quinta-feira, junho 15, 2006

A Feira, O Circo, A Banha-da-Cobra

Há de tudo.

Diagnosticar, prescrever, produzir e vender.

Tudo em família.

Seriedade? Será que a "banha-da-cobra" também não dá resposta a isto: "Aqui, entre muitos outros, podem ser resolvidos problemas de tiróide, próstata, problemas mamários, pólipos, alzheimer, asma e bronquite, refere Dulce Santos."

Ah, faltam as hemorroidas e as varizes.


"MEDICINA NATURAL - Clínica Rituais abriu na Figueira da Foz

A Clínica Rituais foi recentemente inaugurada na Figueira da Foz. Uma aposta no bem-estar dos clientes, promovendo um acompanhamento personalizado, cuidado e natural.

A Clínica Rituais funciona no número 3 da Travessa do Morim, junto ao Centro de Emprego. Vocacionada para todo o tipo de tratamentos de medicina natural, os seus utentes podem usufruir de todo o tipo de tratamentos com produtos naturais e à base de água, “fiáveis, rigorosos e seguros”, o que lhes confere a “certeza de bons resultados”.

Segunda Dulce Santos, a proprietária do espaço, “a Clínica Rituais” está bem preparada e tem nos seus colaboradores bons profissionais, além de estar equipada com as tecnologias mais avançadas para todo o tipo de patologias.

A técnica referiu que na clínica serão administrados “tratamentos únicos, rigorosos e sérios”, contribuindo para tal, a tecnologia única e exclusiva, existente, ao serviço do bem-estar dos clientes. Aqui, entre muitos outros, podem ser resolvidos problemas de tiróide, próstata, problemas mamários, pólipos, alzheimer, asma e bronquite, refere Dulce Santos.

Os utentes tem ao seu dispor, das 09H00 às 20H00, sem interrupções para almoço e, de segunda a sexta-feira, consultas de Naturopatia, Reflexologia, Iridologia, Hipnoterapia, Homeopatia e Shiatsu.

Dulce Santos trabalha em parceria com Clara Esteves (profissional com experiência de 15 anos em internamento e IPO), sendo que ambas estagiaram com Fernando Figueiredo (conhecido, de entre outros, do programa televisivo “Hora Viva”).

António Barreiro é o responsável pelo shiatsu e pelo reiki e José Amsellem Santos pela Hipnoterapia. Os utentes encontram no espaço muitos dos produtos prescritos, sendo os mesmos, na sua maioria, exclusivos na zona centro e produzidos segundo receita de Fernando Figueiredo."

Uma notícia (??!!) no jornal As Beiras.

68 comentários:

ABS disse...

Banha de cobra clássica, meu caro MEMI. Seria interessante saber quais as contrapartidas para o jornalista por este "advertorial". Este texto publicitário travestido de notícia apresenta vários tiques clássicos de pseudociência para cativar os incautos.
Uma nota adicional - efectivamente está a linha de produção completa num só local. Agora, os leitores deste blog que adivinhem qual é a única profissão que (e muito bem, saliente-se) não pode ser proprietária de farmácias segundo a nova lei da liberalização.
Diz-se que a medicina convencional é arrogante. Somos contudo os únicos que, em permanência, poem em dúvida a sua própria prática. Questionamo-la incessantemente. É assim que a medicina avança - através da dúvida metódica (ou método científico, como lhe quisermos chamar - isto dava um post inteiro). A pseudociência da banha de cobra, assente na fé, nunca tem dúvidas. Só certezas. "Milenares". "Confirmadas por cientistas" (nunca identificados, ou de locais obscuros no Papalaguiquistão).
A luta contra a opressão do obscurantismo, dos medos milenares e da aldrabice travestida de ciência continua.

Anónimo disse...

De facto, "isto", desenquadrado de uma página publicitária, é absurdo e inexplicável enquanto "notícia".

Haja paciência, para se ir andando e rindo, bem sei que à custa das misérias de quem não se consegue defender destas palhaçadas jornalísticas....

AV

joaquim disse...

Não percebo a admiração que isto suscita quando hoje tinha na caixa do correio um prospecto, (com boletim de inscrição) para umas "Jornadas de Medicina do Futebol" organizadas pela Comissão das Comemorações do Centenário do Sporting Club de Portugal. Os Médicos vendem-se aos interesses da cambada que injecta o futebol no Povo e depois querem consideração deese mesmo povo?
Reparem: da Comissão de Honra dessas pseudo jornadas ciêntificas fazem parte 11 Prof. Doutores, 2 Prof (seja lá o que isto fôr), o Presidente do Colégio da Especialidade de Medicina Desportiva da Ordem dos Médicos e o Presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Desportiva. Dos Convidados constam 11 Drs. (convidados para quê?). E ainda há convidados institucionais. Isto é do Sporting, podia ser do Benfica, do Porto, do Braga, desta, daquele ou daquloutro, não é isso que interessa. O que interessa para mim é que há Professores Universitários, Médicos (pagos pelo erário
público), Que se vendem ao lobi do futebol. E ainda por cima, se confrontados com esta realidade, advogarão que isto é ciência. Quantos Médicos terão dispensa de serviço no dia 29.Jun.2006 (uma 5ª feira) para irem prestar vassalagem aos Senhores do Futebol? Que dirão a isto a Ordem dosa Médicos e o Ministério da Saúde? Com actitudes destas de Médicos Professores Universitários nenhuma outra actitude de aldrabões como esses da Figueira me espantam.

joaquim disse...

Não percebo a admiração que isto suscita quando hoje tinha na caixa do correio um prospecto, (com boletim de inscrição) para umas "Jornadas de Medicina do Futebol" organizadas pela Comissão das Comemorações do Centenário do Sporting Club de Portugal. Os Médicos vendem-se aos interesses da cambada que injecta o futebol no Povo e depois querem consideração desse mesmo povo?
Reparem: da Comissão de Honra dessas pseudo jornadas científicas fazem parte 11 Prof. Doutores, 2 Prof. (seja lá o que isto fôr), o Presidente do Colégio da Especialidade de Medicina Desportiva da Ordem dos Médicos e o Presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Desportiva. Dos Convidados constam 11 Drs. (convidados para quê?). E ainda há convidados institucionais. Isto é do Sporting, podia ser do Benfica, do Porto, do Braga, desta, daquele ou daqueloutro, não é isso que interessa. O que interessa para mim é que há Professores Universitários, Médicos (pagos pelo erário
público), que se vendem ao lobi do futebol. E ainda por cima, se confrontados com esta realidade, advogarão que isto é ciência. Quantos Médicos terão dispensa de serviço no dia 29.Jun.2006 (uma 5ª feira) para irem prestar vassalagem aos Senhores do Futebol e passarem um dia bem passado, comendo e bebendo, sem terem de se "chatear" a aturar doentes, mas continuando a receber o vencimento? Que dirão a isto a Ordem dos Médicos e o Ministério da Saúde? Com actitudes destas de Médicos Professores Universitários nenhuma outra actitude de aldrabões como esses da Figueira me espanta.

naoseiquenome usar disse...

