terça-feira, setembro 05, 2006

Por Falar Em "Baixas", Agora CITs

Um leitor reenviou-me esta mensagem:


----- Original Message -----
From: F G
To: M........@yahoogrupos.com.br
Sent: Tuesday, September 05, 2006 2:17 AM
Subject: Re: [M] Ainda as "Baixas"


Era uma vez uma miúda simpatica e divertida que sempre quis ser médica...
Fez por isso e resolveu que Coimbra é que era o sítio que lhe dava jeito.

Por lá andou os anos necessários para sacar o canudo....

Jogávamos muitas vezes às cartas, no bar, entre duas aulas ou em vez de
alguma delas a que não apetecia ir....

Terminamos o curso: ela foi à vida dela e eu à minha.. Nunca mais a vi
Soube que era MF lá para os lados de Abrantes..

Passados uns anos numa qualquer manhã ouvi ou li que uma Médica
tinha sido assassinada na região de Abrantes.

Lembrei-me que ela estava por lá .......

Era mesmo ela .. Morta no consultório com um tiro por causa de uma
"baixa" que entendeu não dever passar.

O marido daquela colega e os filhos que suponho tinha,
dificilmente terão compreendido em nome de quê é que foi dada aquela vida.

14 comentários:

naoseiquenome usar disse...

Veja-se, por comparação, sem indicadores da vida pessoal:
http://grandelojadoqueijolimiano.blogspot.com/2006/09/vanessa-sequeira.html#comments

Raúl R Boldão disse...

Esta história triste, tem como objectivo o quê? Desculpar as falsas baixas médicas? Demonstrar a coacção a que os médicos estão sujeitos?? E então como é que os outros profissionais se "desenrascam"??

É de certa forma indelicado da sua parte aproveitar este tipo de histórias para tentar argumentar um ponto de vista erróneo já desde da sua concepção inicial. Não é ético.
Este "meio" (argumentativo) não justifica o seu "fim".


O caro MEMI (tão anti-jornalista que é) começa-se a assemelhar ao sensacionalismo da TVI e companhia, fazendo uso de histórias sensibilizantes para promover os seus conceitos e ideias corporativistas.

Susie disse...

Caro Raúl, não percebe o quê da história? Se calhar não percebeu que o que é triste nesta história é que se mate por uma "baixa", que se faça o tudo e o nada para se ficar em casa em vez de de se fazer pela vida e esperar que alguém faça por eles. E se calhar não percebeu que de TVI a única coisa que esta história trás é a história da miséria humana.

Anónimo disse...

e depois? e aqueles cujas vidas se vão sem sequer uma atenção. e aquelas crianças que morrem por descuido de quem É PAGO...faça-me o favor.

Anónimo disse...

todos cometemos erros. todos podemos ser vitimas. era o que queria dizer.

Raúl R Boldão disse...

Susie, percebi muito bem a história. Usá-la como argumento é um pouco sensacionalista...
Esta história é um exemplo de miséria humana (tal qual a TVI apresenta)...

Raúl R Boldão disse...

Ou acha que é por acaso que esta história "aparece" neste preciso timing?

Anónimo disse...

Este tal Boldão tem um complexo de inferioridade do tamanho da Torre da Galp. mas duvido que se queira tratar, ao ódio que destila sobre os médicos! Que diabos há-os bons e maus, como em todas as profissões!

Anónimo disse...

Por acaso também não percebo o objectivo:

Será vitimização (vejam ao que nós, pobres médicos, estamos sujeitos)?

Será generalização (vejam só que bandidos são os doentes)?

Será algo mais críptico que esta pobre intelectual não atinge?

portuguessuave disse...

Seria algum funcionário público, despeitado com o Sr.Macariuo Correia, que preto no branco denunciou falsas baixas e a Ordem dos Médicos, de pronto solicitou provas? Sei e já vi de médicos que as passam..mas bons e maus profissionais, há-os em todas as profissões.

Anónimo disse...

... zzzzzzzzzzzzzzzzzz

Anónimo disse...

O valor da vida de um médico!
Que importam as outras vidas aniquiladas diáriamente?

Anónimo disse...

...

Anónimo disse...

Epá:
os FP (incluindo médicos, não?) vão precisar de CIT's para faltar, eheh!

AS