segunda-feira, outubro 13, 2008

Padre Faria

O post sobre as vacinas, enfermeiros e farmacêuticos, com os médicos sentados a verem, tem recebido um significativo nº de comentários ( temos que ir ao início de 2007 para um nº mais elevado - Prof José Manuel Silva a Bastonário e Vidas Desperdiçadas - cunnilingus)

Destes destaca-se o de um distinto bloguista da saúde, o Mario S. Peliteiro, e que aqui chamo a primeiro plano:


Domingo, Outubro 12, 2008
Mário de Sá Peliteiro disse...
Caro MEMaI,


Já nos conhecemos há muito tempo - também eu sou seu leitor fiel e admirador bloguista - e portanto aceito perfeitamente que nem sempre as ironias nos saiem pelo melhor.


Sobre a administração de injectáveis por farmacêutico e a possibilidade de ocorrência de reacção anafilática (convém saber que é mais provável sofrer uma RA ao comer um amendoim ou ao ser ferrado por uma abelha), em nome pessoal quero dizer:


1- Aprendi sobre a administração de injectáveis na cadeira de Anatomia da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e não numa Escola de Macedo de Cavaleiros ou Póvoa de Lanhoso.


2- Tenho larga experiência com agulhas. Apliquei muitos injectáveis, muitas vacinas da gripe a médicos, enfermeiros e farmacêuticos. Amanhã de manhã colherei cerca de 1 L de sangue (também executo outros actos invasivos, também sei manobrar o espéculo).


3- Domino e consigo efectuar todos os procedimentos de SBV das Guidelines da European Resuscitation Council forResuscitation.


4- Tenho todos os requisitos necessários para a obtenção da CPR certification da American Red Cross.


5- Domino e consigo efectuar todos os procedimentos preconizados pela Direcção Geral da Saúde em caso de reacção anafilética, a saber (vou aqui enunciá-las porque há muita gente a falar de cor, imaginado que estão numa daquelas séries da TV)::


a) Pedir ajuda e telefonar para o 112 para transporte do doente para o Serviço de Urgência mais próximo.


b) Deitar o doente com os pés elevados (posição de Trendelenburg, se possível).


c) Manter as vias aéreas permeáveis, usando um tubo de Guedel, se necessário.


d) Administrar O2 por máscara com reservatório a 15 L/min ou, na sua falta, por cânula nasal até 6 L/min.


e) Administrar adrenalina aquosa a 1:1 000 (1 mg/mL), na dose de 0,01 mL/kg (máximo 0,5 mL), por via intramuscular na face anterior da coxa, preferencialmente com auto-injector. Esta dose pode ser repetida em intervalos de 10 a 30 minutos, se necessário, até 3 doses.§ A administração de adrenalina IM é prioritária se as outras medidas não puderem ser completamente executadas.


6- Caso falhem os procedimentos de SBV empreendidos e não chegue entretanto o INEM o que faria eu? Faria o que faria outro Dr. Faria ou Enf.º Faria qualquer num Centro de Saúde ou USF qualquer: chamava o Padre Faria - telf 938201610.Um abraço.


Ah! Estas guerrinhas entre profissionais de saúde por assuntos de lana caprina apenas prejudicam... os profissionais de saúde.

10 comentários:

Anónimo disse...

O que este simpático loguista escreveu é apenas uma cópia de:

http://www.acs.min-saude.pt/wpcontent/
uploads/2007/12/vacinacaocircularnormativaorientacoestecnicas10.pdf

Mas tem o mérito de fazer lembrar a toda a minha gente (médicos, fermeiros e farmacêuticos) a falarem com mais rigor.

Tnho dúvidas qe a maioria dos médicos e enfermeiros sejam capazes de lidar com um RA nos CS quanto mais os farmacêuticos na farmácias!!

É urgente sermos todos mais auto exigentes.

Anónimo disse...

Parabens MEMAI, sempre com oportunidade a divulgar situações interessantes que fazem as pessoas pensar, escrever e claro está tentar encontar soluções.
Há necessidade de abanar este "estado da coisa", aqui, neste espaço podemos discutir alguns temas que noutro sítio poderão ser tabu ou de mau tom levá-los á discussão.
É verdade que, provávelmente com o choque tecnológico, actualmente vive-se num estado virtual!
Será?

Anónimo disse...

Uma Reacção Anafilática não é uma situação corriqueira(felizmente)nem de lana caprina, é uma situação que pode ser muito grave e de elevada mortalidade. Na minha especialidade já lidei com muitas situações destas e já fui solicitada por outros colegas para ajudar ou solucionar situações destas, principalmente se é necessário manter a permeabilidade das vias aereas ou estabilizar um paciente nesta situação. Não é só necessário ter SBV, SAV ou outos cursos de formação, é necessário estar prático na aplicação destas medidas e sabe-las executar no tempo ideal!! Tenho muitas dúvidas que os Srs Farmacêuticos e alguns Srs Enfermeiros, com todo o respeito que merecem estes profissionais, estejam preparados e habilitados a proceder a SBV, SAV com intubação orotraqueal (se necessário) para actuar nestas situações, numa Farmácio ou mesmo num centro de Saúde. Sem querer entar em "guerrinhas" profissionais continua a ser muito actual o velho ditado que diz " Cada macaco no seu galho" .....
Maria Papoila

Mário de Sá Peliteiro disse...

