quarta-feira, abril 08, 2009

Escândalo Nas Promoções Nas Farmácias!

Segundo o DN de hoje:

"De acordo com um folheto a que o DN teve acesso, a MER (marca da Generis), anunciou um conjunto de promoções. E quanto maior a quantidade, maior o 'bónus': "ao adquirir 50 embalagens, a MER oferece 100", lê-se.

Os descontos estão previstos por lei desde Março de 2007 e em toda a cadeia do medicamento, desde o fabricante, ao retalhista e até ao utente. No entanto, poucas farmácias canalizam estes descontos para os compradores. Isto numa altura em que o presidente da Associação Nacional das Farmácias (ANF), João Cordeiro, insiste na troca de medicamentos prescritos por genéricos, por proporcionar "poupanças significativas aos utentes" (ver texto em baixo).

Paulo Lilaia, da Associação Portuguesa de Medicamentos Genéricos (Apogen), refere que "faria sentido aumentar estes descontos para os utentes".


Mas a minha questão é apenas esta: será que estes medicamentos terão a totalidade do principio activo? Não serão contrafeitos? Num qualquer país da Ásia? O ganho é de 200%!! Como pode um Laboratório sobreviver com estas promoções? Ou será que o preço dos medicamentos genéricos ainda pode diminuir imenso, imenso, imenso.

Porque não oferecem as farmácias estes medicamentos aos utentes pobres? Porque vai o Estado reembolsar medicamnetos que não foram comprados?

116 comentários:

Anónimo disse...

Começo a perceber cada vez melhor o problema do MEMaI. Está habituado a receber o seu chorudo ordenado, a receber os seus bónus e viagens mas não está habituado a investir e a pagar ordenados. Queira saber o senhor médico que para uma Farmácia ter na sua equipa um bom número de Farmacêuticos, para ter instalações modernas e confortáveis (que seguem regras que nem os serviços públicos têm que seguir), para estarem abertas em horário alargado... é preciso margem. Os MGs permitem maior margem e menor preço, ou seja o utente paga menos, o estado paga menos, a Farmácia ganha o mesmo ou mais, e o médico que é quem só recebe e nada dá mama menos.

Aliás a questão levantada noutro post relativo ao IVA mostra bem o seu grau de ignorância nesta área que é pagar impostos, remunerar, investir, crescer... É uma vida demasiado fácil a do sr médico, dps ficam gordinhos, preguiçosos, arrogantes e pior... estúpidos.

rmp disse...

A questão é - pode alguém que tem interesse económico objectivo no fornecimento de um determinado fármaco (Farmácia) participar na decisão do fornecimento do mesmo?
Não haverá aqui um conflito de interesses?

Anónimo disse...

Coitados dos farmaceuticos...
Passam tanta fominha e teêm um trabalho tão desgastante atrás do balcão.
realmente é uma coisa de muita responsabilidade.
Deveria existir uma Via Verde de psiquiatria para esta classe de trabalhadores.

Anónimo disse...

Caro rmp,

A questão é: a Farmácia que tem interesse económico quer dispensar o fármaco equivalente a um preço mais baixo para o utente e estado, pelo contrário o médico que é cliente da Farmácia e do Estado mas não paga quer impor a sua vontade obrigando o utente e o Estado a adquirirem medicamentos mais caros. Qual é o interesse do médico nesta operação? A Farmácia pode ganhar menos, mais ou mesmo... Mas está a defender uma medida que beneficia claramente quem paga. Qual é o beneficio da posição da OM e dos seus associados? Sejam sinceros... sejam honestos!

Qto ao Anónimo q fala do desgaste dos Farmacêuticos... Só posso falar do meu caso. Para ter a Farmácia que tenho, com os níveis de qualidade e eficiência que tenho e ainda assim ser uma empresa rentável tenho que trabalhar cerca de 12 horas por dia e pelo menos 6 dias por semana. Mas não me queixo por isso... Trabalho com prazer e quem com prazer trabalha não se cansa. Quanto à responsabilidade é muito superior aquela que os ignorantes lhe atribuêm. Esses que acham que aquilo é só colocar no saco e cobrar não se apercebem do estudo e da análise da prescrição que é feita... Mas esses provavelmente são os que trabalham 8 horinhas, não investem, não se dedicam e gostam de se queixar mas não sabem reconhecer.

