segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Acabou!

Com o extracto desta notícia da Lusa, onde se pode ler que uma professora universitária (mas não aplico a teoria boldânica e não incluo o senhor professor universitário de física, dr Boldão, no rol dos professores universitários a contas com a justiça) termina toda e qualquer resposta ao referido pofessor. A pouca qualidade dos seus argumentos, mas a sua repetição até à exaustão tem marcado a agenda deste blog.

Não pode ser!

O blog continuará, mas a agenda não será marcada pelo referido comentarista, embora o mesmo não seja banido dos comentários.

"27-02-2006 12:59:00. Fonte LUSA.
Saúde/Fraude: Burla superior a dois milhões euros leva seis arguidos a tribunal

Lisboa, 27 Fev (Lusa) - Seis arguidos, entre os quais três farmacêuticas,.../...

No âmbito deste processo, Gerarda Marques esteve em prisão domiciliária e Delmina Subtil foi obrigada ao pagamento de uma caução de 25 mil euros. Todos os arguidos estão actualmente sujeitos apenas ao Termo de Identidade e Residência (TIR).
Os restantes arguidos são Manuel Marques, marido da Gerarda Marques, que se fazia passar por enfermeiro, Artur Tavares, auxiliar de acção médica no Hospital de São José, em Lisboa, Henriqueta Marques dos Santos, professora universitária, Margarida Santos Leite e Rosário Mesquita Dias, ambas farmacêuticas.
"

30 comentários:

R. Martins, Jornalista disse...

É curioso o facto deste blog tentar banir alguém que de alguma forma tinha uma opinião contrária aos restantes participantes. Ou seja democracia é algo que aqui não mora... Ainda para mais vindo de um autor que "fundou" um blog para atacar jornalistas... e fica furioso quando aluém ataca os médicos... Eu não tenho nada contra os médicos, mas deixo aqui a minha palavra de solidariedade a alguém que corajosamente se insurgiu perante um bando de arrogantes e prepotentes... Ao sr. que gere este blog (presumo que seja médico), dou-lhe os meus cumprimentos por conseguir ser imensamente imbecil, até porque se existe profissão manifestamente corrupta são os médicos (há dois anos um ortopedista levou-me 800 contos para operar a minha mulher... isto porque pedi recibo... se fosse sem recibo só me custaria cerca de 550 contos)... Porque se quer dar a impressão que a merda não existe na classe médica, pode ir pregar aos peixinhos, pois para mim até mete nojo estas meias-conversas, ultimatos e pedidos para ignorar comentários...
Quando havia ataques pessoais a jornalistas, justificava-se com a iliteracia médica... por favor!! O meu amigo dá "ares" de ser estúpido nos comentários que faz... e agora fica revoltado quando alguém devolve um argumento ríspido! Pode meter a sua revolta pelo ** acima, pois a sua altives ter ter o tamanho do seu intestino quando esticado em linha recta!!
E fala em argumentação sólida, quando a sua argumentação baseia-se em contra-ataques soltos sem fio orientador, na tentaiva de demosntrar que os professores também podem ser corruptos...
Caro amigo, não há profissão onde não exista corrupação, mas na sua (médico) existe merda, egos magnânimos, sentimentos de superioridades patentes em muitos profissionais ressabiados, e acima de tudo uma vontade imcompreensível em defender uma classe sem dignidade, vendida e rendida ao dinheiro... Tou-me nas tintas se o senhor é diferente dos outros ou não... Basta entrar no hospital onde os médicos chegam tarde e a más horas e cobram honorários indevidos...
O meu amigo que ao contrário dos jornalistas, acusa outros e nem dignidade tem para o fazer publicamente... faça-o!
Se eu fosse o tal senhor professor (se realemente o é) nem cá mais gastava o meu latim, neste blog impregnado de intrujice, hipocrisia e mentiras, pois realmente existe formas mais úteis e didáticas de gastar o tempo...
De facto e na realidade, este blog parace um clube de narizes empinados, ganaciosos e carentes de reconhecimento público...
Tenha vergonha sr. bloguista, tenha muita vergonha, pois há muito boa gente a rir-se alto e bom som das suas tentativas infelizes de limpar uma imagem há muito denegrida... e para quem diz que a argumetação dos outros é idiota, enfie um barreta e cubra-se de lama... pois leia nem o que escreve e como escreve e verá que aqui o idiota é o senhor... Continue, pois é do espectáculo pimba que o povo gosto e o meu amigo também gosta de dar...
E lembre-se, porte-se como um homemzinho de deixe lá as birras de putos para o seu trabalho... Pois aparenta realmente isso...ser um puto!
Divirta-se! Dê mostras de sobriedade pessoal e profissional homem..!! Caia na real!! E peça lá à sua comandita de ajudantes para se calarem porque há gente que já aguenta tanta paneleirice...


R. Martins, Jornalista

R. Martins disse...

desculpem lá os erros, mas até escrevi rápido na esperança de não perder muito tempo neste antro de falsidade

Anónimo disse...

não são só erros... São contradições por todo o lado: "não tenho nada contra os médicos" para logo a seguir dizer "bando de arrogantes e prepotentes" e "profissão manifestamente corrupta"...

Quanto às horas de trabalho dos médicos, por acaso viu o livro de ponto deles para saber quantas horas trabalharam nessa semana ou qual o escalão pelo qual são remunerados no SNS? É que enquanto não souber isso, não pode dizer se ganham mto ou pouco.

E o senhor fala como se a classe jornalista em Portugal fosse extraordinária, um exemplo de boa conduta, profissionalismo e qualidade. Quando há jornais como o 24 horas ou o correio da manha ou telejornais como o da TVI, deve-se ter cuidado com o que se diz.

Luis C. disse...

CAro R. Martins,

Os seus argumentos em favor de uma crucificação de uma classe que se defende, tal como a sua, são muito eloquentes e perpicazes.

Assim como qualquer indivíduo, você vê o óbvio (segundo a perpectiva do comum cidadão) e defende aquilo que todos os impotentes defendem, a usurpação do poder que realmente necessitam, e que não podem obter meios próprios...

É uma sensação de impotencia e frustração que gere os seus argumentos. Ora, o senhor ou escolheu ou teve de ser jornalista. Tem o seu papel e o seu lugar na sociedade. Você já fez a sua quota parte para melhorar o nosso pequeno mundo?
É que eu nunca ouvi falar do sr... Mas fico à espera das suas provas de boas acções e defesa de uma melhor sociedade.

Já agora, diga-me lá se não olha para o seu umbigo todas as manhãs quando acorda, e acha que gostava de que ele fosse maior?

Isto é humano, e negar isto seria estupidez.
O ser humano procura vantagem competitiva, instintivamente, e neste caso obtem-se através do poder. Na nossa era, dinheiro é poder...

Julgue o que quiser, mas todos os homens são assim, e se cada um escolhe o caminho que traça, nem todos o traçam igual. O sr. não gosta de médicos?