Caro Joaquim:
isso é apenas um dia e por cá...
e quantos vão, sabe deus onde, a congressos de medicina desportiva, sem nunca trem posto ou se vislumbre que venham a pôr, a vista em cima de um desportista? :)

rui disse...

Para todos:
É muito conveniente essa "Clínica" ser ao lado de um Centro de Emprego, não? O que não se consegue alguém desesperado...
Para o abs:
Permita-me só acrescentar, que pelo menos mais um profissional, o enfermeiro, também não pode ser titular de uma farmácia.
Para o joaquim:
Caso não saiba, a Medicina Desportiva, também é Medicina, com médicos (e outros profissionais) com carreiras brilhantes neste ramo e com trabalhos académicos tão válidos como os de qualquer outra especialidade. Acha que deveriam desenvolver a sua actividade gratuitamente? Ou acha que os atletas não adoecem e se lesionam e que, portanto, não necessitam de cuidados de saúde? Talvez o Deco tivesse jogado contra Angola se lhe tivessem prescrito a Banha da Cobra...
Cumprimentos a todos.

Anónimo disse...

Misturaram-se alhos com bugalhos.

Obviamente que é vergonhoso, e vergonhosamente há demasiados anos, o estado de coisas quanto à ida de médicos a congressos que nunca seriam acreditados, ou a apresentações da treta como pretexto para turismo. Já para não falar nos casos de polícia, esses em muito menor número, parece-me.

Obviamente que esse estado de coisas tem que acabar, e a OM nunca foi enérgica nesse sentido.

O que é bem diferente do patrocício pela indústria farmacêutica da ida de médicos em formação a congressos realmente importantes (que são, relativamente aos existentes, muito poucos), ou até de comunicações, mas que escusam de ser no estrangeiro tem duração de meia hora.
E, claro, de cursos.
Tudo acreditado devidamente por uma entidade independente.

Para se deixar de uma vez por todas de ver este triste panorama de ver colegas em turismo a pretexto de "ciência", e para que os outros, que de facto se deslocam pela ciência, não fiquem maculados na sua atitude por meia dúzia de desavergonhados e por esta condescendência geral (dos médicos) com este estado de coisas. E aão muito mais que meia dúzia, admitamos.

Nesse ponto, alguma razão do lado dos comentadores supra. Mas não deixa de não ter relação alguma com o post.....

AV

joaquim disse...

Caro Rui
Por favor, faça-me a justiça de acreditar que eu sei bem o que é a Medicina Desportiva. Eu póprio por lá andei. Com dedicação e muito gosto. Porque motivo me terão enviado o Boletim de Inscrição? Mas, julgo que talvez não tivesse entendido o que quis dizer no meu comentário. Serei pois, mais directo. Acho que Medicina Desportiva é Medicina voltada para os praticantes de desporto (naquilo que se relaciona com essa prática e não com as patologias comuns não relacionadas com ela). Assim sendo a subserviência aos interesses das entidades empregadoras por parte dos Médicos é que me revolta. Não são os interesses dos Clubes que os Médicos têm de defender, são os dos atletas (sejam amadores ou profissionais). O que infelizmente nem sempre se vê. Por isso, estas Jornadas me "cheiram a esturro". Que credibilidade ciêntifica se poderá vislumbrar numas Jornadas Médicas organizadas por um Clube de futebol?

Anónimo disse...

?????

Rui disse...

Caro Joaquim
De facto fiquei mais elucidado com este seu último comentário e contenta-me saber que, ao contrário do que pensei, valoriza a Medicina Desportiva, conhecendo-a mesmo enquanto praticante. Aceite o meu pedido de desculpa pela má interpretação.
Com os melhores cumprimentos,
Rui

naoseiquenome usar disse...

Era uma vez, há uns anos, um médico que tinha um irmão químico, em Moçambique, cuja mãe padecia de cancro.
O primeiro era científicamente brilhante.
O segundo detinha então uma parte do conhecimento de uma qualquer fórmula destinada ao combate da doença que afligia a sua mãe.
Essa parte era apenas uma parte da fórmula encontrada pelo Laborátório para o qual trabalhava e que estava sob segredo, óbviamente...
Na altura havia um curandeiro que exigia que exigia aos seus "pacientes" que lhe garantissem que nunca tinham sido intervencionados e que passariam um mês na palhota.
Estes dois filhos, repudiaram tal hiopótese com veemência.
A mãe de ambos faleceu pouco depois.
Alguns "pacientes" do curandeiro que obedeceram às contingências daquele, conhecidos de ambos com os mesmos problemas continuavam vivos.

O médico conclui que quer se queira quer não quase todos os químicos têm na essência plantas, produtos naturais.
O químico conclui apenas que os interesses comerciais eram muito mais fortes que as ptretensas investigações tendentes à cura.

Descobriram que muito do que aquele curandeiro fazia era suportado em conhecimentos transmitidos de forma oral,de geração em geração, logo não escritos nem passíveis de comprovação científica.

Mas sobretudo descobriram que o que interessa é a seriedade e que naquele caso não havia intermediários na "cura".

Anónimo disse...

NSQNU

Não se preocupe por aí além com os interesses comerciais nesse campo das farmacêuticas.
Porque os interesses comerciais passam por querer a cura (por motivos de lucro) e o bem estar. Ou seja, estão de mãos dadas com o interesse dos doentes.
Com a vantagem do interesse dos doentes estarem, nos dias que correm, altamente protegidos dos interesses comerciais (vide o que sucedeu com o Vioxx) por diversas entidades que regulam esta actividade científica (revistas científicas independentes, organismos estatais dos medicamentos, milhares de indivíduos em várias profissões - médicos, químicos, farmacêuticos, matemáticos - que estão em rede na partilha do conhecimento e das suas nuances nesta era de informação e comunicação fácil), múltiplos sistemas de notificação e controlo de efeito (benéficos e secundários).
O doente tem, chamemos-lhe assim, uma bela rede, montada para a sua protecção de desonestidades que são duramente punidas, e por isso inibidas.

Mas claro, isto só se estivermos a falar dos interesses comerciais das farmacêuticas, e da Medicina científica que ela serve.

Pois os interesses comerciais dos charlatães já gozam de outra impunidade.
Por isso cuidado, ou então depois não se queixe....

Não perguntou ao velho da palhota se nunca morreu lá ninguém também? A palhota resulta sempre? O velho da palhota é psiquiatricamente inocente? Ou seja, é credível?