Acrescento ainda que é com muita pena que só recebo telefonemas de médicos na Farmácia a reclamar que prescreveram um medicamento do laboratório quepagaàcaixa e contudo foi dispensado um do que remuneraafarmácia. Mas nunca recebo um telefona a colocar uma dúvida qto a uma interacção, dose, apresentações disponíveis... É o que temos e que pelos vistos o Povo quer.

Anónimo disse...

Os comentários dos enfermeiros, sob a capa do anonimato, que aqui tentam atacar os farmacêuticos, saltam à vista. Disfarçam tão mal...

Medico Explica disse...

Caros farmacêuticos leitores deste blogue: os MEMAIs não têm problemas desses que diz. Não sei se se lembra que uma investigação da IGAS há cerca de um ano, revelou que não havia relação entre a prescrição e os congressos. Há de certeza médicos que têm uma visão mais mercantilista da sua profissão. Mas isso não invalida que haja ética. O exemplo é dado precisamente pelso farmacêuticos que têm uma profissão e um negócio e não tenho dúvidas que 99% actuam dentro da ética, quer quanto aos medicamentos, quer quanto à dermocosmética e OTC. O que me entristece é que quando se está a falar de prescrição, trocas e baldrocas, logo vem à baila as viagens e os congressos. Essas viagens e congressos estão legislados, já fui a alguns com o patrocíneo da indústria, e em alguns casos nem tão pouco era prescritor.

Viajar, viajam todos, desde os políticos, os árbitros, os farmacêuticos, os técnicos de farmácia, os jornalistas, os médicos, etc. Depois fica a ética de cada um.

Anónimo disse...

Gostava só de saber, em que raio de faculdade de medicina aprendem estes médicos, que a asma não é uma doença a sério, como dizia o outro no seu comentário... é esta a classe médica deste pais... lamentável!

Anónimo disse...

Quando é para cobrar os 100€ por 15 minutos de uma consulta de seguimento, devido à dita asma, a mesma já é uma doença muito grave, que obriga a visitas mensais...

NA disse...

Oh caros MEMAIs, confiam na IGAS para esta dizer que não há relação entre as viagens e a prescrição e não confiam no INFARMED para atestar a segurança dos MGs?... Quanto à oferta de medicamentos, creio que um pouco de informação antes de opinar era aconselhável. Mas, pergunto eu - e também sob a forma de atirar posta de pescada - porque é que os médicos não oferecem os seus serviços a quem não pode esperar pelo SNS nem pagar o privado? Ai tanta hipocrisia... NA

NA disse...

ADENDA: segurança e eficácia dos MGs
NA

PC disse...

post típico de quem não faz a mínima ideia de como é distribuída a margem de lucro no PVP de um medicamento... e já agora a MER não tem quota de mercado para competir com as grandes companhias de genéricos. Aliás, por isso mesmo não será a que tem o preço mais barato...

já agora, sabe quanto custa produzir uma caixa de omeprazol (de marca) 20mg de 56 cápsulas que é marcada a 50,45€?? pois... menos de 2€ de preço de custo à saída da fábrica!!

sabe para onde vai o resto do €€€?? para a propaganda médica e respectivos benefícios aos médicos para por a cruzinha no "não" e para os gratificar...

Ai tanta hipocrisia cm dizia o meu amigo NA...

Medico Explica disse...

Há de facto tanta hipocrisia, sim. Na indústria farmacêutica. E sabe muito bem que as promoções hoje em dia, para médicos e farmacêuticos provêm das marcas de genéricos. E sabe também que, a indústria tem os seus economistas, não são como as farmácias. E sabem em quem devem investir: ora no médico, ora no patrão da farmácia, ora no director clínico, ora no balconista técnico. E eles sabe também quanto devem investir no markting. E markting é tudo, desde o ordenado do DIM, a gasolina, a publicidade institucinal, as viagens, etc. Mas diga-me lá: não acha um escândalo - compra-me 50 e levas 100?

Medico Explica disse...