Olhe, eu antes não gosto de políticos (que lhe vão ao bolso e mentem descaradamente, vivem à sua custa, e sem o sr. saber ainda se riem da sua ignorância e credulidade), de advogados, que lhe roubam na cara e fazem arranjinhos dizendo-lhe "está na lei", de ladrões, que matam sem criterio por meia duzia de trocos (esta a ver o dinheiro?), de traficantes, porque corroem os miudos e jovens desta sociedade transformando-os em grandes quantidades de nada potencialmente perigosa para todos nós, etc, etc...

Aqui vão umas verdades incontestáveis para si, cavaleiro defensor dos oprimidos (por inveja, supoe-se):

1- Quase todos os homens são corruptos

2- Quase todos os homens necessitam de sentir o poder

3- Todos os homens são ambiciosos

4- Os homens honestos nunca são falados

5- O escandalo vende, porque a inveja procura uma oportunidade de aproveitar a situação para tirar proveitos

6- uma mentira dita muitas vezes torna-se verdade

7- Os fracos não se esforçam por se tornar fortes, esforçam-se por "derrubar" os fortes,

8- O dinheiro ou o sexo mandam no nosso mundo

9- As injustiças são sempre compensadas por dinheiros...

Ora, e é neste ponto que eu digo e afirmo:

Viva a justiça! dinheiro é capaz de limpar tudo da alma, até ao mais infame dos crimes...

Se é neste mundo que a gente vive, deixe que lhe continue a dizer que é um mundo podre, os que detêm algum poder vão ser sempre axovalhados pelos miseráveis, quem prega e não pratica é um nada que não interessa nem tem futuro, a necessidade obriga e a educação de nada serve senão acompanhada de escrúpulos que cheguem para mandar à fava indivíduos como os senhores que só estarão bem um dia em que tenham dinheiro que chegue para lhes pagar todos os vícios, conseguido sem nada fazer...

Ora, hipocrita ninguem é! Os médicos cobram-se bem. Ãcha muito, vá a outro lado.

Acha que o nosso sistema de saúde e os profissionais são maus só porque cobram mais que o senhor? Espere até daqui a uns 5, 10 anos, e que sejam tomadas medidas pelos políticos para ver o que realmente é passar mal Sr. Martins.

Portugal era um bom país para se viver, se realmente a inveja e o chico-espertismo não proliferassem a olhos vistos. Mas, assim como o senhor há muitos que acham que aqueles que merecem o que ganham devem ser espoliados...Pois, deixe que lá cheguem os que dizem como senhor para ver o que é ser extorquido!!

Se todos tivessem principios, portugal era uma gtrande pais, mas como o que reina é o egoismo e a inveja, em todos os lados, o que vamos ter é literalmente um fim do mundo em algo semelhante ao Kosovo do pós-guerra. pois eu digo-lhes, os médicos vão ter de mudar em muito as suas atitudes, mas não é nada que seja bom para ninguém, todos saem a perder, e como sabe, reza a história:

"Quem se lixa, é o mexilhão!"

Por muito que eu gostasse de continuar a dar a outra face a todos os cépticos tentando explicar o porque de as coisas serem como são, o raio do argumento do dinheiro e da arrogancia sai sempre ao de cima, é mais forte que vocês, portanto só há uma atitude possível, desenrasquem-se!!

A ver quem sai, não a ganhar, mas sim a perder menos... ...tolos ignorantes!!

Raúl R Boldão disse...

Para os médicos, todos os outros são invejosos e gostariam de ser médicos. Já pensou que nem todos querem ou desejam ser médicos... É da sua parte uma manifesta atitude de egocentrismo médico pensar que tudo gira à sua volta...
De facto os srs. doutores até gostam de pavonear o seu lado catita e simpático... que se inverte rapidamente quando passam de abusadores a abusados...
De facto o R. Martins tem a sua razão... um "blog" deste calibre grandioso (ou não fora concebido por um médico) ataca jornalistas sem piedade...
Ainda mais surpreendido fiquei, quando o MEMI, que passa os seus dias a incentivar a denúncia dos médicos prevaricadores, vem defender o "oprimido" burlão Rui Frade... Tenha compaixão!´
Por fim, caro amigo, se quer que vigore no seu blog a autoridade salazarista, deveria dize-lo frontalmente, ou seja, quer quer eu me vá embora e seja o meu caro a ficar com a bicicleta (embora que ferrugenta)...
Quanto à minha argumentãção como prof. universitário.... não estava à espera que aplicasse aqui (pela net) o método científico, pois não??

Medico Explica disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Medico Explica disse...

Medico Explica disse...
Oh Sr Dr Boldão, onde leu que eu defendi o Rui Frade? O sr parece que só compreende a linguagem popular, aqui vai: "o filho da puta do Rui Frade, médico licenciado é um cabrão de um usurpador, fez-se passar por uma especialidade que não tinha. Esse gajo apenas poderia exercer clínica geral e arvorou-se em psiquiatra. O cabrão do gajo com tanto jeito para mentir até conseguiu enganar o Daniel Sampaio, com quem trabalhou. Mas fodeu-se e foi apanhado. Repito para quem só entende esta linguagem vernácula, como o sr dr Boldão: condeno o médico Rui Frade que enganou milhares de pessoas, deveria ser preso e pagar pelos actos. O filho da puta ainda se pavoneou pelos tribunais. Mas esse gajo não é o exemplo da profissão.

8:23 PM

Anónimo disse...

Ó SR. AUTOR DO BLOG, SE NÃO SABE SER EDUCADO, AO MENOS NÃO FALE DO QUE NÃO SABE...

Luis C. disse...

Sr. Boldão,

Acho que é mais do que consentâneo que as discussões neste blog são como a pescadinha de rabo na boca: inciam-se e progridem até encontrar o ponto de partida! (o dinheiro dos médicos...)

Isto não é sinal de que quem se defende é egoista, egocentrico ou o que quer que seja! Isto indica que os senhores que lançam os problemas, ou não percebem as respostas e as explicações fornecidas ou então estão-se mas tintas para as explicações e querem mas é "deitar abaixo" pela força de acusações de injustiça e desonra!

Ora, como eu acho que os médicos que aqui argumentam são os bons e argumentam razoavelmente bem, parece-me por demais exagero ao final de "n" posts voltar a lançar as mesmas discussões, NOS MESMOS TERMOS!! Não estavam atentos ou não quiseram perceber?

Então, já que as explicações racionais e coerentes não serviram, tentamos de outro modo esclarecer estes senhores, o qual é, meter cada um no seu lugar e chamar as coisas pelos nomes.

Se não perceberem, a força das evidências levará a luz a vossas casas em breve!!