É que nos hospitais, e na Medicina científica, a taxa de insucesso, numa certa perspectiva, é de 100%. Os doentes acabam mesmo todos por morrer. Um dia.

AV

naoseiquenome usar disse...

AV:
:)
Só para dizer que gostei da resposta.
Trata-se apenas de memórias de infância guardadas na gaveta da melhor memória, mas certamente já um pouco fantasiadas, daí que começe com : "Era uma vez".
E que só posso concordar com a conclusão final, pois pelo menos enquanto não se descobrir o tão desejado exlir, que nos tornaria tão imortais quanto infelizes, mais tarde ou mais cedo, morremos todos.
Depois, alguns, pela obra, perduram mais que outros na memória dos vindouros.
(esta conversa é de ser domingo à tarde :) )

Anónimo disse...

NSQNU

E será que nos interessa, a memória dos vindouros...?

AV, num desafio metafísico... ;)

Medico Explica disse...

R. Castro: Não insulto ninguém em minha casa. Todos são bem-vindos. Mas quando me atacam, como o senhor ao chamar-me corporativista, ficam relevadas as boas maneiras... Em relação ao problema das compressas, já disse que a NSQNU já me esclareceu que, na ausência de definição do conteúdo funcional da enfermeira, a responsabilidade será do chefe da equipe, que ainda é o cirurgião-. No futuro não sei. Talvez um enfermeiro, e digo isto com o humor (só a NQSNU compreende o meu humor, porque será?) pois a enfermegem tem evoluido muito e ainda bem, mas em termos de responsabiliade profissional, pouco se tem avançado...

naoseiquenome usar disse...

Claro que nos interessa!
Nós também somos vindouros em relação aos que já se foram.
Interessa para o conhecimento não só científico stricto sensu, mas comportamental, nem sempre balizado por métodos ou técnicas.
Interessa desde logo no âmbito das relações familiares e interessa também nas outras ainda que anónimas, nas projecções futuras. Ou não somos nós resultado, em cada dia, de tudo isto?
Interessa sim, digo eu...aliás, por enquanto é a única forma de atingir a imortalidade!
(que filosóficos estamos por aqui. :) é melhor chamar o autor do blog para "racionalizar" :) )

estudante de naturopatia disse...

Os charlatães continuarão a proliferar à margem da medicina oficial, enquanto as medicinas naturais, não ortodoxas, paralelas complementares, como quiserem, não ocuparem, o lugar que lhes pertence. Gostaria que não se confundisse bruxos e curandeiros com Naturopatia, Homeopatia, Fitoterapia, Acupuntura ou Osteopatia.

O direito de escolha é um direito humano fundamental e está consignado na Constituição da República Portuguesa. O direito à existência das terapias diferentes e o direito de cada um - paciente, doente, consumidor, beneficiário, contribuinte, eleitor - gastar da botica em que tenha mais fé, é ÓBVIO, e só os senhores doutores é que ainda não o conseguiram meter nas vossas cabecinhas.

Deveriam era estar a perguntar-se porque é que as pessoas fogem para a bruxa e para o curandeiro... será que elas não encontram resposta na grande e circunspecta ciência?!
À falta de resultados é lá que o consumidor se refugia, acreditem ou não, a maioria vem directamente dos vossos consultórios...

É tão fácil julgar o charlatanismo popular, e esquecer o outro charlatanismo que se rotula «científico»...

Desculpem parecer um pouco agressiva, mas pensava até vos conhecer, que as medicinas naturais já não comiam criancinhas ao pequeno almoço, ou será que ainda comem?

Anónimo disse...

"Os charlatães continuarão a proliferar à margem da medicina oficial, enquanto as medicinas naturais, não ortodoxas, paralelas complementares, como quiserem, não ocuparem, o lugar que lhes pertence. Gostaria que não se confundisse bruxos e curandeiros com Naturopatia, Homeopatia, Fitoterapia, Acupuntura ou Osteopatia."

- São tudo coisas diferentes, de facto. Que têm em comum a carência de evidência científica de eficácia (exceptuando algumas, em algumas - poucas - indicações específicas). Ou eficácia demonstrada, semelhante ao placebo.

"O direito de escolha é um direito humano fundamental e está consignado na Constituição da República Portuguesa. O direito à existência das terapias diferentes e o direito de cada um - paciente, doente, consumidor, beneficiário, contribuinte, eleitor - gastar da botica em que tenha mais fé, é ÓBVIO, e só os senhores doutores é que ainda não o conseguiram meter nas vossas cabecinhas."

-Não vi ninguém a contestar essa evidência, Sra. Estudante de naturopatia. Apenas julgo que, assim como o euromilhões é um imposto indirecto sobre quem não é bom em matemática, o mesmo se aplica a essas pseudo-ciências, que punem quem não percebe muito de ciência (pelo menos dos seus fundamentos). Claro que com a perversidade de muita gente ir aí buscar, movidos pelo desespero, respostas que vocês não poderão dar (além do tal "efeito placebo", que não menosprezo e pode efectivamente fazer alguma diferença para quem não tem respostas a um problema que o aflige).

"Deveriam era estar a perguntar-se porque é que as pessoas fogem para a bruxa e para o curandeiro... será que elas não encontram resposta na grande e circunspecta ciência?!
À falta de resultados é lá que o consumidor se refugia, acreditem ou não, a maioria vem directamente dos vossos consultórios... "

-É a tal história dos 100% de insucesso da Medicina científica (eu diria Medicina tout court, mas levaria a confusões se calhar). E acredito que muitos se desloquem a S.Exas. por de facto não haver resposta a dar num sem número de situações. Acontece que as respostas, vindas de trás de uma bata branca, requerem o mínimo de fundamento (o contrário seria deontologicamente reprovável), de evidência científica. Ou, em português que se perceba, não basta conversa da treta para animar a malta.
Claro que cada vez menos o efeito placebo, que veria na pessoa do médico um intermediário privilegiado, é usado com a eficácia que seria desejável (perversidades da produtividade, que todos exigem). E é pena, uma lacuna à qual não vejo resposta nos tempos futuros.
Para mim, é aí que reside o espaço, o filão das "Medicinas" alternativas. Ou de um amigo, ou de um médico com tempo, ou de uma associação de doentes, ou de uma seita religiosa....

"É tão fácil julgar o charlatanismo popular, e esquecer o outro charlatanismo que se rotula «científico»..."

-Essa é deveras psicadélica.... Steven Colbert tem umas tiradas giras sobre esse tipo de raciocínio.
Afinal, o que é ciência senão meros "factos", "realidade", "coisas concretas".... E de que valem contra um coração bem intencionado(?dou essa de barato...)? ou "coisas que ninguém sabe bem para que servem"?

Em 2 pontos resumo, na minha perspectiva, a pertinência das medicinas alternativas:

1) Efeito placebo;
2) Quando funciona. Só que aí passa a chamar-se Medicina Científica.