Caro NA: você mistura alhos com bugalhos e bugalhos com alhos. Alguém disse aqui que não confiava nos genéricos? O que se diz é que há genéricos e genéricos. Há genéricos que não se sabe de onde vêm. E há genéricos que se sabe toda a sua história. É SÓ ISSO QUE SE ESTÁ A DIZER. Depois confunde medicina pública com privada. A maior parte dos médicos exerce apenas no SNS. É empregado do Estado. Mas depois também os criticam por trabalhar. Primeiro eram as horas extraordinárias. Depois são as empresas de mão de obra, depois é o valor da hora. Mas quem criou esta merda toda não foram os médicos. Foram os governantes. MAS O QUE TODOS QUEREM É TER UM MÉDICO À PORTA QUANDO DOI UM DENTE OU TÊM UM ATAQUE DE ANSIEDADE...

Medico Explica disse...

Só vai à privada quem quer. Ao senhor professor disto e daquilo. Ao senhor director disto e daquilo. Essa privada mete-me asco. Mas só existe porque há patos que lá caiem.

NA disse...

Mas quem mistura aqui não sou eu. Quem é que começou aqui a "mandar bitaites" sobre uma área que não é a sua? Há genéricos que ninguém sabe donde vêm? Olhe que se sabe. Que eu saiba, os medicamentos trazem FI e têm, so Infomed, o RCM. Em ambos vem perfeitamente identificado o titular da AIM, bem como os respectivos contactos. Caso desconfie, com bases para tal, da eficácia/segurança dos mesmos há sempre à V. disposição uns papelinhos amarelos que permitem fazer a notificação de RAMs. Mas eu não critico ninguém por fazer privado, só acho de uma hipocrisia extrema uma classe que cobra mundos e fundos a quem, muitas vezes, se esforça o que pode e o que não pode para ir a essas consultas. É porque não é que as pessoas queiram um médico às ordens, mas é que por vezes a resposta do SNS, apesar dos seus solícitos médicos (sempre que estão em PT e não no estrangeiro em congressos), não é a mais adequada. E, o cidadão comum, não tirou o curso com N médicos a quem podem ligar a meio da noite se lhes "dói um dente". Quem criou este excremento não sei, mas acho que não foram os farmacêuticos. Portanto, quem está aqui a confundir vegetais não sou eu, mas sim os médicos que, com medo de perder benesses, foram intervir numa área que não lhes diz respeito. E ir à privada só quem quer... Olhe, experimente cegar com cataratas e ter de esperar meses a fio para ser operado que, se tiver a oportunidade vai ver se não vai à privada assim que puder. Ofereçam os médicos essas cirurgias, no privado. E a seguir, seguindo o bom exemplo, pode ser que os farmacêuticos também ofereçam medicamentos, como propôs. Cumprimentos, NA

Anónimo disse...

Não entendo porque é que o Estado e a população tem de aturar o mafioso de barbas com o nome cândido de "Cordeiro". Nacionalizem a distribuição de medicamentos e os preços baixam. Se o Estado paga os cuidados de Saúde para poupar as pessoas, porque é que não o faz na distribuição de medicamentos e fica prisioneiro do Cordeiro Lobo? Este parasita só fala nos Congressos dos médicos, que são formação científica, mas não fala nas negociatas das Farmácias com os MGs. Liberalizem as farmácias, abram as Farmácias dos Hospitais e Clínicas e verão o Cordeiro tornar-se mansao. Quanto ao parasita que fala dos médicos gordos...são eles que estão de urgência durante noites e feriados, muitas vezes a receber doentes que foram à Farmácia e esta vendeu-lhe um produto que lhe provocou uma reacção. Os farmacêuticos acutalmente não servem para nada, só para atacar os médicos e engordar atrás do conforto de um balcão cuja mobília foi paga ao cartel chefiado pelo parasita de barbas.

Medico Explica disse...

Caro NA: os seus argumentos têm vindo a perder qualidade. Já só refere banalidades, como dos congressos e congressos. É mesmo uma obsessão. Venham lá os congressos, não tenho problema nenhum em pedir sponsorização a um laboratório para ir a um congresso. As viagens são caras, temos que aproveitar o que a lei permite. Mas fazer querer que a grande maioria dos médicos está sempre em congressos, nem parece seu. Que me parece ser investigador, não é?

Rui Sobral disse...

