quarta-feira, fevereiro 23, 2005

A Viúva - Como Os Jornais Exploram O Sentimento

Comércio do Porto de 20 de Fevereiro de 2005.

Como SUSANA CARAVANA transformou um caso cheio de 'ses' numa notícia com este título:

"Família pondera processar hospital por alegado erro médico".

"Homem de 57 anos deu entrada no hospital com dores lombares e morreu duas horas depois de ter sido medicado" - conclusão da CSI-Lisbon liderada pela Susan Caravan - Foram os médicos! Foram os médicos!

Mas logo no primeiro parágrafo, o erro passa a negligência (pois, não esqueçamos - Foram os médicos! Foram os médicos!)

"Uma família do concelho de Barcelos pondera processar o hospital de Santa Maria Maior por uma alegada negligência médica. Em causa está uma injecção que os familiares suspeitam ter provocado a morte do doente em menos de duas horas após a entrada na unidade hospitalar".

…/…

"Eram cerca das 23h00 e ele deu entrada por volta das 21h20, foi tudo muito rápido", recordou Maria da Conceição.
Ainda em choque e sem entender o que se tinha passado, a viúva foi ainda surpreendida pelo inchaço exagerado do corpo do marido. "Quando fomos vesti-lo, verificámos que corpo tinha inchado de tal forma que nenhuma roupa lhe servia. Nem os fatos de treino XXL lhe serviam, teve que ir sem roupa. Não percebo isto porque ele morreu na quinta à noite e o funeral foi no dia seguinte. Penso que não havia motivo para tal".

Agora, a família aguarda o resultado da autópsia para determinar se vai ou não processar o hospital de Barcelos por alegado erro médico.


"Não houve negligência", diz hospital, mas o título é o que diz a viúva: “Alegada negligência médica




A viúva não tem culpa, ainda vai chorar muito, quando interiorizar a perda. Nessa altura a Susanita lá andará de caravana pelos hospitais do Norte, à procura de mais mortes. Qual ab

1 comentário:

Lenita disse...

Ao que as coisas chegam.
Mas as notícias são cada vez mais um "diz-que diz-que" terrível.

Cada vez menos se aceita o facto de que doença e morte, a dada altura, são inevitáveis. Os profissionais de medicina vêem-se confrontados com toda a revolta que os doentes e familiares lhes descarregam em cima. Uma injustiça. E a ajudar a esta mentalidade lá vêm esse jornalismo barato....

Cumprimentos da alemanha