Um ponto e meio, afinal....

AV

estudante de naturopatia disse...

Caro AV só lhe peço que afaste o olhar do umbigo e perceba que "essa" Medicina Natural que pensa conhecer assenta nas mesmas bases que a medicina que defende. Em qualquer escola de Naturopatia de qualquer país civilizado, fisiologia, anatomia, semiologia, biologia, microbilogia, fazem parte da formação do naturopata.
Gostaria de lhe dar a conhecer alguns pensamentos do Dr. Indíveri Colucci que já no início do século passado se batia contra esse tipo de ignorância.

«É corrente, numa grande percentagem da população, quer entre médicos quer entre pessoas cultas, haver conceitos errados sobre Medicina Natural. De que são práticas espiritistas, tudo com uma base não científica.

«É uma ignorância que já não se justifica, principalmente entre os médicos. Se a Medicina Natural já foi empirista, hoje não é.»

«A Medicina Natural assenta em bases que a Medicina Oficial utiliza, reconhece e valoriza. A começar na Dietética, especialização dentro da própria Medicina.

«Uma outra base comum são os agentes físicos, especialidade também reconhecida pela Medicina Oficial.»

«A que vem a acusação de empirismo? A não ser que a Medicina Oficial também seja um nadinha empirista...»

«A Medicina Natural não pode substituir a Medicina de Urgência. Medicina de Urgência tem uma função, Medicina Natural tem outra. Ambas indispensáveis.»

«Enquanto a Alopatia se dedica ao sintoma, sem nunca se preocupar com a causa das doenças, guia-se sempre pela ideia de tratar a doença e não o doente, nós tratamos o doente e não a doença, preocupamo-nos sempre com as causas.»

«A forma como a Alopatia trata é justamente a causa fundamental do aumento considerável dos doentes crónicos.

«Todo o doente que vem aqui ao Instituto é (com raras excepções) doente crónico. Uma história de 15, 20 anos com medicação química até um estado de miséria.»

«O mérito do nosso tratamento é que excluímos rigorosamente toda e qualquer medicação química. Nunca receitei um simples purgante. Aos próprios produtos dietéticos industrializados não damos importância, porque nos alimentos naturais encontramos tudo o que precisamos.»

«Se esta terapêutica natural se generalizasse, já viu o que seria das farmácias?»

Anónimo disse...

O que esse Sr. disse há um século é muito interessante, mas não diz grande coisa, apesar das muitas frases.

Senão veja:

«É corrente, numa grande percentagem da população, quer entre médicos quer entre pessoas cultas, haver conceitos errados sobre Medicina Natural. De que são práticas espiritistas, tudo com uma base não científica.

-Começa bem, não lhe tiro aí a razão...

«É uma ignorância que já não se justifica, principalmente entre os médicos. Se a Medicina Natural já foi empirista, hoje não é.»

-Começam as palavras "caras"... suspense...

«A Medicina Natural assenta em bases que a Medicina Oficial utiliza, reconhece e valoriza. A começar na Dietética, especialização dentro da própria Medicina.

-Dietética, tudo bem, a dieta é uma parte importante dos tratamentos (uma Ciência, pelo menos na minha Medicina)...

«Uma outra base comum são os agentes físicos, especialidade também reconhecida pela Medicina Oficial.»

-Parece entrar agora no campo da Fisiatria (outra Ciência, pelo menos na minha Medicina)...

«A que vem a acusação de empirismo? A não ser que a Medicina Oficial também seja um nadinha empirista...»

-E eis onde começa a descambar...

«A Medicina Natural não pode substituir a Medicina de Urgência. Medicina de Urgência tem uma função, Medicina Natural tem outra. Ambas indispensáveis.»

-Quais as patologias que estarão incluídas na Medicina de Urgência, e na outra "natural"?

«Enquanto a Alopatia se dedica ao sintoma, sem nunca se preocupar com a causa das doenças, guia-se sempre pela ideia de tratar a doença e não o doente, nós tratamos o doente e não a doença, preocupamo-nos sempre com as causas.»

-As "causas". Seria interessante dar-nos algumas causas (à sua escolha) de doenças que a Alopatia não conhece (e o que raio é a Alopatia afinal??)...

«A forma como a Alopatia trata é justamente a causa fundamental do aumento considerável dos doentes crónicos.

-Desconfio que devo ser Alopata, pelo tom do Sr.
Reforço nesta fase a necessidade de exemplos de como ele, Médico de doenças não urgentes ou "naturais", faz bem, vs eu, Alopata, que faço mal...

«Todo o doente que vem aqui ao Instituto é (com raras excepções) doente crónico. Uma história de 15, 20 anos com medicação química até um estado de miséria.»

-Exemplos, exemplos... Continuo a não ver onde estará a Ciência, que ele apregoava no pródromo do delírio...
Que "doenças crónicas"? Ou não se dão nome às doenças? Que causas, nesse caso?

«O mérito do nosso tratamento é que excluímos rigorosamente toda e qualquer medicação química. Nunca receitei um simples purgante. Aos próprios produtos dietéticos industrializados não damos importância, porque nos alimentos naturais encontramos tudo o que precisamos.»

-Ora bem. E andamos nós a perder tempo com a cadeira de Farmacologia, essa Venenologia encapotada...

«Se esta terapêutica natural se generalizasse, já viu o que seria das farmácias?»

Custa-me a acreditar que alguém realmente leia isto sem ficar bem disposto no fim....
Ou quero acreditar que me custa a acreditar....

Quantas doenças crónicas ele "tratará" sem remédios? Quais?

Ou se calhar tenho que me pôr numa posição mais metafísica para perceber. Provavelmente não trata doenças. Trata "causas". E as "causas" só precisam de elementos que existem na "natureza" (essa coisa que só pode ser boa).

Mais uma vez julgo estarmos perante a questão do post anterior mais concretamente da definição de acto naturopata.
Que deveria passar por algo do género: sempre que se sentir achacado por uma "causa", vá lá tomar umas coisas naturais ao naturopata, vai ver que passa.

E, claro, quando ficarem doentes, vão ao médico.

O problema deve estar nos conceitos....

AV

naoseiquenome usar disse...

AV:
um pensamento perdido na noite:
as drogas.
não as pastilhas ou outras coisas sintécticas.
As de origem nartural.
A não ser para casos terminais, cuidados paliativos, casos in limine, apetece-me reproduzir aqui opensamento de um amigo meu, que sei que não vai levar a mal:
"(...) um mundo em que ninguém possa alterar o seu estado de consciência parece-me um mundo muito melhor, em que permitimos que mais pessoas, alterem, de mais formas, o seu estado de consciência. Mas, para isso, esatr deprimido, devia passar a ser um direito. E, ... mandar o mundo à merda, deveria ser, uma forma de comunicação e não, motivo para despedimento (...)"
...