Ó srs. farmaêuticos, se quererem ser médicos (e ter os mesmos pervilégios), estudem para isso. No meu tempo bastava ter mais de 14 valores nas nucleares e fazer a respectiva inscrição na FM.

Digo isto, porque me parece que o motivo subliminar do vosso ódio é mesmo esse: a frustração desmusurada, que agora é deslocalizada e transformada raivosamente contra a classe médica. Os argumentos são dos mais pindérios e provininciados: DIM's, congressos, aliciação, é pá, tudo e mais alguma coisa... foda-se digam lá: "EU QUERIA SER MÉDICO CARALHO, E COMO NÃO CONSEGUIMOS QUEREMOS FODER A CABEÇA AOS MÉDICOS!!"

É que esta discussão indefensável já cheira mal. Eu que nunca comentei nestas merdas, senti um ímpeto desgraçado em fazê-lo hoje, pela primeira vez.

O vosso trabalgo é tão simples´. Limitem-se a aviar a prescrição e a dar conselhos dermocosmética e porcarias semelhantes.

Anónimo disse...

Fianlmente uma voz sábia no meio disto tudo ( e eu não sou médico)

Anónimo disse...

Os enfermeiros, fiéis serviçais dos médicos, hão de vir sempre aqui mostrar o quão obedientes são ao seu mestre - tão obedientes que conseguem descer ao nível da boçalidade. E depois ainda fazem acusações de "ira": a ver pela linguagem e pelo tom de desdém, nota-se de onde vem a ira. Os senhores enfermeiros não conseguem mesmo disfarçar a sua incultura inata.

Anónimo disse...

EPÁ, CARALHO, EU NÃO QUERIA SER MÉDICO FODA-SE! SEREI NORMAL?!?! PORQUE CARALHO ME METI NA FACULDADE DE FARMÁCIA QUANDO PODIA TER IDO PARA MÉDICO?!?!

FODA-SE, PÁ, QUE ARGUMENTOS GENIAIS OS MEUS!!!

ESTE CARAMELO FAZ 10 POSTS SEGUIDOS NO SEU BLOGZECO INSIGNIFICANTE A ATACAR ANF E FARMACÊUTICOS FODA-SE FRUSTRADO DO CARALHO PÁ DOR DE CORNO É FODIDAAA!!!

DEIXA LÁ O CORDEIRO EM PAZ E RESUME-TE À TUA INSIGNIFICÂNCIA...

Anónimo disse...

E METE O BEDELHO NOUTROS ASSUNTOS QUE NÃO OS DA ANF PÁ... ISSO JÁ É OBSESSÃO CARALHO!!!

Medico Explica disse...

Atenção, caros: se a conversa resvala para este nível, aparece o terrível TRASH, e vai tudo para lá.

Anónimo disse...

Ainda está para nascer aquele que tinha notas para ir para medicina e foi para farmácia, porque o seu sonho era ser farmacêutico desde a infância!

Bonito!

Anónimo disse...

Ainda está para nascer? Então o anónimo deve viver no passado. Olhe, eu sempre quis ser farmacêutico. E basta fazer um google para ver que não sou o único mutante na Terra. E ainda bem,. Quanto à questão das "notas", é um argumento tão curriqueiro, de tão baixo nível e tão revelador de desdém, que nem me merece comentários.

Mas devo dizer que ser enfermeiro, para lidar com toda a trampa e mais alguma, ser serviçal e, ainda por cima ser mal pago - isso é que só mesmo a ingenuidade de uma criança pode justificar! Desculpem lá caros enfermeiros... Deve ser difícil limpar tanta mer... para ser tão desprezado, pobre e humilhado.

Bonito, mesmo.

Anónimo disse...

Costuma-se dizer que os enfermeiros são médicos e farmacêuticos frustrados.
Nem um AINE, é que nem um!
Ainda têm que comer muito arroz com feijão.

Anónimo disse...

MEMAI, dou-lhe uma sugestão, se quer manter o nível filtre os comentários, é que este enfermeiredo topa-se à distância.

NA disse...

Têm razão MEMAIs. Mas os meus argumentos nivelam-se pelos posts do blog. Portanto, melhorem o nível dos argumentos postados e eu melhoro também o nível de argumentação dos meus comentários. Cumprimentos, NA

Anónimo disse...

