domingo, outubro 26, 2008

Mais Uma Descoberta dos Jornalistas do Público...

 

 

"Centro Hepato-Biblio-Pancreático e de Transplantação do Hospital Curry Cabral, em Lisboa"

 

Provavelmente o Eduardo Barroso introduz livros dentro dos figados. Pode melhorar a iliteracia dos jornalistas.

11 comentários:

Menina_marota disse...

"...semanalmente, serão divulgados no item “Blogues em Destaque” (à direita da página), aqueles que pelo seu conteúdo ou carisma, chamaram a atenção da autora desta página."

É esta a mensagem que refere os motivos porque estão, semanalmente, 3 blogues em destaque...

Esta semana, a minha escolha recaíu no Médico Explica Medicina a Intelectuais, pelo muito que aqui tenho aprendido ( e não sou intelectual...)


Um abraço e continuação de bom domingo ;)

Anónimo disse...

Ora ora MEMAI...assim também não!
Vê-se logo que isto não é culpa do jornalista mas do revisor de texto!

Anónimo disse...

uhm...mas foi um pétáculo de biblio congresso o que os senhores fizeram...

Anónimo disse...

O pedantismo deste blogue é confrangedor. Tendo eu, jornalista, amigos médicos e conhecendo muitos médicos dignos de respeito e admiração, mantenho a opinião há muito formada de que demasiados membros dessa vossa classe vivem, essencialmente, da notoriedade que gerações e gerações de colegas construíram pelo ascendente que adquirem nos momentos de maior fragilidade dos seres humanos que vos procuram. Tantas vezes desumanos, falsamente escudados no pressuposto de que não podem envolver-se emocionalmente nos casos que vos caem nas mãos, primam com frequência pela irresponsabilidade profissional e são protegidos pelo mais sórdido corporativismo que subsiste na sociedade portuguesa.

Assina um responsavelmente anónimo.

Medico Explica disse...

Obrigado senhor jornalista responsavelmente anónimo por ler a minha pedantice.
Também eu conheci (o falecido Torcato) e conheço, jornalistas dignos de respeito e admiração, mantenho a opinião há muito formada de que demasiados membros dessa vossa classe vivem, essencialmente, da notoriedade que gerações e gerações de colegas construíram pelo ascendente que adquirem nos momentos de maior fragilidade dos seres humanos que vos procuram (compram jornais). Tantas vezes desumanos e desonestos, vendidos ao capital financeiro e à notícia fácil e balofa, falsamente escudados no pressuposto de que não podem envolver-se emocionalmente com as fontes, mas envolvem-se e de que maneira, pois o estatuto o permite, nos casos que vos caem nas mãos, primam com frequência pela irresponsabilidade profissional e são protegidos pelo mais sórdido corporativismo que subsiste na sociedade portuguesa: os jornalistas, que se auto-defendem e não se atacam porque são donos das notícias. E esta, hein!

Assina um responsavelmente anónimo.

Anónimo disse...

O "responsavelmente anónimo" é o Carlos Enes!

Ah ah ah!

Assina outro anónimo.

Carago disse...

Não estou a ver o Carlos Enes a fazer um comentário anónimo...

Carlos Enes disse...

Definitivamente não escrevo comentários anónimos. Para além de o não ter escrito, também não subscrevo o comentário acima.

É verdade que conheço muitos médicos, como conheço muitos jornalistas, e tenho amigos (menos) nas duas profissões.

Mas não acho este "blog" pedante. A crítica aqui produzida é muito estimulante, mesmo quando não concordo.

Não entro é no corporativismo de comparar as duas profissões, ou classes profissionais. Parece-me uma discussão estéril e histérica.

Fica o autor do "blog" a saber que o visito com regularidade e que quando entender produzir comentários assiná-los-ei.

Estou mais do que habituado a responsabilizar-me pelo que digo. Parafraseando o ditado popular, o trabalho de um jornalista não se enterra, fica à mostra de toda a gente.

Aquele Abraço!

CE

Medico Explica disse...

Obrigado.
Outra coisa não seria de esperar de um Jornalista com J.

Carlos Enes disse...

Deixei para um segundo comentário uma coisa verdadeiramente importante.

O Torcato. Tive a honra de ter sido amigo dele. E tenho a honra de poder continuar a inspirar-me, à minha desgraçada maneira, em tantas coisas que ele me contou.

O Torcato Sepúlveda foi o maior jornalista que conheci. Ninguém foi melhor do que ele.

Só Deus sabe como ele me faz falta.

CE

Medico Explica disse...

Subscrevo completamente as suas palavras. Conheci o Torcato Sepúlveda por intermédio de um amigo comum (também ligado á imprensa) há cerca de 5-6 anos. Era de facto uma figura impar à qual os media, como instituição, lhe devem uma homenagem...