Anónimo disse...

Esta é bem mais grave. Pelas "ligações perigosas" e pela dimensão do jornal. http://jn.sapo.pt/2006/05/01/sociedade_e_vida/medicina_terapias_alternativas_e_eso.html

Anónimo disse...

vale a pena saber que nivel de conhecimento e que consideração esta classe de gente "sabia" tem sobre as medicinas naturais...talvez o problema seja que todos procuram o seu lugar ao sol,criticando o que nao conhecem ou nao querem conhecer...caro colega,seja humilde...estude,procure conhecer o que são realmente as medicinas naturais...e entao depois explique a medicina a "intelectuais"

Anónimo disse...

De facto, isso do sobrenatural acaba por cansar.

Por isso aqui está: http://www.quackwatch.org/04ConsumerEducation/sram.html

A não perder o seguinte artigo que se encontra lá: http://www.quackwatch.org/01QuackeryRelatedTopics/altbraid.html

E pronto, fica assim, antes que comece a enjoar a sério de tanta paranóia travestida de coisa séria.

AV

Medico Explica disse...

Estudante de naturopatia:

Conheço um médico que nos seus tempos de estudante trabalhou no Instituto Dr. Indíveri Colucci para ganhar uns tostões e conta inormes aldrabices que aí se faziam...

A.S. disse...

Caro colega, tambem tenho conhecimento de muitos médicos que trabalham apenas por dinheiro e que fazem muitas aldrabices, colocando em risco a saude de muitos pacientes...

Mário de Sá Peliteiro disse...

Não há medicinas convencionais nem alternativas, há medicina.

E a medicina está forçosamente baseada no método científico e nas evidências inequívocas. E os profissionais que a exercem têm que demonstrar qualificações credíveis e objectivas.

Ou seja, concretizando, uma medicina assim ou assado não explicada pelos critérios científicos unanimemente aceites não é medicina; o profissional que exerce esta prática, qualificado por um curso assim ou assado não é médico.
Mesmo sabendo que alguns erros seriam cometidos, as vantagens superariam, em muito, as desvantagens , se frontalmente se tomasse uma decisão: essas práticas e esses praticantes deveriam ser proíbidos.
Sem contemplações e com urgência.

Anónimo disse...

Sr. MSP

Você só pode mesmo ser fascita, ó amigo!

Ciência? Então e as outras coisas todas, igualmente válidas, e que toda a gente conhece?
Saberes seculares, milenares até?
E a Natureza? Compara a força benéfica desses químicos venenosos com umas boas plantas ali do quintal, ou com uns elementos das rochas?
E umas massagens, não fazem bem as massagens?
E os livros todos publicados na matéria, será que só por não serem "científicos" não prestam?
E os nossos produtos naturais, comercializados aos milhares, será que só por não serem testados não são tão bons como os vossos?

Olhe, eu não queria insultá-lo, mas tenho que lhe dizer que julgo que S.Exa não passa de um Alopata!

E fazia melhor em deixar-se de sintomas, e passar a tratar causas. Que eu não lhe vou enumerar, até porque ninguém as conhece mesmo, nem teria como comprovar se o que lhe estou a dizer é verdade ou não, já que mesmo que estejam escritas em algum lado, ninguem conhece o fulano responsável. Que por sinal já morreu há muitos milénios.

E digo-lhe mais, se em vez de envenenar as pessoas com anti-depressivos, ansiolíticos, neurolépticos, etc..., usasse a boa e velha (e natural, milenar, etc...) marreta na tola, já usada nos idos tempos dos dinossauros, veria que vendia mais aspirinas no final....

E mais não digo.

Naturopata Enfurecido

ABS disse...

Caro Mário de Sá Peliteiro:
Subscrevo integralmente o seu comentário e em toda a linha. Há pra´tcias que funcionam. Outras não.

Caro Naturopata Enfurecido: o seu comentário é pardigmático das falácias que inquinam o raciocínio "alternativo" tout court. Dir-lhe-ei apenas o seguinte: demonstre, através do método científico, que as suas técnicas são eficazes. Serei o primeiro a começar a utilizá-las. E os outros "alopatas" todos. Garanto-lhe.
Até lá, contudo, as suas práticas estão no domínio da fé e não dos factos.
Abraços.

ABS disse...

"Práticas", claro... As minhas desculpas.

Anónimo disse...

Mea culpa, abs, mas o naturopata enfurecido era eu.

Claro que concordo consigo, a ironia é que foi demasiado subtil, pelo visto.

AV

Anónimo disse...

Mas caramba, é francamente assustador que me tenha levado a sério....

AV

Para os intelectuais ignorantes disse...

Assustador é ver a ignorância de alguns médicos em relação á naturopatia, lembrem-se que esta foi a raiz da vossa medicina e procurem antes de falarem saber quem foi Hipócrates...e achamos vergonhoso que passem a vida a criticar mas no entanto escrevem livros baseados (plagiados)em literatura naturalista, ganhando prémios á custa das "maravilhosas descobertas" já existentes á alguns anos...!
O mais importante é a saúde do paciente, e o tempo que passam a criticar aquilo que desconhecem, procurem melhorar o nosso sistema de saúde em portugal e diminuir as famosas listas de espera nos hospitais porque é uma vergonha e que só existem devido a interesses, sem se preocuparem genuinamente com a saúde do paciente (e não inventem desculpas como problemas de gestão ou meios hospitalares)...Ora tenham uma boa tarde!

Joaquim disse...

EU trabalho em regime de exclusividade num hospital central, tenho responsabilidades na gestão da lista de espera para cirurgia (na minha área, claro). Muito agradeço
ao POII que me diga quais são os interesses de que fala e o que é que eu poderei fazer para diminuir o tempo de espera, mais do que aquilo que já consegui. Diga-me qual a sua experiência neste assunto, que eu poderei dizer-lhe a minha.

Mário de Sá Peliteiro disse...

O problema é que, inacreditavelmente, na nossa sociedade, no século XXI, «há mais astrólogos que astrónomos».

Anónimo disse...

Ó sá peliteiro,
os farmacêuticos são uns bons homens da ciência e da economia. Dar trocos ao balcão é importante.

Mário de Sá Peliteiro disse...

Não alinho em provocações de pacóvios.

Mas já agora, da última vez que estive em Paris, fui a uma consulta de um eminente endocrinologista, no seu consultório particular - moderno, agradável, bem equipado.

Curiosamente, o homem trabalhava sózinho; ele próprio fazia marcações (maioria via www) e recebia os próprios honorários.

Em Portugal, isso seria um escândalo. Só gente fina.

Anónimo disse...

MSP

Saiba que isso não é regra, nem em França :)

Asseguro-lhe mesmo que é excepção.