O estranho disto tdo é o interesse e a dedicação dos médicos a uma causa alheia. A industria nem se ouve...

E lindo lindo é ver a jornalista da SIC Noticias a dizer LEF... enfim o nível deste país é mm baixo.

Enf_LP disse...

Cuidado com os ataques indiscriminados aos enfermeiros, pois apesar dos farmacêuticos terem tomado uma intervenção nossa e que pelos vistos já começa a trazer arrependimento e dores de cabeça aos mais incautos que quiseram fazer o que nunca souberam e a coisa correu mal (felizmente a maioria tem 2 dedos de testa e recusou a prenda envenenada), é de louvar o vosso sentido de oportunidade perante a nossa Ordem inerte como sempre e não será motivo para atacar aqui os farmacêuticos nesta situação onde os médicos pouca ou nehuma razão têm e onde o necessário seria não uma transposição da lei, mas uma mudança desta.

Farmacêutico proprietário de farmácia disse...

Eu não percebo porque é que o Dr. João Cordeiro, a ANF e os farmacêuticos proprietários de farmácia - e não só - são sempre tão discutidos neste blogue, e sempre de forma tão desdenhosa, a roçar o boçal. Ou então até percebo.

Afinal, parece-me que o motivo subliminar do ódio do MEMAI e dos seus colegas é mesmo esse: a frustração desmesurada, que agora é deslocalizada e transformada raivosamente contra a classe farmacêutica. Os argumentos são dos mais pindérios e provincianos: promoções nas farmácias, monopólio da venda de medicamentos, monopólio da distribuição de medicamentos, foda-se, monopólio de tudo e mais alguma coisa.

DIGAM LÁ COMIGO: "EU TAMBÉM QUERIA PODER SER PROPRIETÁRIO DE FARMÁCIA CARALHO, E TER UM JOÃO CORDEIRO E UMA ANF, MAS COMO NÃO DÁ, E COMO AINDA ME ANDAM A TRAMAR AS RELES PASSEATAS MUNDO A FORA, PASSAMOS A VIDA A TENTAR FODER-LHES A CABEÇA!!!"

As melhoras para os médicos e, pelos vistos, também para os sempre fiéis serviçais enfermeiros que por aqui vêm libertar as suas frustrações.

Sinceramente.

Vitalis, SA. disse...

Srs médicos, depois de ter reparado que vocês podem mandar, perdão, prescrever a marca dos medicamentos que os doentes vão comprar, alerto-os para a necessidade de também mandarem, perdão novamente, prescreverem a marca da água com que devem tomar os comprimidos, dada a importância da mesma, como poderão ver pelos estudos que os nossos delegados de propaganda, quer dizer, informação médica levarão até vocês em breve e que serão facilmente identificáveis pelo distico das Viagens Abreu (patrocinadoras dos nossos estudos), que ostentarão em local visivél. Atenção a todos os consumidores, até lá, evitem tomar os medicamentos com água genérica (da torneira ou de "marcas brancas"), pelo sério risco para a saúde pública. Informo ainda que já estão a ser levados a cabo estudos sobre a importância da marca dos alimentos consumidos antes e depois de tomar a medicação e começam a surgir ainda evidências de uma possível relação entre a toma de medicamentos e a marca da roupa que se está a usar no momento.

Catsone disse...

Comparar alhos com bugalhos, substâncias químicas com água, atacarem-se mutuamente...
Eu não encaro um enfermeiro como serviçal, mas sim fazendo parte de uma equipa de saúde, juntamente com um administrativo. Encaro um farmacêutico como outro agente de saúde. Encaro o João Cordeiro como um capitalista. Eu prescrevo segundo a minha consciência, baseado na confiança, na relação médico-doente, nos custos/benefício para o meu utente. Quantas vezes vi o doente com caixas diferentes de alprazolam a fazer sobredosagem? Que ao menos não troquem o genérico se a diferença for de cêntimos, pois as cores das caixas ajudam em muito o doente.
Quando é que as pessoas percebem que o que está na mesa são interesse mercantilistas? Quando é que o doente finalmente estará no topo da pirâmide e não na base? Quano é que nos entendemos? Quando é que deixaremos de nos atacar para procurar um entendimento mútuo em prol do que realmente interessa.
Li coisas que não pensava ser possível vindo de gente letrada, mas fazer o quê, o ódio, por vezes, cega.