Ora, vamos lá esclarecer estes pontos:

Invejoso: é aquele que não percebe patavina do que diz ou das acusações que faz, mas acha que o problema se resume ao dinheiro ganho pelo visado, em excesso. Esse individuo e todos os outros acham que, neste caso os médicos, ganharem menos resolvia o assunto da saúde em Portugal! isto passava pelos médicos não terem bons carros e terem grandes empréstimos para pagar, trabalharem o tempo que os senhores entendessem, sem serem ressarcidos devidamente, pagos a preço de empregada domestica, etc... Aí sim, a saúde e o funcionamento das instituições sofreria dum upgrade milagroso, onde todos os problemas desapareceriam. Só não desapareceria a doença e a mentalidade dos portugueses, que por ser baratucho ir ao médico pensavam que podiam ligar a mandar bitaites como fazem como cabeleireiro ou esteticista, que queriam que trabalhassem a seu bel-prazer e conveniencia... Só tenho um adjectivo: "idiotas!" (este não é gratuito, é chamar as coisas pelos nomes!)

Não, a medicina tem regras e normas a seguir, e os médicos são homens e mulheres que tem os mesmos direitos que os outros!

Eu não digo que todos querem ser médicos, digo claramente que os senhores que se manifestam sob estes argumentos gostavam de ganhar como os médicos, sem saber o que isso implica...
Queriam ter o mesmo que eles, porque acham que não são mais que os outros...(isto é inveja, ou conhece outro adjectivo que classifique este tipo de comportamento?)

Egocentrico: aquele que acha que é o centro do mundo. Ora, se considerarmos que a nossa vida é o nosso mundo, o nosso local de trabalho é o nosso mundo, e há um mundo que depende de nós, pois muito bem, quando defendemos a nossa posição e o nosso "way of doing things" nesse mundo, estamos mesmo a ser egocentricos e até podemos tornar-nos salazaristas!! Que se dane, se os senhores não compreendem o porquê das coisas, também não irão saber resolver os problemas.
Resumindo, tem que se reduzir ao que são nesta matéria da medicina, que é serem uns autênticos leigos.
A gente responde, não acreditam! Os jornais escrevem sobre falcatruas e notícias sem veracidade confirmada, é um dogma! Sinceramente, espera que alguém que tem dois palmos de inteligência se curve perante essas posições irracionais e desprovidas de conhecimento? Isso era caminhar para o abismo...

Por isso é que a democracia tem um ciclo alternado com a ditadura. É necessária para colocar os incompetentes no seu lugar e trazer de volta o equilíbrio, pois a sociedade nesta trajectoria acabaria por autodestruir-se... Não gostam, pois continuem a batalhar nestes termos e a perseguir estes objectivos destrutivos e verão o que é bom para a tosse... Já nos faltou mais, aguardem uns anos e vejam o desenrolar dos acontecimentos!! por isso lhes chamo tolos e ignorantes, porque muitos como vocês levam uma sociedade à autodestruição! Está escrito na história, e a história repete-se a cada ciclo de aproximadamente 500 anos...

Se querem discussões profícuas, falem como deve ser, não seja intolerantes e esgrimam argumentos com conhecimento de causa e não senso comum, que o senso comum está errado 99% das vezes!!!

Os senhores não gostam de médicos assim e assado, pois não contribuam para isso! louvem os bons e esqueçam os maus, isto sim era uma atitude inteligente...

Raúl R Boldão disse...

Prezado amigo,
ao inverso do que a sua deformada percepção, eu manifesto irritação face aos médicos, como juízes, como professores, como engenheiros, etc, como de todos aqueles que prevaricam. Por ser lógico, e por este ser um blog tendencialmente médico, venho para aqui falar de médicos. Noutros blogs, falo de outros que não médicos. Curioso é o facto de que todos os profissionais (engenheiros, professores, etc…) adoptam isto como críticas (vigorosas) à sua profissão, os médicos assumem estas malsinações como… inveja. Ora a partir desta lógica de pensamento, podem-se tirar algumas elações, quanto à personalidade egocêntrica de alguns membros da vossa classe, além de ser desengraçado, “mal-parecido” e emproado pressupor que toda as pessoas deste planeta têm um desejo último que é ser… médico! Absolutamente piroso.

As discussões que se iniciam muitas vezes aqui, convergem sempre para o mesmo tema (dinheiro). Talvez porque um dos grandes problemas da classe médica seja o vil metal. Ouvem-se várias histórias: médicos que exploram utentes, médicos que cobram indevidamente, médicos fogem ao fisco, médicos utilizam instalações públicas para exercício privado, médicos não cumprem horário para trabalhar no privada, etc… etc… A cada pessoa que se pergunte, obtemos sempre uma história menos abonável que envolve médicos… O mesmo não acontece TÃO frequentemente com outras profissões. Espero que cada vez mais seja uma preocupação de todos nós saber onde é empregue o nosso dinheiro…
É ridículo pensar que eu tenho inveja dos vossos dinheiros (até porque ao contrário de uma má percepção da minha pessoa que vos poderei ter proporcionado, eu não sou um indivíduo materialista ou que atribua valor exagerado ao dinheiro… Sou antes um dedicado à minha profissão. Faço aquilo que gosto e ainda por cima sou remunerado para isso…)!
Pelo rumo que a actual conjuntura económica apresenta, todos temos que pensar e repensar as nossas políticas! Um dos sectores que mais consome dinheiro do orçamento do estado é a saúde… É neste âmbito que gosto de imaginar para onde irão os mais de 1600 euros que desconto mensalmente (às vezes mais)…
Conciliando todas estas preposições é fácil perceber a minhas preocupações financeiras… não só com os médicos, mas também com os médicos.

É clara a tentativa hercúlea da vossa parte para defender a vossa classe. Não coloco nenhum óbice, mas defender com dignidade não implica atacar e difamar os outros. É uma atitude pouco louvável e arrogante. São estes comportamentos que ao contrário do que vós podeis pensar, afundam a vossa profissão., que mais do que nunca é divulgada nas televisões e os jornais pelos piores motivos. Penso que muitos destes acontecimentos advém de uma construção mental que muitos de vós operam, ao conceber os médicos como pessoas superiores com capacidades distinguíveis de todos os outros. Uma elite virtual. Claro que fechados no “vosso castelo” podem arquitectar o que bem entenderem, mas lembrem-se que o mundo cá fora tem uma opinião bem diferente de vós. E quando o povo carece de recorrer a vós, logicamente num momento fragilizado pela doença, tem de se subjugar (como alguém já tinha sobriamente admitido)… e é a partir dessa indigência dos outros que vocês de apoiam… há que considere parasitismo, eu pessoalmente, acho que acatam o vosso dever… Mas, quando as pessoas não estão doentes, manifestam outra lucidez e imparcialidade de pensamento… e nesses momento vós perdeis toda a vossa reputação e respeito!
Mas para que é que eu digo isto? A vossa auto-concepção magnânima não se vai modificar em virtude do que digo, por isso não escrevo mais.

Deixo aqui reiterada a ideia que a minha inveja por vós é a mesma que nutro pelos cantoneiros. São necessários e desempenham um papel na sociedade como todos os outros. É evidente que se o lixo se empilhar na rua, temos de nos subjugar aos cantoneiros… mas isso é outra história.

