quinta-feira, dezembro 28, 2006

Isto Está Bonito!

Do Jornal de Notícias do dia de Natal, por Jesus Zing.

(parece qu'é uma espécie de ... prenda!)

"Ortopedistas contratados falharam Urgência do Hospital de Aveiro nas últimas horas

O serviço de Urgência do Hospital Infante D. Pedro, de Aveiro, não teve ortopedistas de serviço durante todo o dia de ontem, situação que se prolongou até às oito horas da manhã de hoje, segundo soube o JN.

Os dois ortopedistas contratados exteriormente pela administração do hospital para assegurarem o serviço da Urgência não apareceram ao serviço, obrigando a que os doentes que entraram na Urgência aveirense com problemas do foro de ortopedia tivessem que ser transferidos para o Hospital da Universidade de Coimbra (HUC), situação que a meio da tarde tinha já acontecido em cinco casos.

A contratação de uma empresa de fornecimento de mão-de-obra médica para fazer face à carência de ortopedistas no serviço de Urgência do hospital de Aveiro, levou a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM), recentemente, a considerar desastrosa a política do Ministério da Saúde de retirar "o justo pagamento das horas extraordinárias pela tabela máxima".

O presidente da SRCOM, José Manuel Silva, afirmou em comunicado que o serviço de Ortopedia do hospital de Aveiro, "que tinha um funcionamento modelar e sem lista de espera, foi destroçado".

"O facto de os ortopedistas do Hospital se verem obrigados a operar na rotina os doentes traumatológicos desorganizou todo o serviço interno do serviço, com o disparar de uma lista de espera que, até então, não existia", afirmou José Manuel Silva.

A lista de espera na ortopedia do hospital de Aveiro disparou desde Setembro passado, atingindo hoje 100 doentes, e com tendência a agravar-se, segundo apurámos.
O JN tentou mas não conseguiu ouvir ontem o administrador do Hospital, Luís Delgado."

P.S. Só não compreendo os critérios das maiúculas...

1 comentário:

daniel tecelão disse...

Resalvando a generalização;os médicos que tanto exigem o pagamento de horas extraordinárias,recusam serem controlados na sua permanencia nos hospitais.
Vai dar muito trabalho para desmontar estes corporativismos!!!