Doutor Enfermeiro disse...

"Costuma-se dizer que os enfermeiros são médicos e farmacêuticos frustrados."

Desculpem a minha visita, mas não poderia deixar de me pronunciar relativamente a estas afirmações.

Que os farmacêuticos lá tenham as suas guerras ou problemas, tudo bem. Aliás, toda esta questão antes de ser um guerra interclasses, era uma guerra comercial. Nem sequer é necessário dissimulação, porque este tipo de traquinices cheiram-se à distância.

Agora dizer que o Enfermeiros "são médicos e farmacêuticos frustrados" é demais. Isto, seria, como queriam os "farmas", colocar médicos e farmacêuticos no mesmo saco. Ora isso, nem de perto nem de longe. Mas tenho reparado, ao longo dos anos, que os "farmas" acusam essa ilusão pateta. É pena, estão sozinhos nessa crença. É preciso e desejável que se localizem bem e se remetam ao espaço que merecem. Há tanta coisa interessante, olhe, o cartão pontos da farmácia é uma delas.

O sonho de ser farmacêutico é pouco acalentado, note-se. Das duas, uma. Ou alguém herdou um estabelecimento comercial farmacêutico e enveredou pelo ramo "à força", ou não conseguiu acesso à medicina. Pouco me interessa.

Mas até deviam estar agradecidos aos Enfermeiros. Por exemplo, para quem não sabe, passo a informar - no Reino Unido, os "Farmas" prescrevem, porque os "Enfs" conquistaram esse direito. E para surpresa dos "Enfs", no seu "cone de vento", lá iam uns "viajantes" agarrados, esgalgos, às vestes - os "farmas". Está explicado.

NA disse...

"Que ao menos não troquem o genérico se a diferença for de cêntimos, pois as cores das caixas ajudam em muito o doente."
-O que vale é que agora também já mandam bitaites na prática dos farmacêuticos comunitários. Olhem antes para a prática médica que tanto deixa a desejar. Comparem a quantidade de queixas contra médicos em comparação com as que há contra farmacêuticos.

"O sonho de ser farmacêutico é pouco acalentado, note-se. Das duas, uma. Ou alguém herdou um estabelecimento comercial farmacêutico e enveredou pelo ramo "à força", ou não conseguiu acesso à medicina. Pouco me interessa."
-Isto é tão risível como dizer que os enfermeiros só o são porque não conseguiram outra coisa. Haja juízo!

NA

Farmacêutico proprietário de farmácia disse...

Eu acho irónico (e, ao mesmo tempo, hilariante) que um enfermeiro, que até queria, assumidamente, ser "Doutor" (ou não fosse ele o "Doutor Enfermeiro", venha aqui dizer que os farmacêuticos queriam ser médicos quando, lá na sua pocilga, tem telhados de vidro (e de um vidro muitíssimo rachado).

E esta questão, para além do seu carácter naturalmente corriqueiro (mas essa característica já é praticamente sinónimo de "enfermeiro") é tão falsa, tão falsa, que só se coloca nos termos da actualidade, em que a procura dos alunos do ensino secundário pelo curso de Medicina, explodiu que nem um "big bang" - e porque será? Para além disso, é algo que é transversal a cursos que vão desde a própria Enfermagem até à Bioquímica, Química ou Biologia (até em Economia se encontram os tais que "queriam ser médicos"!).

Meu caro enfermeiro-que-para-seu-desgosto-e-angústia-não-é- doutor-de-coisa-nenhum-nem-sequer-doutor-da-farmácia-da-conchichina: o sonho de ser farmacêutico é acalentado por muitos (pode não ser de todo tão acalentado como o sonho de ser médico - contudo, e daí? Tem de descer tão baixo para (infrutiferamente, diga-se) tentar fazer algum tipo de "mossa" nos farmacêuticos?). Sabe, é que os farmacêuticos são uma classe vasta, com diversas áreas de actividade, e que até preenchem gostos e/ou os objectivos diferentes - farmacêuticos comunitários, hospitalares, de indústria, analistas clínicos, investigadores ou docentes universitários, etc. Venha de lá com as frases feitas que quiser e bem entender, encharcadas de desdém, que a realidade não é moldada de acordo com a sua vontade.