Anónimo disse...

Exmo MEMI

Está na altura de parar e respirar fundo, julgo eu.

Fica provado, e eu compreendo que tenha tentado, que isto de "discutir" só se consegue com quem sabe e quer discutir.

A acreditar que o tal Boldão é professor universitário, então nem digo mais nada, desista dos comentários e pronto.
Se não acreditar que a criatura tem o título que, sem vergonha, ostenta (muito graças à cobardia do anonimato), então está provada uma entre tantas fraquezas do meio que escolheu para "explicar" Medicina a "intelectuais".
Nesta segunda fase, claro, porque da outra (inicial), quem queria explicações vinha, lia, e depois fazia o que bem entendia com a informação.

Agora há que se debater com a brejeirice e a desinformação seriadas de meia dúzia de fulanos, que bombardeiam sem dó nem piedade o blog com calúnias e outras insanidades que tal, num manancial de formas de estilo que já deram origem a divertidas teses, e quem cá vem nos tempos que correm só pode ser para se divertir com a esquizofrenia dos Boldões, com a brejeirice de uns como o que inaugurou esta caixa de comentários, ou então com a sua impotência perante este curioso squash de argumentos contra o crânio oco destes todos.

Tudo bem, se a ideia for esta, acho de facto "entertaining". Só que não é para levar muito a sério, e quem começa "a sério" acaba sempre por descambar na brincadeira com o "jardim da celeste" que povoa o blog nos tempos que correm.

Eu já não respondo (seriamente), não vale a pena. Pelo menos aqui, há outros sites onde se discute Medicina.
Volte a elucidar os que o querem ser, e a filtrar esta tralha toda.

E a liberdade de expressão ficará para quando as "expressões" valerem a pena. Não se intimide nem preocupe com os gritos de desespero dos Boldões, que choram baba e ranho pela sua "liberdade de expressão", que gostam de falar com gente grande de vez em quando, e que terão que se pôr em bicos de pé noutra freguesia... eles sobrevivem.

Julgo que de uma maneira ou de outra, vai acabar por convencer-se disso. Faça-o antes que a sua paciência se esgote de vez, a bem de todos os que sempre gostaram do que aqui se posta.

AV

Luis C. disse...

A resposta que se obtêm das pessoas que fazem criticas sem conhecimento de causa quando confrontadas, de um modo inciso, com as suas incongruências, é uma posição de defesa justificada em lugares comuns. (que em nada se aproximam da realidade, como todos os médicos leitores deste blog devem ter reparado).

Este é o laboratório ideal para surgirem ideias que possam resolver os problemas práticos do nosso dia-a-dia como médicos, e ajudar a compreender as expectativas dos doentes quando a nós se dirigem, aproximando-nos das suas expectativas.

Fica provado que indivíduos cépticos, mesquinhos e sempre desconfiados até da mais nobre das pessoas e justificações (aqueles qe vão ter conosco a dizer o que têm e o que querem que seja feito, como se nós fossemos empregados de retalho), são prontamente colocados no seu lugar (à defesa e mais tolerantes, dando a vantagem da dúvida ao médico) quando usando de uma arrogância e manifestação expressa do conhecimento e poder que possuímos e que com cautela e prudência devemos utilizar, confrontando-os com a realidade da situação: os médicos somos nós, melhores ou piores, somos nós. Ainda há liberdade de escolha se não estiverem satisfeitos.

A teoria da prática religiosa de "oferecer a outra face" e tentar explicar racionalmente as coisas, efectivamente nalgumas ocasiões não serve! Este método aqui por mim utilzado deve ser um último recurso necessário em casos de força maior, com senhores como estes!

Ajuda a conseguir a adesão à terapêutica, a restabelecer a ordem natural da relação médico-doente, e a conseguir clarificar quais os problemas em causa...

O ser humano é imperfeito, e nós médicos,temos de saber mais psicologia que os psicologos...

Os médicos tornam-se arrogantes com o passar do tempo, porque este é um meio de defesa e controle das pessoas que a eles recorrem... Imagine o que seria deixar-se levar por todas as centenas de milhares de pessoas que recorrem ao médico sem nenhuma patologia orgânica que o justifique, pedindo isto, aquilo ou o outro!! temos que ser rápidos, claros e convincentes...

Quanto ao que de mal vai na medicina, digo aos que forem capazes de perceber (caso algum dos responsáveis leia este post): o mal está no método de selecção dos álunos de medicina!! Para este ramo melhorar, só devia cá entrar e trabalhar quem pode intelectualmente e quem realmente gosta do que virá a fazer...(testes psicotécnicos, barragem no meio do curso a indivíduos sem o perfil apropriado, necessidade de apresentar trabalho e mérito no decurso da carreira para evoluir)Hoje em dia seleccionam-se mais indivíduos que gostam de dinheiro e não da medicina!! (Sr. Boldão, todo a restante conversa que possa imaginar, para resolver este problema, não tem interesse nem utilidade nenhuma resultando num beco sem saída! Por isso as discussões consigo e com todos os outros sobre os salários, são chatas e aborrecidas, sem utilidade nenhuma para nós)

às pessoas que estão descontentes com os médicos: se estão descontentes, não os frequentem, não os publicitem, não se submetam! Solicitem com educação todas as explicações pretendidas, e se não estiverem de acordo peçam 2ªs 3ªs eaté outras opiniões!!´É este o método a seguir, enquanto o problema de base não se resolve!

A todos os bons praticantes, os meus cumprimentos. Aos maus praticantes, resta aguardar o futuro, e aos candidatos a medicina:
se realmente não gostam da medicina e gostam de dinheiro, procurem outras áreas como biotecnologias, informática, robótica, engenharia, gestão, marketing, turismo, finanças, etc, porque dão muito mais dinheiro com menos horas de trabalho e preocupações!!

Aos senhores sabe-todo o senso comum que por ai existe, 99% das veze estão errados, e, se não tem solução para os problemas, não passam de miudos chatos e embirrentos que não adiantam nada para além de saturar as pessoas e fazê-las perder a vontade de trabalhar para melhorar as coisas!!

louvem os bons, ignorem os maus!

Para os "pirralhos rabugentos" isto não entra na cabeça, mas é muito mais eficaz do que atirar pedras...

Anónimo disse...

"O ser humano é imperfeito, e nós médicos,temos de saber mais psicologia que os psicologos... "

- Só pode ser para rir. Mais uma vez sentado na ponta do seu nariz deve ser tão grande como o ego! Os médicos são os supra-sumos de toda a inteligência, não?


"se realmente não gostam da medicina e gostam de dinheiro, procurem outras áreas como biotecnologias, informática, robótica, engenharia, gestão, marketing, turismo, finanças, etc, porque dão muito mais dinheiro com menos horas de trabalho e preocupações!!"

- A anedota do ano! Nem os Gato Fedorento conseguem melhor! O que o meu amigo quer dizer é que na medicina é que se trabalha, é que se cumpre, é que se sabe... o resto é paisagem! Não seja murcão!


