quinta-feira, dezembro 25, 2008

Esteves, O Tal Jornalista Que Não Se Responsabiliza Pelos TÍtulos Dos Seus Artigos.

Este jornalista que por vezes passa por “este esgoto” sujou-se mesmol.

Leiam o parecer do Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas.

“REVISTA "SÁBADO" LEVA UM DEONTOLÓGICO PUXÃO DE ORELHAS

Na sequência de uma queixa formal do SIM ao Conselho Deontológico do Sindicato de Jornalistas, em Setembro deste ano, contra a publicação na revista Sábado de uma notícia escrevinhada por um tal Esteves e intitulada "Há médicos que agridem doentes nos hospitais" e que, por falsa e como tal pronta e liminarmente desmentida pela IGAS, se considera ofensiva para os médicos, recebemos a comunicação que pode consultar em anexo.
Destaque para que o autor da notícia declarou nos autos que escrevinhou o corpo da mesma mas deixou para alguém o título... profissionalmente brilhante... ou como se foge com o rabo à seringa…

Parecer do Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas.”

7 comentários:

Vera Carvalho disse...

Festas Felizes e um bom Ano de 2009; são os votos do Cogitare em Saúde...

Anónimo disse...

Obrigado ao MEMAI pela divulgação junto do público em geral desta ocorrência que é exemplar a vários níveis.

Como leitor atento do seu blog, dos posts e dos comentários, não posso deixar de o felicitar.

Pf continue, apesar de haver pessoas (?) que nutrem pelos médicos um ódio e um despeito, que a Psiquiatria sabe rotular, ...sem saberem distinguir a árvore da floresta...

Mas mesmo a esses Hipócrates nos diz que devemos acarinhar e tratar...assim o deveremos sempre fazer

Jorge Silva
Dirigente do Sindicato Independente dos Médicos (SIM)

Anónimo disse...

Sabem a diferença entre Deus e os médicos?

É que Deus sabe que não é médico! :)

Luisa_B disse...

Se os médicos agridem os doentes nos hospitais?
Não posso dizer isso porque só passei por 3 hospitais. Se considero os médicos que trabalham nas urgências dos hospitais "frios e distantes" isso sim, penso que será porque não se podem "envolver" com todos os pacientes senão ficavam talvez com alguma sindrome de sofrimento de cada um que vissem.

Posso afirmar,de quando estive internada para duas cirurgias e por um acidente em casa, foram médicos, enfermeiros, auxiliares, todo o pessoal até aos seguranças que mandavam as visitas para casinha, muito amáveis e de uma compreensão extrema.

Tenho um flho autista que tem pavor de hospitais e locais onde existam pessoas doentes até das farmácias, pois receia ficar com os virus e doenças dos ali presentes...
Com ele receio ir aos hospitais e que não o aceitem como é, não o compreendam,tenham pouco tempo e depois a paciencia necessária, mas isso é em qualquer lugar que se frequente, julgam, condenam e passam sentença...é assim que tem sido ao longo dos anos.Por isso prefiro apesar de poucos recursos ter, frequentar enquanto posso o privado para o poupar a mais stress do que ele já tem sofrido.

Portanto os outros "normais", acho que não devem dizer que os médicos agridem, a não ser que o mesmo tenha sido agredido.

Mas podemos ver que ao espetar uma agulha pode ser uma agressão :-) mas por norma são os enfermeiros que as espetam não?

Tembém se pode ser agredido verbalmente...mas nisso ainda confesso também ser sortuda pois só recebi elogios. Sorte minha!

Abraço e boa continuação de bons post's.

Anónimo disse...

Anónimo dixit:

"Sabem a diferença entre Deus e os médicos?

É que Deus sabe que não é médico! :)"

MAS MUITO BOA GENTE NÃO SABE QUE UM MÉDICO NÃO É DEUS...

Anónimo disse...

Peço desculpa, mas não pude deixar de reparar.
Existem aqui vários "posts" que parecem ter surgido no seguimento do tópico que discursa a remuneração dos médicos, essencialmente pelos comentários que foram tecidos no decurso desse tema.
Subitamente, passou-se à defesa e afirmou-se que os médicos são vítimas da ingratidão dos doentes e quiçá, da sociedade em geral. Ao mesmo tempo, o dirigente do SIM rotula tais pessoas como carentes de cuidados psiquiátricos.

A meu ver: não acham exagerado tais comentários, perante certos anónimos que se revoltam com certos (e não todos) sálários de médicos avultadíssimos, enquanto que, paralelamente, o dos seus doentes é uma miséria? Não deverá também haver um paralelo?

E espero que o senhor dirigente pense antes de falar. Afinal de contas, tem uma posição pública a defender, deveria compreender melhor a situação... Não acha?

Anónimo disse...

Ao anónimo sem nome e que em tal se refugia:

Apenas por respeito ao MEMAI lhe respondo sucintamente...

Ter uma classificação em termos de patologia psiquiatrica não é idêntico a precisar de cuidados psiquiatricos...desculpa-se aos leigos a generalização...

Pf não tente lançar poeira...

Falar de cor dá nisto... o prezado Anónimo deveria saber que as afirmações proferidas se reportam a médicos do SNS e que para ele vivem...não aos tubarões da Medicina (aliás alimentados por quem?)...
Pedia o favor de reter que falei em árvores e floresta...

PS- não darei continuidade a esta troca de picardias por respeito ao MEMAI..caso pretenda continuidade de troca civilizada de opiniões, queira fazê-lo através
dos emails do SIM.
Obrigado