segunda-feira, março 31, 2008

Mulher deve poder escolher o tipo de parto

Especialistas apontam divergência entre particular e público.
Mulher deve poder escolher tipo de parto, diz Associação Portuguesa de Bioética 28.03.2008 - 20h38 Lusa
O presidente da Associação Portuguesa de Bioética, Rui Nunes, defendeu hoje que as mulheres devem ter o direito no Serviço Nacional de Saúde a escolher a sua via de parto preferencial.O parecer, apresentado por Rui Nunes, também director do Serviço de Bioética e Ética Médica da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), evidencia que o casal, e em especial a mulher grávida, deve ter o direito a escolher entre a cesariana e o parto normal de maneira a "padronizar as práticas no sistema de saúde português". Segundo os especialistas de Bioética "assiste-se a disparidades gritantes entre as práticas verificadas no sector público e no sector privado". No mesmo documento é referido que "é necessário efectuar uma avaliação económica rigorosa" pois a "generalização da possibilidade de escolha da via de parto pode originar um agravamento dos custos com a prestação de cuidados de saúde". O parecer, que será apresentado à ministra da saúde Ana Jorge, refere ainda que deve ser dado um "aconselhamento adequado" em todas as unidades de saúde, preferencialmente logo desde o início da gravidez.

O Professor Drº Rui Nunes, evidencia neste artigo do Público, que a mulher deve ter o direito de escolher entre a cesariana e o parto normal de maneira a padronizar as prácticas no público e da privada.

Esquece-se o Professor que está a partir de um pressuposto errado, na privada existem um número superior de partos por cesariana para facilitar a agenda dos obstetras e dos pais, em contrapartida na pública tenta-se deixar cumprir os acontecimentos, tendo em conta o relógio biológico da futura mãe se assim for possível, avançando para a cesariana como última hipótese.

Colocar esta decisão nos pais, sem um esclarecimento consentido evidente e totalmente esclarecido, penso ser inverter as "regras do jogo biológico" e como tal não respeitar os princípios bioéticos, já para não falar de outros problemas adjacentes a esta situação.

10 comentários:

NauCatrineta disse...

Se a mulher pode abortar, sem mediação da decisão médica, porque não há-de poder escolher a cesariana "por opção da mulher"? ...

Anónimo disse...

E eu queria que me operassem ao estômago, embora só tenha um IMC de 20. Mas quero e no SNS. É a minha vontade e pronto... Se as mulheres podem escolher actos médicos, eu também quero escolher. Também quero fazer um TAC a tudo, incluindo aos tomates. É a minha vontade e no SNS.

Anónimo disse...

Se queres parir espera que amanheça.............

Anónimo disse...

Talvez se pudesse ter escolhido não teria entrado em trabalho de parto 9 HORAS ANTES de ter dado á luz uma criança com quase 4,600Kg de parto normal! Talvez se pelo menos pudesse ter escolhido, hoje talvez pudesse desejar mais um filho!

Medico Explica disse...

Não entendido!

Anónimo disse...

Naucatrineta, percebo a sua questão.
Mas a força do poder, tem uma força maior que é a responsabilidade de poder. Quer isto dizer que de facto todos podemos, mas com certas condições. A maior delas todas é a minha força do poder, não interferir com a dos outros, saber qual o meu lugar na sociedade e saber até onde posso ir.
Pelo que, ao saber que tenho o poder de optar, tenho também a responsabilidade de optar pelo melhor para a sociedade.
Apesar de no "meu mundo", poder ser um pouco egoísta, tenho de saber preocupar-me com os outros, já que a sociedade somos "todos" e é este todo que paga para a "colectividade".

Anónimo disse...

não há experiencia melhor de vida que é ter uma criança de parto natural,pois é uma sensação unica na vida de uma MULHER, que é ser mãe como a natureza manda. a cesariana só mesmo em ultimo recurso, e não interessa o nº de horas de parto porque depois de a criança nascer tudo valeu a pena, ou não???
em resposta ao anonimo que diz ter estado 9 horas em tabalho de parto, eu estive 16 horas e pari uma criança de 4 kg, e neste momento espero outra sem medo algum do parto.

Anónimo disse...

sorte a sua, mas certamente partilhará da opinião que cada caso é um caso!!!!
ser mãe como a natureza manda é ter um parto normal... não um parto provocado!
Quanto ao valer a pena... um filho vale tudo, mas há coisas que nunca se esquecem!
Para terminar, ainda bem que está grávida outra vez... o meu filho será filho único!!!

Helena disse...

Sou brasileira e o Brasil é um dos países com maior número de cesáreas no mundo, e agora estão tentando acabar com isso. Acho engraçado que tudo isso aconteça sempre sem se ouvir a opinião das mulheres que estão grávidas, como se fosse uma questão de economia pública ou para empatar com os países ricos (sempre os números sempre os números!!!).

É UMA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER OBRIGÁ-LA AO PARTO NORMAL QUANDO EXISTEM OUTRAS OPÇÕES NA FRENTE DELA!!!
ASSIM COMO É UMA VIOLÊNCIA INDUZÍ-LA À CESÁREA QUANDO ELA SONHA COM UM PARTO NATURAL.

Só isso. Não é uma questão pública, é uma questão de sentimento e escolha.

Dizem que existem paralelos entre o sexo e o momento do parto, e agora só o que faltava era o SISTEMA DE SAÚDE, O PRESIDENTE OU O GOVERNO DECIDIR QUANDO E COMO DEVERÍAMOS COMEÇAR NOSSA VIDA SEXUAL, PARA EVITAR GASTOS PÚBLICOS OU IMITAR OS PAÍSES DESENVOLVIDOS.

Anónimo disse...

"Talvez se pudesse ter escolhido não teria entrado em trabalho de parto 9 HORAS ANTES de ter dado á luz uma criança com quase 4,600Kg de parto normal! Talvez se pelo menos pudesse ter escolhido, hoje talvez pudesse desejar mais um filho!"

De gracas á Deus por ter tido normal e o seu filho e vc está ocm saúde. O incrível é que nunca se comenta quantas cesáreas dao errada. Vc já imaginou que a sua barriga é cortada??? Isso é uma operacao!!! Informen-se mulheres, nao sejam ignorantes, os médicos explicam o mode deles pensarem. Nao perca a oportunidade de trazer um filho de modo natural ao mundo, é uma única vez e pode ter certea que será o modo mais serguro para vc e para o seu filho. Acordem....