"Quanto ao que de mal vai na medicina, digo aos que forem capazes de perceber (caso algum dos responsáveis leia este post): o mal está no método de selecção dos álunos de medicina!! Para este ramo melhorar, só devia cá entrar e trabalhar quem pode intelectualmente e quem realmente gosta do que virá a fazer..."

- Realmente o sr. deve ter um problema sério de ego!



Venho aqui ao site porucas vezes (ainda bem), porque só se diz merda. Uns atacam com merda outros defendem com merda. Que ataca não tem muito juízo, mas quem defende fazem paródia nacional!
Ó professor cabe lá com essa merda, para ver se os caralhos dos médicos se calam de vez, porque realmente são uns cabrões de uns santos... Foda-se lá que ainda não se lembrou de elevar os médicos a santos... São uns filhos da puta de uns inocentes... uns piralhos que falam, falam, falam e não dizem a ponta de um corno.
O professor ataca, ataca, ataca, e nem fode nem sai de cima...
Este site mete nojo...
Pode ser que seja desta vez que o sr. que gere esta espeluca se lembre do voltar a apresentar aquelas merdas de post, umas autênticas secas do caralho, para ver se esta pocilga de blog vai ao sitio...
Porque senão temos que andar aqui à apanhar um enfadanço do caralho.

P.S. Ó AV, vai-te rindo da esquizofrenia dos outros, que tu também tens muito paleio e pouca inteligência... Se fosse a ti borrava a minha cara com merda e saia de uma vez dos blogs onde só andas a causar mau aspecto e a hilariar toda a gente! és literalmente um murcão!

Anónimo disse...

Categoria! :-)
Isto é a prosa bonita de mais um adepto boldaniano, com nível a condizer.
Muito "entertaining", muito "entertaining"....

AV

Anónimo disse...

Medico Explica disse...
"Oh Sr Dr Boldão, onde leu que eu defendi o Rui Frade? O sr parece que só compreende a linguagem popular, aqui vai: "o filho da puta do Rui Frade, médico licenciado é um cabrão de um usurpador, fez-se passar por uma especialidade que não tinha. Esse gajo apenas poderia exercer clínica geral e arvorou-se em psiquiatra. O cabrão do gajo com tanto jeito para mentir até conseguiu enganar o Daniel Sampaio, com quem trabalhou. Mas fodeu-se e foi apanhado. Repito para quem só entende esta linguagem vernácula, como o sr dr Boldão: condeno o médico Rui Frade que enganou milhares de pessoas, deveria ser preso e pagar pelos actos. O filho da puta ainda se pavoneou pelos tribunais. Mas esse gajo não é o exemplo da profissão."

Olha, a linguagem é semlehnate a esta, estás a ver ou não saves ler... AV, conheço-te de gingeira e sei que que os neo-fascistas como tu, têm sempre alguma merda para rispostar... por isso és tão bem visto para os lado do alentejo... nem as moscas pousam em ti...
Vê lá se te mordes, ainda te envenenas sozinho... és médico? quero que te fodas.
Este comentário vai ser removido pelo "médico complica"? Que se foda... se não for é para toda a gente saber o estilo de pessoa que és... um surrealista que raiaos limites da estupidez!
Vê se sabes ler estúpido (aliás sempre foste burro na escola secundária), não sou afvaor de ninguém, nem de ti nem do merdoso que se diz professor... só estava a tentar ser eloquente suficiente para ver se esta palhaçada acaba.. Pois existem duas certezas: tu, AV, és um ignorante que só andas a fazer figura aqui neste planeta, e os médicos são os cabrões que nos roubam a torto e a direito,e ainda por cima se riem de nós nestes blogs cavaquistas de merda... Pode ser que na próxima vez que te vir passar te ofereça uma lapada no meio dos olhos... faz um favor à malta: desapareçe que metes ranço! Fastio! E leva contigo esse professor que andas sempre a tagarelar.... de uma vez por todas: desapareçam!!!!

p.s. alguém tem alguma coisa contra os jornalistas,
é? Bando de...

Luis C. disse...

Caro anónimo,

Tens tanto valor como a "pirisca" de um cigarro. Além de energúmeno, és um bom português, pois conheces a língua na sua vasta profundidade.

Pois eu tenho o nariz empinado e posso tê-lo, tenho motivos e razões para isso.

Sem mais,

Anónimo disse...

Não tente ir contra a sua natureza cobarde. Dar-me-ia uma "lapada"? E o seu anonimato ia-se desta para melhor? Não diga disparates, correria o sério risco de se desintegrar de seguida. Fique-se lá pela tasca por onde se deve arrastar, antes de poluir os chats da net.

Mas se me conhece, sabe que estou sempre aberto a discussões... abertas. Chama-se ecletismo, empatia, o que quiser. E eu, como bom profissional, tenho "disso" com fartura.

Um abraço ;-)
AV

Luis C. disse...

:)

Bem, adquirindo um tom mais didactico, porque o nosso papel é levar a luz a escuridão, já reparaste no seguinte, caro anonimo:

"se realmente não gostam da medicina e gostam de dinheiro, procurem outras áreas como biotecnologias, informática, robótica, engenharia, gestão, marketing, turismo, finanças, etc, porque dão muito mais dinheiro com menos horas de trabalho e preocupações!!"

Se puseres aí o tico e o teco a trabalhar, percebes que isto significa que:

um bom profissional da medicina deve ser trabalhador, ter espirito de sacrificio e bom perfil psicologico (paciencia, para leigos).

Ora, isto não significa que é so na medicina que se encontram estes profissionais!! Significa que aqui são necessarios este tipo de trabalhadores, para que haja melhorias e bom funcionamento.

Há quem saiba mais e trabalhe muito mais que nós, e dou o exemplo dos cientistas (ainda que poucos)!!

Este é um problema de português da tua parte, e se não estas à altura contêm-te, porque o mais provavel é vires a dizer asneiras!! Há maneiras e maneiras de fazer má figura, mesmo que sob essa capa de anonimato, não poderas de te deixar de sentir um bocado ridiculo...

Juizo pequeno!

Luis C. disse...

Já agora, sabem quanto ganha por dia um médico substituto na Inglaterra? lol..

É por isso que nem vale a pena discutir...

600 libras/dia por 7 horas de trabalho... Façam contas amigos!

Luis C. disse...

Bem, para não deixar que se amotinem sem esclarecimentos...

Médico substituto é igual a tarefeiro, ou seja, o escalão mais baixo da hierarquia!

Raúl R Boldão disse...

Em relação ao sr. Anónimo que chegou cá um pouco nervoso, nem comento as suas afirmações contra a minha pessoa. Se sou ou não professor (coisa que pelos vistos incomoda algumas pessoas aqui), o problema é meu e não seu. E fico por aqui. Espero que perceba e compreenda estas quatro linhas.

