrás no assunto, porque será que em Espanha o preço da cirurgia oftalmológica foi bastante mais baixo? Porque tal como em qualquer mercado regular, a medicina rege-se pela lei da oferta/procura, ou seja, em Espanha há tantos médicos que os preços tornam-se concorrenciais. A corporação médica trata de manter o rácio de uma forma "vantajosa"!!

Quanto aos 700 euros, a indústria farmacêutica, muitas vezes tem um fundo monetário para gastar em formação profissional, pelo que este tipo de eventos são óptimos, pois pode ser que os dr's prescrevam mais qualquer coisinha!!

Salários médicos. Para consultar os salários poderá fazé-lo em www.simedicos.pt! O salário-base, não é de todo grande "coisa", mas as ditas exclusividades, horas de banco e outras tropelias malucas, fazem a "conta" crescer consideravelmente! Chegam a ganhar mais em suplementos do que salário-base!

Quanto aos preços das consultas privadas serem elevados... às vezes uma cirurgia pode custar, digamos 5000 euros com recibo ou 3000 euros sem recibo (mero exemplo)! Bom, mas este tipo de situações até já é do senso comum!

As médias elevadas de acesso a medicina. Bom, aí niguém estabelece uma nota de entrada. A nota que costuma ser de referência é a o valor da média do último aluno a ser colocado. Como as vagas são poucas, as médias tendem a ser elevadas. O que preocupa, é o ensino secundário e os "métodos acrobáticos" de fazer crescer a média. Os externatos e colégios privados são autênticos peritos nessa arte.

De facto, o SNS está empobrecido e "mal oleado", por culpa dos médicos (não digo todos, por há excepções, espero que aqui o dr. do blog o seja), pois não cumprem horários, transferem doentes do privado para o público e vice-versa! Um rol sem fim de "cenas maradas"! Era bom, descentralizar o poder médico e dividi-lo com os enfermeiros por exemplo, esses sim, competentes e cumpridores, pelo que vejo nos hospitais. São uma classe muita experiente, com conhecimentos, humanos, inteligente e não consumem dinheiro inútil ao SNS. A ex-ministra da saúde Leonor Beleza, bem sabia o valor dos enfermeiros, mas os médicos rapidamente trataram de a correr do ministério! Mas também não digo que seja todos bonzinhos, mas ao menos valem o dinheiro que levam... deviam levar muito mais!!!

Anónimo disse...

O Sr. Raúl Boldão, confirma-se, é bem português, no que isso tem de caricatural.

Os "médicos" (sentido lato, com excepções, claro...) são os culpados dos males do SNS.
Médias altas de entrada nas universidades? Falta de vocação, ou sistema de ensino secundário que dá as melhores notas aos piores alunos, ou sistemas privados que "boicotam" a coisa.
Salários-base baixos? Ganham "rios" de dinheiro em "bancos" (que não devem ser trabalho extraordinário, ou que no mínimo consistem em trabalho menor e descansado) e "exclusividade" (como se esta fosse opcional e não por concurso...).
Os médicos ganham também imenso na "privada", e devem ser todos cirurgiões para ganharem 3000 vs 5000 euros (que, obviamente, vão parar direitinho ao bolso dele, não sendo repartidos por custos de material, anestesista, enfermeiros, instrumentista, etc...). Mas isso não interessa nada, até porque os enfermeiros são "bons" ao contrário dos médicos que são "maus", e por serem "maus" e não terem gostado (?) da Leonor Beleza, esta é também obviamente "boa", etc, etc, etc....
Pelo meio uma ou outra coisa que até se aproveitaria (indústria e promiscuidades, etc...), mas exposta a pobreza de raciocínio básico e definitivamente enquinado por preconceitos diversos, nem vale a pena comentar.

Alfredo Vieira

Anónimo disse...

Com referência ao último post:
"enquinado" ou "inquinado"?
Enfim... certo(s) sr(s). dr(s). sempre prontos a puxar de galonas de notas de fim de secundário e fim de curso, de curricula, etc., parece que só não entra(m) com 20 para Medicina, por causa da disciplina de Português... E, já agora a desculpa do teclado QWERTY já não pega: o "e" de "enquinado" tem muitas teclas a separá-lo do "i" de "inquinado".