segunda-feira, abril 23, 2007

As Carótidas Do Público.

O jornal Público tão preocupado com os diplomas do nosso primeiro, tem que começar a exigir diplomas de cultura geral aos seus jornalistas.

O senhor Hugo Daniel Sousa afirma:

"Eusébio tem placas de ateromas nas carótidas, patologia designada como aterosclerose ou, nos casos em que afecta artérias, também conhecida como arteriosclerose."

Saberá o senhor Hugo o que é uma carótida? Mas se "carótida" for artéria, então o Eusébio terá arterioesclerose e não aterosclerose, de acordo com a explicação do senhor jornalista.

Confuso.

7 comentários:

DR disse...

Saberá o autor deste blog de medicina? Parece-me que não, pois acabou de dar a calinada do século!

Medico Explica disse...

caro sr dr (dêerre) não percebe que a calinada é do senhor jornalista. A minha afirmação é feita para ilustrar a calinada do jornal.

naoseiquenome usar disse...

O "ShÔ" DR, acaso nãonão será antes Engenheito à moda da Independente???

Placebo disse...

MEMI desta vez descurou as explicações aos intelectuais....

Ateroma, e ateromatose, neste caso carotídea (uma artéria), é uma doença exclusivamente arterial.

A ateromatose das diversas artérias deve a doença aterosclerótica, ou aterosclerose.

A tal favorecida pelos conhecidos factores de risco: tabagismo, hipercolesterolemia, diabetes, HTA, sedentarismo, sexo masculino, antecedentes familiares, etc....

E esqueçam lá a "arterioclerose".

Medico Explica disse...

Será que ninguém percebe o sentido da minha frase? A minha afirmação, errada e sarcástica é feita de acordo com a explicação do jornalista!

ni disse...

o que mostra que se os jornalistas não sabem de medicina - não são médicos -, os médicos não sabem escrever ou ler, o que até é suposto terem aprendido a fazer.

MJP disse...

Eu percebi. É que a carótida é uma artéria! logo isso de se chamar x mas quando é numa artéria se chamar y é estupidez porque se estava a referir a um problema numa artéria e não num vaso qualquer.
Claro que não tenho preconceito contra os médicos porque sofrem a mesma avaliação que eu que sou professora. E quando não percebo pergunto não afirmo incapacidades dos outros.