AV

Mário de Sá Peliteiro disse...

Caro AV, também não disse que era regra. Nem faço a mínima ideia dos usos Francesas. Agora, em Portugal, é inimaginável; e porquê? Será indigno para um médico receber dinheiro e fazer trocos?

De qualquer das maneiras esta é uma discussão marginal, o que interessa denunciar, como julgo seria intenção do MEMI, as práticas duvidosas a coberto da designação "medicinas alternativas" e os importantes prejuízos para os doentes que lhes estão associadas.

J.M. disse...

Bem, até já me sinto culpado por ter estudado todos estes anos...tudo o que faço, afinal, é roubar e enganar tudo e todos. Vou deixar de prescrever "purgantes" e "venenos", vou usar salsa e mirra! Porque não? É natural! Só pode fazer bem! Não foram submetidas a estudos científicos? São naturais, "dah"...são do melhor! Ai, as farmacêuticas que descubram isto e lá se vai o emprego de farmacêuticos, engenheiros, médicos, enfermeiros e terapeutas...eu que sou diabético já nem vou tomar a insulina, porque infelizmente já não é..."natural".
E, explicam-me lá essa das massagens. Não são científicas? São "naturais"? Só se forem as eróticas...
Parece-me que quem tem que estudar não somos "nós".
Abraço.
J.M. Fisiatra de um Hospital Central

'curandeiro' disse...

a meio de uma noite de estudo de endocrinologia (cadeira da licenciatura de medicina), e já um bocado cansado desta época de exames, nao posso deixar de agradecer aos jornalistas, aos naturopatas e ao advogado (r.castro, se bem me lembro) o facto de, a cada post, me demonstrarem quão fantastica e 'diferente' é a profissão médica. muito obrigado.
é que, não raras vezes, isto torna-se mesmo muito exigente (e no entanto sempre mais ou menos gratificante) e devo admitir que os vossos posts, que mostram a vossa realidade, apenas me confirmam (ainda mais) que é isto que eu quero.
quanto aos médicos que deixam posts, é com imenso prazer que aqui continuarei a vir lê-los (espero não estar a ser corporativista ;), até porque estou convicto de que haverá sempre 'intelectuais' a precisar de explicações de medicina.

p.s. o nome 'curandeiro' vem de uma provocação feita por um grande médico e grande professor da fmuc. apenas isso

Anónimo disse...

Não é que seja indigno para um médico receber dinheiro e dar trocos. O que é indigno é recebero dinheiro da exploração dos utentes e dar trocos "roubados"...

Aqui em portugal, conheço um psiquiatra que ele próprio marca as consultas, recebe dinheiro, só não limpa o consultório porque está integrada numa rede de consultórios que tem limpeza...

Os sr. licenciados em medicina têm muita cagança... querem muito status... depois ficam chateados quando vêm para aqui os médicos espanhois terra-a-terra (tu cá, tu lá)... os portugueses ficam revoltados pela finura delizada que se vai perdendo na medicina portuguesa...
até a roubar os médicos portugueses gostam de ter classe!

Anónimo disse...

ó curandeiro, deixa estar que também tens muita cagança e pouca pujança e diz la ao teu mui nobre professor da mui nobre fmuc para meter a salsa e mirra pelo ** acima!

FMUC - Federação Machista Universal dos Curandeiros


Brevemente o curso de medicina vai contemplar uma cadeira de economia intitulada: roubo dissimulado na economia global -uma estratégia médica...

MERLIN

Anónimo disse...

ó peliteiro, não te rias muito, que há muitos colegas teus que gostam de inventar umas mezinhas caseiras....
o mundo é madrasto.
também és muito fino (vais a paris). vestes chanel? ungaro?

MERLIN

Anónimo disse...

o av também ficou assim meio tótó desde que um curandeiro fez uma massagem (ao que parece o av gostou)
;)
o comentário do JM (fisiatra) é sóbrio.
ó JM, os fisiatras ainda continuam à pancada com os fisioterapeutas para ver quem sabe mais, manda mais, pode mais e rouba mais?


MERLIN

'curandeiro' disse...

merlin
so para dizer duas coisas:
- em relaçao as pessoas que fazem esse tipo de comentarios sobre alguem que nao conhecem, nem imaginam quem sao ou o que fizeram, coitadas, esta tudo dito.
- nao vou comentar rigorosamente mais nada desse tipo de provocaçoes
saude

Anónimo disse...

o problema é teu. tu conheces-me por acaso?
o que me revolta é o gosto pela superioridade intelectual que cada um revela. também já passei pelos bancos da faculdade. também já aturei a endocrinologia I e II. e não é por isso que mal-digo a experiência e trabalho dos outros. as mezinhas não são o melhor. a farmacologia clínica será?
e não é por isso que chamo os outros de charlatães, quando há médicos que roubam e enganam tanto (não estou a falar no capítulo de exercício médico, mas também...). aliás, os alunos de medicina hoje em dia já entram para o curso a pensar quanto dinheiro vão ganhar e como vão roubar. é a subversão do sistema...
depois admiram-se de alguém ir experimentar a banha da cobra...
não podemos andar com demagogias. temos de encarar as coisas. chamar os bois pelos nomes. a ciência é apenas mais uma das muitas partes do conhecimento, com a ciência só sei que pouco sei. e quanto mais ciência sei, mas me apercebo do quanto eu não sei. o conhecimento anda à frente da ciência, como a cenoura à frente do burro.
MERLIN

Anónimo disse...

Sr. Merlin

Decida lá então qual é a sua filosofia política, se a liberal, em que vai à privada quem quer, pagar a quem quer (charlatão ou médico), quanto quer, e deixe lá aquele a quem está a pagar livremente os seus serviços a liberdade de guardar tudo, ou de contratar uma secretária para fazer marcações.

Lembre-se também que é livre de ser médico.
Em Portugal, ainda é uma questão iminentemente meritocrática, sê-lo ou não.

Quanto ao meu gosto por SPA's e companhia, não seja indelicado e meta-se na sua vida.

Quanto a outras dúvidas delicadas, espero que nao esteja à espera que se explique a alguém que não vê a diferença entre um médico e um charlatão, ou entre um farmacêutico e o bruxo da esquina, as subtilezas da diferença entre fisiatras e fisioterapeutas (entretanto, deixe lá de insultar os fisioterapeutas).

Confusa, parece-me ser a sua linha de raciocío.
Pela posição dos astros, e das vibes que emanam do meu ecrán, e do saber milenar de quem já fez muitas urgências à hora em que você escreveu os comentários, arrisco: noite bem regada?

Nada que prolongado pasto não resolva, esteja descansado. Já que de minerais, e até os naturopatas concordam comigo nisso, um calhau certamente não há de precisar.

AV

Anónimo disse...

