sexta-feira, abril 18, 2008

Esclarecimento!

Não sei quem é o miserável cobarde que se esconde sob a capa do anonimato nesta mensagem sórdida. Direi apenas duas coisas: (i)que este discurso é delirante e que (ii) além de José Miguel Fragoeiro, jurista, dois médicos permaneceram ao lado do Luís Pisco e não se demitiram: João Moura Reis e eu mesmo, Armando Brito de Sá, médico de família e professor da FML, sem medo de dar a cara por aquilo em que acredito. Ou seja, de doze elementos da Missão saem oito e ficam quatro. Os restantes dois elementos que perfazem dez pessoas que se demitem são os coordenadores regionais do Norte e do Centro.Um abraço ao MEMI.


MEMAI, agradece o esclarecimento do Professor Dr.º Armando Brito de Sá e retribui o abraço.

2 comentários:

Anónimo disse...

Este anónimo parece ser um profissional de Enfermagem, atente-se no que escreve:

"D - Por último, reter algumas informações que se cruzam com tudo isto:

1 – Independentemente da nossa opinião, enquanto enfermeiros, sobre as USF e ACES, para todos os efeitos, esta reforma está no domínio do SNS, sector público/Estado"

Deve ter aprendido umas figuras de estilo com o Azevedo das Picas...

Mónica Granja disse...

E muitos mais médicos de família se mantêm ao lado Missão nesta tarefa (que nunca estará terminada mas que o Dr. Luís Pisco já lidera há muitos anos) e que é a construção da Medicina Geral e Familiar. A oportunidade que foi oferecida à MGF de ver a sua filosofia e prática consideradas nas orientações nacionais de fundo para a saúde, pondo médicos de família a participar do respectivo enquadramento normativo e legal, não poderia ser desperdiçada (com situações circunstanciais e limitantes da sua isenção).

Força para a Missão dos CSP!