O Sr. Alfredo Vieira, que eu muito estimo e tenho uma relação muito peculiar (apesar do referido me indiciar frequentemente como esquizofrénico), gosto dele porque é um homem sério e honesto, além de - e isso não se põe em causa - absolutamente modesto (“Mas se me conhece, sabe que estou sempre aberto a discussões... abertas. Chama-se ecletismo, empatia, o que quiser. E eu, como bom profissional, tenho "disso" com fartura.” (Vieira, A., 2006))!
Um verdadeiro homem aberto a discussões abertas! Sigmund Freud teria certamente umas certas ideias para si e para esse seu comportamento pouco ortodoxo.
Bom, como eu de vez em quando tenho de dar umas explicações ao Sr. AV (sem fins lucrativos, registe-se!), aqui vai mais uma (não, não está relacionado com o Popper): explique-me lá o é que é o ecletismo! O que muito provavelmente gostaria de referir era eclectismo, o que é bem diferente. Eclectismo, advém do grego eklektimós, e é considerada uma tendência filosófica de convergência, e mais não digo, porque não sou pago para tal. Mas, quando quiser ser pomposo, pelo menos tome cuidado com o que escreve, nunca se sabe que anda por aqui a ler. E depois não diga que não sou seu amigo (não lhe cobro pelas explicações!)…
Sabe, nós os professores universitários servimos para nada, não fazemos coisa alguma, e somos pouco abonado em termos intelectuais, mas sempre vamos dando umas explanações aqui, umas elucidações acolá… mas tudo com calma… Ainda por cima agora, que temos um senhor anónimo um pouco arreliado com a vida, que nos agride verbalmente! Mas sempre estou descansado e seguro aqui no blog, pois tenho sempre aqui ao meu lado o Alfredo “Scharzenegger” Vieira que segundo diz “Não diga disparates, correria o sério risco de se desintegrar de seguida.”…
Fiquei a pensar no que seria esta desintegração… mas como de problemas de desintegração atómica no domínio quântico o Sr. Alfredo Vieira deve ser uma “nabiça ao quadrado”, deduzo que se refira a uma “tareia” ao dito agressor… Daí que brevemente teremos um duelo em defesa da honra pessoal de El-Rei D. Alfredo Vieira!
Nós os “esquizofrénicos” também temos sentido de humor!

O Luís C. (ex-bom rapaz), também está na corrida do título. Segundo o meu caro “o nosso papel é levar a luz a escuridão”… Einstein que foi laureado com o prémio Nobel pela teoria do movimento browniano, e não pela teoria da relatividade como muita gente pensa, ficaria espantado com essa sua concepção das ondas/partículas electromagnéticas a que chamamos luz… mas o que é que percebe Einstein? Ele nem sequer era médico! Sim, porque segundo o que li, o papel dos médicos é fazer com que as ondas/partículas electromagnéticas se propaguem no escuro (anti-matéria??)… Ou então quer dizer que levam as pessoas a alcançar algo pouco perceptível… Muitas vezes esse algo pouco compreensível é o preço de uma consulta médica… embora reconheça que os médicos portugueses são severamente “roubados”, pois os do Reino Unido ganham 600 libras em sete horas…
Bom, mas também se eu tivesse quatro rodas era um automóvel, estão a ver a lógica?
O Luís para nos descansar um pouco, teve a amabilidade de nos “iluminar”: “Bem, para não deixar que se amotinem sem esclarecimentos...
Médico substituto é igual a tarefeiro, ou seja, o escalão mais baixo da hierarquia!”…
Assim já durmo melhor esta noite… Mas espero que esta notícia não seja divulgada, pois prevejo fortes motins e movimentos rebeldes nos próximos tempos… Se o Sócrates sonha com isto, temos o caldo entornado.!!

E como um certo anónimo disse: “E leva contigo esse professor que andas sempre a tagarelar....” Por hoje fico por aqui. Não tagarelo mais.

Anónimo disse...

Ecléctico no sentido de versátil, Sr. Boldão. E foi mesmo erro ortográfico, e não confusão com acordos além-mar ou pressa a escrever, pode-se regozijar, leva a bicicleta desta vez.

Quanto à "modéstia", isto daria azo a uma longa dissertação do que penso sobre o exercício, mas este nem é o lugar, nem S.Exa é o interlocutor adequado. Deixo-lhe a liberdade de interpretação livre, até nem anda muito longe da verdade no assunto.

Quanto à sua esquizofrenia, já lhe disse que não sou Psiquiatra, tenho noções vagas na matéria, mas detecto-lhe um traço bipolar, não entre mania e depressão, mas talvez entre raciocínio e delírio.

Quanto a professores universitários, não vire o bico ao prego, aqui ninguém disse genericamente mal de classe alguma, apenas de si em particular (exercícios sobre boldanianismo à parte).

Quanto às minhas capacidades físicas, agradeço-lhe a amabilidade, mas não uso a net para me metamorfosear. E caso não tenha percebido, a tal criatura não existirá nunca na minha vida (fisicamente), o exercíco literário baseou-se nesse princípio. Que é óbvio, neste caso....

Por último, explique-me lá neste seu aparente período de lucidez, porque é que o que se passa na vizinha Espanha lhe serve de termo comparativo, e o que se passa no Reino Unido já pertence a outra galáxia?

Quanto à questão dos tarefeiros indiferenciados, o Sócrates não se esqueceu deles, o Sócrates vive deles, para assegurarem Urgências por este País fora. E, tal como no Reino Unido, são pagos à hora muito melhor do que os profisionais do quadro, por sua vez diferenciados. Trabalham quando querem, com menor responsabilidade em todas as decisões que se tomam, e vivem do "tarefeirismo" porque isso é sem dúvida a maneira mais rentável de se viver da Medicina em Portugal.

Como vê, se abrir as orelhas, até aprende umas coisas também. Na próxima evita um disparate sobre este tema. Bem sei que é uma gota no oceano, mas lá diz o Luís C., gota a gota....

Um abraço do seu estimado
AV

Raúl R Boldão disse...

"Por último, explique-me lá neste seu aparente período de lucidez, porque é que o que se passa na vizinha Espanha lhe serve de termo comparativo, e o que se passa no Reino Unido já pertence a outra galáxia?"

Não. Não era lucidez.
Leia bem o que está escrito e interprete (se quiser). E pense bem porque está escrito daquela e não de outra maneira (se quiser). Tem que começar a aprender a "puxar" pela cabeça (se quiser)...

P.S. Sabe quanto é que aprox. são 600 libras convertidas em Euros?

Raúl R Boldão disse...

Sobre este assunto, e sem grandes brincadeiras ou ironias, pedia a vossa interpretação sobre o excerto que se segue. Versa sobre os vencimentos de médicos tarefeiros em Portugal e foi retirada do site da faculdade de ciências médicas de lisboa (http://www.fcm.unl.pt/NoticiasAsp/VerUma.asp?Noticia_ID=2380), mas tem por base um notícia do expresso. Um pequeno comentário, p.f.


