domingo, julho 05, 2009

Castigo Rápido e Exemplar Para Este Médico!

E a notícia se confirmar, pois os nossos queridos jornalistas também inventam muito!

Se o médico estava em presença física e não em prevenção ou à chamada, deve ser demitido, assim como quem o apoiar nas chefias superiores…

    No DN on-line, 00h27m

"Deixou a Urgência para ir inaugurar campo de golfe

Director de Anestesiologia abandonou serviço oito horas alegando problemas pessoais

PEDRO ANTUNES PEREIRA

O director de Anestesiologia do "S. Marcos", em Braga, abandonou a Urgência, cerca de oito horas, para ir à inauguração de um campo de golfe. A administração não comenta. O caso está a ser analisado pela Direcção clínica.

O anestesista Mário Vaz de Carvalho foi escalado, no passado dia 13 de Junho, com outra médica, para o serviço de Urgência, no qual deveria estar 24 horas, tal como a lei prevê. Analisando o registo de assiduidade do médico, nada de estranho se passou. Vaz de Carvalho deu entrada às 8.37 horas e saiu, no dia seguinte, às 9.48. No entanto, segundo clínicos que estavam de Urgência no mesmo dia, o também director do serviço de Anestesiologia saiu por volta do meio-dia e só voltou às oito da noite. Confrontado com a ausência por alguns colegas, o médico terá dito que tinha tido uns problemas pessoais para resolver e "libertou-os" para jantar, uma vez que ele próprio já teria comido.

Ora, o espanto surge quando, no dia seguinte, dois jornais locais dão conta da inauguração de um campo de golfe, numa freguesia da cidade de Braga, com a presença do secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias, e nas fotos aparece o médico Vaz de Carvalho. Isto é, a ausência prolongada do médico no serviço de Urgência, justificada por problemas pessoais, caiu mal junto dos colegas.

"Afinal, os problemas pessoais tinham um nome: campo de golfe", diz um dos médicos de serviço naquele dia, indignado por "um director de serviço ter colocado em causa o normal funcionamento da Urgência". "Por acaso, a médica que estava também escalada conseguiu dar conta do recado, mas imagine-se que havia um acidente grave, como é que se resolveria o problema?", questiona.

Segundo as regras do trabalho da Urgência, quando um médico sabe que está indisponível para cumprir a escala tenta arranjar um substituto. O que não aconteceu. Segundo o que o JN apurou, Vaz de Carvalho é conhecido como um médico exigente perante os seus pares, aconselhando-os a cumprir horários e escalas. "Às vezes, faz a vida negra aos médicos mais jovens", confirma quem já assistiu a algumas situações mais intensas.

O JN tentou ouvir o médico em causa, mas o clínico nunca esteve disponível. Ao Conselho de Administração, para além de vários telefonemas, foi enviado um e-mail, a pedido da directora clínica, com as questões para esclarecer. A verdade é que, ontem, dois dias depois do envio do correio electrónico, a administração respondeu, por telefone, que o caso estava a ser "analisado internamente pela direcção clínica".

Um procedimento disciplinar não estará totalmente descartado, até porque as provas existentes são evidentes. Mas, devido ao comportamento considerado exemplar do médico, tudo deve acabar com uma reprimenda por escrito. Resta esperar pelas averiguações internas que o próprio hospital está a fazer e pelas respectivas conclusões. "

8 comentários:

Medico Explica disse...

Em complemento ao post, outro MEMAI diz: Demitido de funções de chefia é o mínimo!
Deve ser alvo de um procedimento disciplinar por abandono o serviço, com falta injustificada, e reposição das verbas indevidamente recebidas!

NA disse...

MEMAIs, sejam médicos, administradores, banqueiros, farmacêuticos e afins, todos sabemos que nas posições de chefia não há demissões... há recolocações e às vezes com melhores vencimentos e afins. Apenas se fizerem chavelhos na AR é que a coisa pode correr pior. ;) Cumprimentos, NA

Anónimo disse...

Os jornalistas inventam... pois, pois!!
O curioso é que isto acontece em muitos outros hospitais, a qualquer hora do dia com muitas da especialidades!
Ao telefone: "Sr doutor o doente piorou precisamos que passe aqui! (Ruido de fundo: talheres e crianças, a televisão - ambiente familiar...) - Agora, não posso, ligue ao interno, mas se for caso disso ligue á emergência que entretanto eu dou aí um saltinho!" Não apareceu ao serviço e o pobre do interno em palpos de aranha que não sabia muito bem o que fazer com a vida dele e do doente...
Ora quem puder que me desminta!

Este sr doutor só teve o azar de ser fotografado... foi descuidado!
Agora, o correcto seria a demissão... porque ninguem me tira da ideia que não foi a primeira vez que o sr anestesista se ausentou em tempo de serviço!

cumprimentos

A.Silva

Anónimo disse...

Que hilariante. E que tal deixar o serviço para ir beber uns shots à discoteca?

Anónimo disse...

Comportamento exemplar?
Quem normalmente actua com comportamento exemplar não tem destas "escorregadelas"
Comportamento altamente reprovável
e que indicia muita falta de carácter!

Sei lá disse...

O sr. bastonário Pedro Nunes ainda não veio a cena defender o comportamento exemplar do colega alegando uma desculpa qualquer para um médico poder deixar o serviço para ir a inaugurações de campos de golfe? ESTOU A ESTUPEFACTO! JURO QUE ESTOU!

Anónimo disse...

Aguardarei para ver o desfecho deste caso. Demissão? Mas acham mesmo?... Pff, há quantos anos andam em duas pernas??

Golfista disse...

Se por isto o demitissem, mais de metade dos médicos já estavam no desemprego.