AV, oh muy nobre cavalheiro (tenho que o tratar com delicadeza a sua alvura), gosto muito da forma como considera sempre ser o depositário da razão, da racionalidade, da omnipotência da intelectualidade….só as suas benditas e excelsas opiniões e concepções sabem, só a sua inigualável massa cinzenta consegue fazer desabrochar todo o mistério que se encerra neste mundo azul…
… e depois aprecemos nós, seus submissos sub-intelectuais, circunscritos pela cognição mundana.
AV, só vós sois o Janus (deus grego da sabedoria) que imperais no vosso enlevado Olimpo…
Nós, seus inferiores, incapazes… aceitamos que apenas o ex.mo AV saiba a verdade que rege este mundo, a lógica das coisas despretensiosas, a complexidade dos comportamentos, a anfibologia dos indicadores da natureza….
Os médicos, esses muy afidalgados e frágeis senhores, cujas puras mãos não devem nem podem tocar no repugnante e vil metal que a todos malfadou. São de facto e sem contestação, os magnânimos soberanos deste exíguo globo, abstruso na via láctea, um pequeno recanto do universo, escolhido particularmente pelos médicos para acomodarem suas maravilhosas e prodigiosas mentes súperas…
Me dobro diante vosso timbre e convicção sumptuosa.
Existe uma colossal disparidade entre médicos e demais reles plebeus que aspiram ser um dia doutores: todos os aspirantes não possuem dotes intelectuais para almejar tal devaneio. A ciência é madrasta, a medicina também.
De facto a “posição dos astros e as vibes” oriundas do seu característico ecrã, têm a mais legítima dos motivos para tal fenómeno: as ondas que emana a sua aura são como notas musicais que inebriam qualquer corpo inerte.
O calhau que para seu deleite referiu no seu testemunho titânico, esse, eu sei onde o pode colocar… mas com cuidado não vá aquiescer à cristalogia e gostar.
Tanto discernimento que vós ostentais e nem percebestes a ironia do meu testemunho.
Mas como este esotérico blog não existe espaço para nós dois, eu deixo-o aqui, sozinho, a curtir o seu momento zen…
Espero que continue a sua saga narcisista.


MERLIN
H.B.A.


p.s. - De tão extasiado que estou, por ter teclado para vós, nunca mais vou banhar estes meus dedos que ousaram chocar neste indigno teclado… e desafiar o pujante e vigoroso AV!!

p.s.2 – Mas vou continuar a atrever-me a vir obedientemente ler os seu ímpares comentários, que se não sabe eu digo-lhe, que para gáudio e chacota de muitos leitores que aqui vêm ávidos para os ler e assim passar um bom momento, o dr. AV é um “master”. Pena que ninguém através deste infame ecrã pode atirar tomates e fruta podre como forma de aplauso das suas brilhantes intervenções. Estou tentado a pedir “bis”, para loucura da multidão…

Anónimo disse...

Não confunda ética (médica) com médicos (não seja ingénuo).

Nem confunda a sua própria indivualidade com o "resto do mundo" (não tenha uma visão tão negra da humanidade, sua evolução e capacidade de raciocínio).

Ou confunda, mas não fique à espera que alguém se importe (não seja prepotente).

AV

Anónimo disse...

Realmente, sr. AV, o meu amigo pauta-se sempre por um egoísmo tremendo. Faça um favor a muita gente: vá embora.



Madrid

naoseiquenome usar disse...

Bemmmmmmmm....

O AV, a determinada altura, parece-me ter trocado o "Curandeiro" com o "Merlin" nas respostas....
tenham calma meus senhores!

A propósito, Merlin não era um Mago?

...
Mas só intervenho para me juntar na ingenuidade a quem defende a Ética Médica!

naoseiquenome usar disse...

P.S.
queria dizir a ètica dos médicos,claro, não vá o AV entender mal a minha "ingenuidade"

Anónimo disse...

Não acredito muito nas medicinas alternativas,no entanto compreendo que quem está doente, numa situação de desespero irá tentar todo e qualquer meio...até as promessas a Fátima!

J.M. disse...

Eu até lhe respondo Merlin.
Em primeiro lugar, nunca andei à pancada com nenhum fisioterapeuta, nem nunca vi nenhum médico a cometer tal acto.
Quem sabe mais? Fácil, o fisiatra sabe de fisitria como ninguém. Mas o fisioterapeuta sabe de fisioterapia como nenhum outro profissional. "Cada macaco no seu galho".
As outras questões são mostra de quem desconhece a realidade do contexto de trabalho de fisiatras, fisioterapeutas, enfermeiros, terapeutas ocupacionais e outros. Por isso mesmo funcionam apenas como provocações e a isso, vai-me perdoar, mas eu não respondo.
Visite um serviço de reabilitação e fale então da "pancadaria" que por lá acontece. Talvez lhe dê mais valor depois.
J.M.

Anónimo disse...

j.m.,
voçê não perspectiva a pancadaria de uma forma que os fisioterapeutas perspectivam.
É uma visão diferente, moldada por certas circunstâncias.
Mas é inútil discutir isto aqui. Nem me apetece escrever, nem me apetece discutir isso.
Merlin era de um mago, é verdade.




MERLIN
H.B.A.

RR disse...

Se calhar vou incorrer no risco de deixar aqui mais uma "bomba", mas faço a seguinte questão da posição de leigo e sob o propósito da curiosidade que me move, uma vez que a minha área é também científica mas que nada tem a ver com medicina, naturopatas, curandeiros e afins. Pois bem, a questão pretende-se com a medicina oriental, e qual a sua validade aos olhos da medicina ocidental, ou para ser mais preciso, aos olhos dos practicante da medicina ocidental. Tem proveitos? Vantagens e desvantagens e complementariadade das duas como já ouvi alguns profissonais referir.
Cumprimentos!
RR

Tenesmo disse...

Caro rr não é aqui que tem de fazer essa pergunta. Esta gente de "ciência" só entende do seu umbigo, tem os olhos bem fechados, e não tem qualquer qualificação para falar sobre... medicina chinesa?! mas se quiser continuar a ler barbaridades pergunte vá, pergunte e sinta-se esclarecido...
tsh tsh_______ daqui a uns tempos andam todos a tirar cursinhos de medicinas alternativas em 10 lições...
Que tal consultar quem sabe?
aqui...
http://www.ftcm.org.uk/aboutthe.htm
E para quem necessitar (não precisa agradecer nem citar a fonte) ;)
http://bmj.bmjjournals.com/cgi/content/full/319/7213/836

Anónimo disse...

Ao Tenesmo, nem vale a pena responder, o seu pseudónimo cheira a merda!

Quanto ao RR, só lhe digo isto: quando as ditas medicinas alternativas tratarem uma apendicite como trata a cirurgia, ou quando tratrem uma simples dor de dentes, como trata o paracetamol ou a aspirina, passarei a defendê-las...