"Médicos a preços de saldo


A Ordem dos Médicos diz que é «inaceitável» que os médicos aceitem trabalhar em «condições indignas»
Tudo começa por um anúncio, que se descobre num jornal espanhol: «Precisam-se 25 médicos para trabalhar em Portugal». Foi assim que Juan e Jeanete, ele natural da Galiza, ela colombiana, entraram no mercado de trabalho nacional.


Responderam ao anúncio e descobriram, do outro lado da linha, não o representante de uma instituição pública - um hospital ou uma ARS, a tentar colmatar a falta de recursos humanos - mas o nome de uma empresa privada, a precisar de gente para cumprir contratos de prestação de serviços de saúde» em hospitais públicos.


A Juan e Jeanete foi a Semeno que abriu a porta para o trabalho em Portugal. Mas a Semeno é, hoje, só uma das muitas empresas de subcontratação de médicos e enfermeiros que operam no país. Esta empresa - que se afirma pioneira neste modelo de prestação de serviços de saúde - tem, só à sua conta, contratos com seis hospitais públicos, onde os «seus médicos» cumprem turnos nos serviços de Urgência. Mas também a Urgimédica, a Clinévora ou a Medifiel, entre várias outras, estão no mercado, consolidando uma «linha de negócio» no sector que pode mudar quase tudo na prestação de cuidados de saúde. É essa, pelo menos, a convicção de quem começa a sentir na pele os «efeitos adversos» deste negócio: «Antes era só o Estado que estava entre o médico e o doente. Mas estes novos intermediários afastam-nos ainda mais dos doentes. Caminhamos cada vez mais para uma maior desumanização da Saúde», afirma o sindicalista Carlos Arroz.



16,7 euros à hora



Juan e Jeanete, respectivamente com 34 e 45 anos, explicam a situação do mesmo modo: «Em Espanha não há trabalho. Aqui, deram-nos a oportunidade de escolher turnos e de trabalhar o tempo que quiséssemos».



Num dos seus contratos, a hora é paga a 16,7 euros, para um horário de 42 horas semanais, a cumprir, durante 12 meses, num dos hospitais SA da região Norte, sem deduções fiscais nem segurança social. «Pagavam-nos bem» - diz a colombiana, que entretanto já deixou a empresa - «muito melhor que em Espanha». Mas em condições que pouco se comparavam às dos colegas portugueses, ao lado de quem Jeanete foi trabalhar: afinal, horários de 42 horas só têm os médicos em dedicação exclusiva, que, por terem optado por esse regime de trabalho, têm um reforço salarial de 60%.



Segundo informações recolhidas pelo EXPRESSO, os contratos entre empresas de «prestação de serviços de saúde» e os hospitais destinam-se, em quase todos os casos, a executar trabalho de triagem na Urgência e nos SAP (serviços de atendimentos permanente) dos centros de saúde.



Os médicos são todos estrangeiros (salvo raras excepções nas empresas que operam no Alentejo): espanhóis, brasileiros, colombianos, PALOP, ucranianos e até já surgiu um sírio, num SAP da região de Évora. Sujeitam-se a condições de trabalho mais precárias, ordenados mais baixos do que os da tabela da carreira médica e a horários pouco regulares, como denunciaram várias vezes os sindicatos do sector.



Jeanete diz que «preferiu assim» - não ter grandes compromissos, para poder continuar a investir na área da sua especialidade, a cirurgia plástica, de que dá consultas privadas em Espanha. Mas Juan só aguentou até ter descoberto que fora ultrapassado por «novas circunstâncias»: «Uma noite, estava a trabalhar na Urgência com uma colega, recém-chegada de Espanha, e descobri que ela ganhava, por hora, mais dez euros que eu». À primeira oportunidade, pediu ao dono da empresa para ser «aumentado» mas não conseguiu. Por isso, despediu-se e voltou ao ponto em que estava quando respondeu ao anúncio."

Anónimo disse...

Nada de extraordinário na notícia, Sr. Boldão.

O que quer exactamente que se comente?
Que a dedicação exclusiva não dá reforço salarial de 60%? Fica comentado.

Que uma grande parte (não tenho números, é uma impressão empírica) dos "tarefeiros" estrangeiros não são especialistas nos seus países de origem, mas sim colegas que acabaram lá o curso com 5 anos de duração, vs os 6 de cá, que não fizeram internato geral de 2 anos como os médicos de cá, e que se lançam em serviços de urgência e consulta em SAP's?

Não lhe sei dizer as percentagens de tabelas (o Luís C. saberá concerteza), mas posso-lhe assegurar que um médico em dedicação exclusiva com 42 horas semanais, das quais 12 horas são obrigatoriamente de serviço de urgência, ganha metade dos valores que adiantou para essa "tarefeira modelo" que escolheu apresentar.

Finalmente, esse preço/hora parece-me baixo para a realidade que conheço. Onde trabalho, o tarefeiro é (muito) melhor pago no serviço de Urgência que o próprio Chefe de Equipa de Urgência. Mas as realidades podem diferir de região para região.

Grosso modo, nada de muito novo nesta notícia, para quem trabalha no meio.

AV

Luis C. disse...

Bem,

Agora que a discussão encarrilou outra vez num tom informativo, já apetece voltar a falar seriamente.
Isto é, para aqueles que estão interessados em saber mais alguma coisa acerca dos "porquês" no mundo da medicina, e as suas problemáticas.

Sr Boldão, sabe que gastar latim com uma parede não e interessante para ninguém. A gente prefere o papel como meio de transmissão normalmente, porque sabe que alguém, algum dia, irá ler o texto com atenção e retirar daí algumas elações ou pensamentos. Ora, com imberbers não vale a pena ser sério...

Relativamente a:

"Levar a luz à escuridão" - é uma metáfora, que pode ser traduzida em, levar informação ao desinformado. Isto pode muito bem acontecer numa sala de aula, num consultório, num jornal, num noticiário, etc. É um modo mais simpático do que dizer a alguém que é ignorante na matéria. Eu, pelo menos, assim acredito...

