quarta-feira, janeiro 12, 2005

Mutismo Selectivo vs Útero Dilatado

Várias vezes e apesar de avisar que "este blogue não é um consultório on-line", sou solicitado a comentar ou explicar alguns termos que os leitores têm dificuldade em compreender.

E é para isso que aqui estou.

Explicar e não ensinar. Criticar e não corporativizar a minha profissão.

É óbvio que há perguntas que são dificeis de responder! (Minha querida Maria, não sei qual o motivo pelo qual o seu útero está dilatado!)

ou outras que não têm resposta! (Meu querido Henrique, que lhe posso responder: "E a si?... não há ninguém que lhe explique nada? Sabe que só mesmo os mais ignorantes é que se comportam desta forma? Não deve saber. Se é como a maioria dos médicos que conheço, não só não sabe como acha isso impossível. Sabe que era exactamente essa a postura dos padres na Idade Média?... Era!... E, um dia foram substituidos pelos médicos."

Nós, médicos, estamos sempre disponíveis para aprender, temos sempre outros médicos mais super-especializados em determinados assuntos, que nos transmitem conhecimentos. Mas ... aceitamos explicações de Medicina apenas de outros médicos. “Olhe, Henrique: ainda ontem um electricista com a quarta classe me explicou como funcionava um dispositivo que lá apareceu no hospital: Electricista Explica Como Funciona Um Dispositivo A Um intelectual. Bom título de blogue, não acha Henrique?

Olhe Henrique, outro exemplo: hoje um técnico da PT Comunicações, explicou-me a razão pela qual a minha ADSL não funcionava. E eu que andei mais de 10 dias a tentar perceber. Esse técnico, que não será intelectual, em 10 minutos descobriu que o fax interferia e curto-cicuitava o split. Veja lá, em 10 minutos! Como vê recebo muitas explicações. Mas, como deve imaginar não ia pedir explicações para a minha ADSL a um pastor, ou a um vaqueiro, ou a um gestor da Galp. Eu sei que o Henrique compreende.

Mas esta lenga-lenga, que se prolongou demasiado, serviu para chegar ao mutismo selectivo.

Uma professora perguntava-me se o mutismo selectivo existe.
Concluí que na Internet existe, foi de lá, dessa inesgotável fonte de sabedoria (depois de filtrada!) que retirei esta frase de um grupo de discussão. A referência desapareceu, que me desculpe o autor:

O que caracteriza o mutismo selectivo é uma incapacidade de falar em situações sociais específicas (escola, por exemplo), portanto pode ser confundido e mesmo incluir fobia social... Como ela não aparenta nenhuma dificuldade de linguagem, poderia ser diagnosticado mutismo selectivo, com uma avaliação adequada claro. O mutismo selectivo inclui timidez, medo das relações sociais, isolamento, retraimento social, alguns comportamentos compulsivos, negativismo, comportamento controlador ou negativista, principalmente em casa. Normalmente inicia-se antes dos 5 anos de idade, e deve-se fazer um diagnóstico diferencial com problemas de linguagem e outros, para ter a certeza do diagnóstico. Para além do diagnóstico, o importante é perceber a razão da perturbação existir, ...
".

Mas uma definição muito mais simples é "situacion en que el niño decide con quien hablar y cuando hablar".

Dá quase para perguntar: será mesmo uma doença ou será mais uma não-doença!

Eu por vezes apetece-me ficar mudo selectivamente tantas vezes!

3 comentários:

Paulo Santos disse...

Caro Colega:
Não poderia deixar de comentar esta sua "explicação" acerca do Mutismo Selectivo. Em primeiro lugar trata-se de um assunto com o qual convivo diariamente (a minha irmã mais nova, com 14 anos, apresenta deste distúrbio). Em segundo lugar, queria tecer algumas considerações, ou melhor, correcções. O MS encontra-se perfeitamente definido e enquadrado nos distúrbios psiquiátricos da infância/adolescência. Está presente na DSM IV-TR 2000 (Diagnosis and Statistical Manual of Mental Disorders, American Psychiatric Association (para quem desconhece, publicação que serve como referência na Psiquiatria, a nível mundial)). Consiste na incapacidade de falar em situações sociais específicas (geralmente tudo começa com a escola), e é totalmente independente da vontade da criança. Estas crianças não apresentam problemas de fonação ou da linguagem, nem outros tipos de problemas de desenvolvimento. Conseguem falar e comportar-se com toda a normalidade em casa e em outras situações em que se sentem seguras, relaxadas e confortáveis. Eu confirmi-o. Não se conhece completamente a causa mas sabe-se que resulta da ansiedade exagerada e desproporcionada que o acto de falar desperta, à semelhança de outras fobias. Portanto, caro Colega, nenhuma definição pode ser tão incorrecta e injusta quanto a última que nos apresentou. O MS é praticamente desconhecido para a generalidade das pessoas, mesmo para muitos de nós, profissionais de saúde. Espero que este comentário sirva de contributo. É irónico e chega a ser angustiante que aquilo que tanta gente faz em exagero seja o maior problema da vida de algumas crianças. O blog catarina-mutismoselectivo.blogspot.com confirma-o. O site www.selectivemutism.org apresenta informação credível e actualizada sobre este tema. Os meus cumprimentos.

be disse...

Olá Paulo, não percebi qual era o papel de a pessoa que escreveu anterior de si, um medico?

Fiquei com a boca bem aberto.
Querer dizer que as profissionais de psicologia/medicina em Portugal estão a ignorar 5.000 ou mais crianças?

“Eu por vezes apetece-me ficar mudo selectivamente tantas vezes!”
e a pior frase que li na minha historia de MS.

Estamos a falar de crianças com uma problema que vai andando se não se trata. Estamos a falar de vida de estes crianças. Realmente: ninguém se interessa de saber se este medica as vezes querer ficar calado! Com tal ignorância deve!

Só está a contribuir para estragar o futuro de muitas crianças!

Felizmente mudei para EU com nossa filha de 6 anos com MS.
Estamos a fazer um trabalho a partir de guias e com ajuda de escola e terapeutas. O objectivo é a aumentar o nível de conforto na escola. Ela tem um MS ligeira e esta a melhorar cada dia. (pequenas passos).

Aqui há organizações nacionais, terapeutas, professores etc. a tratar de crianças com MS.

Ninguém tem duvida que:
“Mutism seletivo é um distúrbio de ansiedade social da infância caracterizado pela inabilidade de uma criança falar em locais sociais diferenciados, tais como a escola.
Estas crianças compreendem a língua e podem falar normalmente nos locais onde são confortáveis, seguras e relaxadas”

Se o Sr. médico percebe inglês talvez deve espreitar estas web-sites:

http://selectivemutism.org/
http://www.selectivemutism.org/smg/media.htm
http://www.spiegel.de/international/0,1518,350863,00.html
http://www.selectivemutismfoundation.org/
http://groups.yahoo.com/group/smiratalk/
http://childhoodanxietynetwork.org/

Para o Paulo e todos as outros que querem contactar-me:
benilssen@yahoo.com

Não sou Portuguesa, mas adoro Portugal e as Portugueses e gosto de ajudar as crianças!

Medico Explica disse...

E fala e escreve bem.
O que eu disse é que não sabia. E sei que há muitas não-doenças. mas parece que essa existe e se está no DSM, não duvido.