RR disse...

sim, na medicina, tal como na engenharia e muitas outras áreas, não são uma ciência base, existem sim os médicos-investigadores, os engenheiros-investigadores, cujos estudos e métodos aplicados se baseiam sempre em pressupostos quimicos, fisicos ou matemáticos. Mas enfim, não quero entrar neste tipo de discussão e especialmente não no tom que tem sido feito, mas procuro opiniões razoáveis sobre uma área acerca da qual não tenho conhecimentos.
A minha seguinte questão é,a acunpuntura é vista com bons olhos em termos de aplicações especificas pelos médicos ocidentais? É que já tenho ouvido médicos ocidentais defenderem o seu uso em situações especificas de complementariadade, assim como tenho ouvido fisicos (cientistas diga-se) defenderem teorias que podem abrir um caminho na "ciência ocidental" para as teorias sobre as quais os orientais se baseiam. Novamente refiro, a minha pergunta é movida pela curiosidade, e não pretendo entrar no baixo nível. Custa-me acreditar que os chineses (sim era à medicina chinesa que me referia) tenham vindo a tratar os seus pacientes com a "banha da cobra" ou motivados por credos religiosos. Segundo me contaram, até costumam ter equipas de ambas as medicinas (oriental e ocidental) nos seus hospitais. Mais uma vez refiro, que são coisas que me contaram e pelas quais não posso jurar, mas assim tenho uma oportunidade de obter outra perspectiva sobre o assunto.
Cumprimentos

RR disse...

Já agora, aproveito para agradecer ao Tenesmo os links que parecem ser muito interessantes, vou com certeza ler.
Cumprimentos...

Emily disse...

Eu tenho mais que fazer, mas este debate deixou-me de facto entusiasmada. Bendita ciência. Bendita ignorância.
Caros colegas, ainda agora terminei o curso e já soube que o Instituto Abel Salazar no Porto oferece pós graduações em Acupunctura para os recém formados. Vamos todos ser coerentes, sim?
Então não serve, então é placebo, então não sei mais quantas, e anda a classe médica a combater, escarnecer e (coitadinha, a dar cabo de si própria...) contra as ditas medicinas milenares ( forma vistas coisas semelhantes ao longo da história no tempo da inquisição...) e agora saem os médicos, felizes e contentes, com uma pós graduação numa disciplina que contra todas das evidências, a medicina teima em efirmar que não passa de charlatanice?
valha-me santa bárbara.
Emily

Médico Explica disse...

Cara Emily
A acupunctura não é só charlatanice. Tem evidência. As endorfinas e outras coisas...

tsui chii disse...

A Banha da cobra funciona e tem muitas propriedades, que a medicina nao soube ou nao quis informar e pesquisar, veja que os indios dos andes, usam esta banha, e a banha da piton, da anaconda, junto com o caule do algodoeiro,o rui-barba, o cedro e outra planta que só nasce em volta de antigos vulcoes, para curar (e cura) a psoriase, e outros males da pele. veja a exemplo, os detalhes no site www.psoriase.siteonline.com.br - indio krenakore

Anónimo disse...

quando todos os profissionais de saude tiverem uma visão do paciente como um todo( visão que atualmente só e vista pelos naturopatas )o medico não mais prescreverá e sairá correndo não mas conhecerá somente orgãos e sistemas mas conversará e conhecerá melhor o paciente e o paciênte tambêm se conhecerá e se cuidará mais e sofrerá menos em filas de hospitais de madrugada para pegar um paracetamol ou um encaminhamento ao cirurgião por causa dos seus atos não saudáveis que cometeu contra seu próprio organismo o paciente consumirá menos artifiais e sinteticos (venenos cientificamente comprovados) e mais naturais o seu estilo de vida mudará, o medico com toda a sua ciência deixará de prescrever os remédios toxicos que sanam uma dor e matam orgãos, e farão como os naturopatas e com algum tempo estarão oferecendo aos pacientes qualidade de vida e não várias noites frias dormindo em bancos de horpitais.
paciente e enfermeiro decepcionado. no brasil medicina alternativa é válida pelo governo e já é especialidade médica.

Medico Explica disse...

Coitados dos doentes brasileiros...

Anónimo disse...

medicos, olhem para tráz e reconheçam de onde vieram,não tenham medo de perder o status de medico moderno,existem sim cura sem quimicos, antes da quimica surgir os homens viviam mais e usavam somente os recursos naturais.não tenham medo de dizer que vocês mesmos tem receio de tomar estas drogas. reconheçam o que hipocrates disse :"fazei do alimento o vosso remedio"
a naturopatia ensina o homem a se conhecer como um todo e assim ele é tratado.não é só uma cabeça ou só um coraçao é um ser integral:corpo mente e espírito.
a natureza faz parte do homem e o homem da natureza se vocês não reconhecem isto os pacientes reconhecem.o médico usava raizes para tratar e deixou as raizes pelo antibiotico e a sua fama cresceu e decreceu. as pesquisas em medicina natural nunca deveriam ter sido menosprezadas pois na terapeutica natural o homem tem medicina preventiva e como todos sabem prevenir é o melhor remedio.

Anónimo disse...

Pois esta é uma guerra que se vai ganhando aos poucos por nós simples cidadãos comuns que só queremos ter saúde, e que muitas vezes a medicina Alopática, não sabe, não quer saber e tem raiva a quem sabe. Reconhecer as medicinas naturais como naturopatia, homeopatia,etc é mostrar que de alguma forma podem perder o monopolio da saúde. As medicinas deviam ser complementares não chamadas alternativas. Porque será que cada vez mais se vêem médicos alópaticos em cursos de medicina tradicional chinesa? E porque é que será que há uns anos atrás a mesoterapia homeopática era praticada por naturopatas e homeopatas e enfermeiras e os Exmos Drs. já passaram a Mesoterapia como um monopólio seu? As guerras ganham-se nos bastidores, eu sou adepta de naturopatia o meu marido também e por arrasto os meus dois filhos também são pacientes de naturopatia, fazendo uma medicina preventiva, e cada vez se vê mais familias a optar por estes caminhos. Srs. Doutores não comecem a abrir a pestana e não se admirem que o povo vos faça uma oposição surda simplesmente prescindindo dos vossos serviços. São de uma arrogância ultrajante na sua maioria, pôem-se no pedestal como se hoje em dia ser médico é ser Deus, só são deuses para velhotes como a minha sogra e os meus pais que morreram às mãos de uma medicina hipocrita não hipocratica. Uma vez um médico disse quimioterapia isso é só para os utentes não é para salvar vidas. Para mim médico é só para urgências: apendicites, tromboflebites e para passar análises e exames de resto quero distância.