Uma consulta médica é um pedido de opinião e ajuda sobre uma preocupação que afecta o doente. O doente pode recorrer porque se sente mal, ou porque receia que esteja mal. Ora, se alguém está mal, vai certamente precisar de um médico, do seu conhecimento e orientação para serolver o problema. Ora, neste caso, paga-se a opinião do médico, quer esta demore 1, 5, 10, 15, 20 ou 50 minutos a surgir e a ser elaborada (Os preços máximos das consultas privadas são fixados pelos colégios de especialidade...Os mínimos não, mas convêm é cada pessoa procurar onde é mais barato, se assim lhe convêm).
Ora, como é que o senhor sugeria que se pagassem as consultas?
-por se tem ou nao patologia? (e a opinião do médico não era paga?)
- pelo numero de patologia encontradas? (bem, isto era um disparate!)
- pelo tempo dispendido? (sabe que a duração de uma consulta depende do doente e da história do doente, quanto mais complexa, mais tempo!)
Ora, acho que estamos consensuais ao final de um tempo em que deve ter um preço unico estipulado. A pessoa deve recorrer só se acha que precisa, mas cada um sabe da sua cabecinha o que fazer...
P.s.- Hoje de manhã tinha horario estipulado para 12 consultas das 9h as 12h, mas estive das 9 as 2 da tarde a fazer consulta, porque em vez de 12 senhoras (cuja consulta demora bem mais do que 15 minutos, porque tem de se vestir e despir, ser examinadas, contar a historia, etc) vi 15, mais tres não oficiais (dar o jeito as senhoras). E estive no consultorio das 9 as 14h...(5h em vez de 3h). As senhoras, tinham as consultas mal marcadas, do género, havia 4 senhoras paras as 9h00min...Ora, nao se podem ver as 4 ao mesmo tempo, pelo que algumas tiveram de esperar 1h30... Claro que barafustaram, mas o problema é dos responsaveis das marcações (secretariado)! Não pude chegar a tempo ao bloco operatorio, atrasaram-se todas as cirurgias... Logo, esta a ver a preguiça, casmurrice e avareza do medico a trabalhar! É um problema mais complexo do que o relativo ao médico... Interiorizem isto! (Falta sistema informatico de qualidade, marcam-se demasiadas consultas no horário definido, etc...)

Os médicos ingleses são muito bons, trabalham muito, mas ganham mais de 4 vezes os nossos directores de serviço pelo mesmo horario que nós, com melhores meios, condiçoes, oganizaçao, e apoio...É uma maneira de lhes dizer, chega! Falta dinheiro na saúde, porque se não for pra mão de obra é para as infraestruturas, meios, farmacos, investigação, etc... A saude não para, e a gente em Portugal consome demais... os gastos em todo o mundo vão aumentar, e em portugal ainda mais! A gente cansa-se de pessoas como vocÊs, que em vez de formarem uma associação para comprarem material para os hospitais carenciados ou mais, passam a vida a dizer que os medicos estão ricos e não trabalham... Assim acontece nalguns casos, mas este é um pais livre e o senhor pode sempre pedir uma segunda, terceira e quarta opiniao e pedir justificações, se assim o entender! Mas tudo com educação senhor... Nada de berejeirices ou irracionalidade (acontece muito com pessoas analfabetas, por isso á que ha muita violencia). Estas pessoas não compreendem que se o pai teve um enfarte e morreu, a culpa não e do medico por estar la ao lado a tentar salva-lo e nao conseguir...Esta a ver o tipo de problemas que acontecem, e não aparecem nos jornais???

Ora, os tarefeiros contratados por empresas, é porque o querem. Os hospitais fazem contratos individuais! Os hospitais pagam de 35 a 70 euros à hora ( que é o que as empresas recebem)a tarefeiros para assegurar urgencias em que acorrem 200 e 300 pessoas que estão com febre e espirraram no inverno... Ora, porque é que não reclama com essas pessoas? Não, é mais facil culpar os que estão la a trabalhar... tem nomes ou uma classe contra a qual se dirigir, não é?

Eu ganho 7,5 euros a hora extra! Nos fins de semana, duplica!! Que roubo aos bolsos do estado...

O senhor sabe o que é ter 20 fichas de pessoas para ver num cesto e a chegarem ao ritmo de 1 por 5 minutos, sabendo que cada observação bem feita não demora menos de 15 e a despachar 10 minutos? Sabe o que é... não, porque não estao do lado de ca! Estao do lado de la, numa sala com gente a volta que so tem paciencia para esperar na igreja!! malfadada classe médica...Nós adoramos trabalhar nestas condiçoes, vamos para casa satisfeitissimos com o dia que tivemos... SAbe qual é a classe em que ha maior taxa de desiquilibrios emocionais e patologia depressiva? Não sabe, pois nao... E na qual se cometem um taxa elevada de suicidios?... tambem nao sabe, pois não...

Os médicos não sao roubados, nem roubam, sao pagos por aquilo que fazem... (nem todos senhor, não prepare o argumento daqueles que se parecem aos seus amigos!)

Sabe, o problema da saude é que é um bem que se consome... E há quem consuma demais!! Se for a privada, esta a pagar do seu bolso, mas no SNS pagam todos voces... Ora, se todos ensinassem as pessoas a não ser hipocondriacas e a recorrer ao médico so em caso de necessidade, podiam poupar muitos trocos em horas extras, e libertar muitos medicos para investigaçao e outras areas, como gestão, etc... Mas este é o pais que temos!!

E há medicos maus, sim senhor, mas se as pessoas são minimamente inteligentes, reclamam!! E pela força das reclamaçoes há-de mudar ou a pessoa, ou o trabalho que ela faz...

Diga-me lá como é que acha que devem ser os médicos (para acabar com estas tretas das arrogancias, vaidades, etc):
- burros/medios/inteligentes
- trabalhadores/preguiçosos
- diligentes/desinteressados/fazem apenas o que tem de fazer
- Simpaticos/antipaticos/empaticos
- amigos/empaticos/indiferentes
- Actualizados/desactualizados
- Empatas / tempo certo / despachas....

Quero que me responda, se possivel, para ver se nos entendemos como pessoas razoaveis que procuram respostas e nao guerras...

As guerras que fiquem para as discussoes do futebol ou outra coisa qualquer que não interesse!

Luis C. disse...

Mais um questão, que pode ser retórica, se assim o entenderem!

Um hospital tem 12 médicos, suponhamos obstetras. Cada equipa de urgencia engloba 2 elementos por 24 horas. Ora, então, façam-me ai uma escala em que não se tenham de pagar horas extra para ter o serviço a funcionar 24h/dia por 7 dias, 4 semanas, 12 meses, incluindo ferias dos elementos, folgas (sim, porque 48 semanas a trabalhar as 35h+24h=59horas sem folgas...nem os trolhas).

A prevenção é paga a metade da hora extra de presença fisica, suponhamos:

hora prevenção= 17,50€
hora presença= 35€

Vamos lá senhores, aceitam-se sugestões!!

Luis C. disse...

Ah,e sabendo que contratar mais dois medicos para garantir o 7º dia (não sendo necessarios para a restante organica do serviço custaria mais cerca de 4500 a 5000 euros/ mês x 14 meses)!!

É facil, não é?

Luis C. disse...

Como se pode constatar, a argúcia, a inteligência e o sentimento de patriotismo aqui expresso pelos mais acérrimos críticos da medicina e dos médicos do nosso País não produz nada de tangível!

Apenas críticas e impiedosas acusações de más práticas!!

Quanto a uma simples ideia, uma sugestão, algo de produtivo, ou até mesmo um simples, não sei... ...nem vê-los!!

Parafraseando alguns dos gestores do nosso afamado país: todas estas falácias caem pela base!! Não há nada de produtivo ou palpável por detrás das críticas!! Apenas sentimentos que já todos sobejamente conhecemos ou adivinhamos...

Anónimo disse...

A DELMINA SUBTIL É UMA PUTA