sexta-feira, dezembro 29, 2006

Porra! Hoje É Qu'eu Ia P'os Anjinhos!

E tudo por causa de um genérico!

Dedo em riste, apontado para a cara do médico (a minha), debruçado na secretária (ainda eu sorria desejando-lhe um bom dia), explodindo cólera e atirando-me com uma caixa de um medicamento:

- "Nunca mais me faça isto! O que eu sofri por sua causa!"

Resumindo e concluindo: tinha trocado um determinado medicamento de marca por um genérico, por sinal o único no mercado. E como habitualmente, após avisar e ter o acordo do doente.

Mas o mais importante nesta história é que o doente tinha razão, isto é, pelos sintomas que me descreveu, era óbvio que houve falência terapêutica que diminuiu bastante a sua qualidade de vida.

Enfim, sobrevivi...

11 comentários:

Anónimo disse...

Mas não era suposto haver estudos "sérios" de bioequivalência e biodisponibilidade?!?!?!
Ai ai ai que andamos a ser enganados!
CF

naoseiquenome usar disse...

Era suposto, como diz CF, pois era.
Na volta tratava-se de um similar e não um genérico, mas sob a capa deste.

J.F disse...

Mas o "genérico" é denominado pelo princípio activo.
Foi com o princípios activo que o médico aprendeu a relacionar os seus efeitos com os objectivos a tratar.
Que mal fez o MEMI?
Nenhum.
Qual a responsabilidade do MEMI?
Toda para o doente.
Então em que ficamos?
E se amanhã a um outro "MEMI" suceder o mesmo?
Ai ai!!! (como disse o CF)

Anónimo disse...

desculpem a correcção... não é O CF... é A Cf. E se não nos falarmos antes, um feloz 2007 a todos. (sem genéricos falseados)
CF

Anónimo disse...

bem... quem anda a tomá-los sou eu... FELIZ 2007
CF

Medico Explica disse...

Em concreto e porque alguns destes leitores são "cientificamente literatos": Hytrin 5 mg vs Terazosina Alter 5 mg, Consequências: o doente tinha os seus sintomas nocturnos de prostatismo controlados e com a mudança começou a levantar-se muitas vezes durante a noite para urinar. Por isso se revoltou porque lhe alterei os bons hábitos do sono, já diminuidos nos idosos. É apenas a observação de um caso, no qual há a coincidência temporal entre a mudança e o re-agravamento dos sintomas. Obviamente outras causas se poderiam apontar, mas não houve suspeitas clínicas...

Anónimo disse...

Não sei de facto a diferença entre generico e similar.
Entendo é que tal como JF diz, são moléculas, invariavelmente semelhantes, transportadas em excipientes que produzam biodisponibilidades semelhantes, e doses iguais.... ou será que estou errada? estou farta de tanta vigarice, acreditam?
CF

Mário de Sá Peliteiro disse...

Já notificou a farmacovigilânica do Infarmed?

A anestesista do Algarve vai agora a julgamento...

O Reformista disse...

E os sintomas voltaram a desaparecer com a reintrodução do original?

António Alvim

medicaquetambemexplica disse...

mas continua com o desplante de uma árvore fazer a floresta? ou o colega MEMI depois fez um estudo com validade para tirar as conclusões que tira?

eu só uso genéricos e digo-lhe que tenho tantos casos como o que conta, como tenho, aqui e ali, casos de pacientes que têm comichão com o paracetamol, tonturas com o betaserc ou disúria com as azeitonas. acho que devo publicar estes resultados?

Anónimo disse...

o grande problema é que se um professor se engana hoje, amanhã pode corrigir, um bancario ou outro qualquer... o médico não...:(