Caro primeiro anónimo,
Do meu texto, o que é apenas uma cópia é apenas o ponto 5, e está lá escrito.
___________________________

Cara Maria Papoila,
Não se abespinhe, já sabemos todos que "cada macaco no seu galho". OK, OK.
Mas também convém saber que a própria DGS preconiza níveis de socorro diferenciados conforme se trate de um serviço de vacinação de maior ou menor dimensão. Claro que a esmagadora maioria de Farmacêuticos (nem de Médicos, nem de Enfermeiros) não domina os procedimentos de SAV, de intubação endotraqueal e de cricotiroidotomia, mas se souberem executar os procedimentos indicados em 5 e de SBV a probabilidade de chegada de meios adequados (esperemos que não sejam os Bombeiros de Alijó) e consequente sobrevivência do muito azarado doente é significativa.
E o assunto é de lana caprina não porque não se saiba que as RA são potencialmente letais mas porque os ataques à administração de injectáveis nas Farmácias são frouxos - assim o evidenciam os registos do passado e assim o evidenciarão os registos do futuro, espero - e inconsequentes.

Por falar em boas práticas, na prevenção dos efeitos adversos da administração de injectáveis é mandatório um período de monitorização in loco de, no mínimo, 30 minutos. Quem atira a primeira pedra?

Anónimo disse...

Caro mário de sá peliteiro:
Claro que não me "abespinho", aliás esta troca de conversa só deve servir para alertar e esclarecer os menos esclarecidos! Efectivamente a "golden hour" é essencial em qualquer situação e não se aplica só às situações de trauma e acidentes, ela é mais que válida para qualquer situação em que esteja em risco a vida de um ser humano, e qualquer um de nós, seja profissional da saúde ou não, deveria saber iniciar as medidas de SBV até à chegada de socorro mais diferenciado. Também não tenho qualquer prurido em que seja um farmaceutico a administrar uma vacina ou outro tipo de injectável(alíás há muito médico que não sabe dar uma injecção IM, SC, para já não falar nas IV!!!!)O que me preocupa como profissional da saúde e como vulgar utente é saber se as pessoas(no caso em debate os farmaceuticos) que estão a administrar a vacina estão efectivamente habilitados para revolver uma RA ou iniciar o suposto SBV. Também me pode perguntar: e alguns Enfermeiros e Médicos, estão efectivamente preparados para tais situções? Claro que há muitos que não, mas a grande maioria, hoje em dia, tem preparação para tal além de ter o dever de saber actuar em tais situações.Quanto às boas práticas de administração dos injectáveis, tem toda a razão, 30 min de espera e vigilancia nunca fizeram mal a ninguém e faz toda a diferença em situações de reação anáfilática e não só!!!
Maria Papoila

Mário de Sá Peliteiro disse...

Cara Maria Papoila,
Estamos então perfeitamente de acordo.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Ainda não percebi... os injectáveis vão ser administrados em farmácias? Então todas as farmacias passarão a ter uma sala de trabalho, com maca, cadeirão, oxigenio, material, carro de emergencia com desfibrilhador, ambu, laringoscopios etc, etc? Ou dão as vacinas em pé e mandam o doente embora ?
E como vão os farmaceuticos diagnosticar uma reacção anafilatica? A olho? Quando o doente cai para o lado? Qdo fica com dispneia e nem auscultar sabem? E como distinguem de um enfarte ou edema agudo? Vão fazer um exame objectivo? Ou espetam com adrenalina a todos os doentes que se sentirem mal após a injecção e tiverem uma lipotimia apenas vasovagal?
Eu nem acho que a questão principal seja a da recção anafilatica, tb concordo que esse risco é ínfimo demais... agora assumir que um farmaceutico pode abordar um doente desta forma leviana numa das situações mais emergentes em medicina... causa-me, no mínimo, espanto! Se a emergencia fosse assim tão facil não precisavamos de medicos, qualquer um lia o manuel e aplicava!

Anónimo disse...

Eu acho que o caro anónimo está em "lag". Os injectáveis já são administrados nas farmácias. O caro anónimo não tem resposta às suas questões por uma e única razão: porque é, objectivamente, burro. Embrulhe-as, e deixe-as para quem sabe.

PS: a propósito, porque achei piada: as vacinas são administradas em pé em incontáveis centros de saúde deste país. Nas farmácias, são administradas numa cadeira específica para o efeito.

Mário de Sá Peliteiro disse...

Não quero acreditar que este último comentário, pela linguagem e pela atitude, seja de um colega meu.

Anónimo disse...

é sempre melhor ter um farmaceutico perto capaz de dar aplicar um injectável do que fazer 30 km para se deslocar ao centro saúde de taxi, não?
sinceramente, preferia um enfermeiro, mas como nem isso já tenho, prefiro um farmaceutico!!!