E, bom, já me alonguei demais. Peço desculpa pelo meu discurso cuidado, talvez por isso imperceptível para, vá lá, 99,9(9)% dos enfermeiros, muitos deles ainda com a 4.ª classe, mas sendo o "Doutor Enfermeiro" um enfermeiro especial de corrida, que até acalenta o desejo de se tornar "doutor" (só se for da mula russa), tenho esperança que consiga compreender.

P.s.: passando pelo seu blogue facilmente se depreende que a sua ira tem uma razão de ser: tudo se resume ao "vil metal". Eu sei que não abunda lá pelos lados da enfermagem, pois não. Temos pena.

As melhoras aos srs. médicos e aos seus fiéis serviçais, sempre a postos para "atacar" - quais pitbull raivosos.

Catsone disse...

NA, falo do que sei e do que vejo, se está tão interessado no bem estar dos doentes atente às sugestões que lhe fazem pessoas bem intencionadas.
Quanto à prática médica, olho para a minha, e até agora não tenho queixas de nenhum doente, mas sabe como é, nem Jesus Cristo agradou a todos...
Como já escrevi não ponho todos no mesmo saco e ANF é diferente de Ordem dos Farmacêuticos que, essa sim, representa esses profissionais.
Como disse encaro a vossa classe como extensão dos cuidados de saúde. Eu sou um daqueles que recebe o doente e que após de reflectir envio-o à farmácia para que possa iniciar o tratamento. Acha que as coisa não deveriam ser assim? aliás onde trabalho, o doente fala é avaliado primeiro pelo enfermeiro e depois por mim. Tem consultas quando quiser, não há utentes sem médico/enfermeiro, e optamos pelos tratamentos mais baratos, quer melhor? Estou sempre a aprender, diga-me como poderia melhorar?
Mas seja sério.

LProlog disse...

"Farmacêutico proprietário de farmácia", só é pena que não seja proprietário de uma lingua mais curta e uma inteligência mais alargada. Foi concerteza daqueles que tirou/pagou o curso á pressão numa faculdade privada. Só isso explica a sua pre(/im)potência.

Anónimo disse...

Mas o doutr enfermeiro tem a sua razão. Colocar médicos e farmaceuticos no mesmo saco é hilariante.

Farmaceutico proprietário de uma pizzaria disse...

Para os cépticos, basta ler a sondagem das profissões mais desejadas da aximage. Os farmacêuticos nem constam da lista. Se a dúvidas se mantiverem, por favor ler o estudo do Prof. Veiga da UL sonre o mesmo tema. Ninguém sonha em ser farmacêutico, nem a população geral atribui prestigio aos farmaceuticos.
Enfermagem, pelo contrário consta nas duas litas!

Mais, em 2008 num estudo espanhol, a enfermagem foi considerada com a segunda profissão mais prestigiante, logo a seguir a medicina, passo a citar "A Enfermagem é a segunda profissão mais valorizada pela sociedade espanhola, só ultrapassada pela Medicina e «seguida» de perto pela docência"! Quem fez o estudo? "Centro de Investigação Sociológica (organismo sob a tutela do Ministério da Presidência Espanhol". Na net podemos que o farmaceutico anda a pairar no fundo da tabela!

Anónimo disse...

Ó enfermeiro, isso é para rir? Enfermagem, prestigio!? Veja as listas de candidatura ao ensino superior, enfermagem com muita sorte vem sempre em 2º ou 3º lugar sempre precedido por medicinas, farmácias, biologias e bioquímicas.
Seja sério, enfermagem já deu o que tinha a dar (se é que alguma vez o fez). Hoje em dia, só vai para enfermagem quem não consegue mais nada.

Quanto a estudos, veja este:

http://www.rdtrustedbrands.com/trusted-brands/results/tables/Confidence%2520in%2520Professions.country.Portugal.shtml

Anónimo disse...

Da reader's digest? Sempre é melhor que um estudo dúbio espanhol.

Realmente, os comentários de enfermeiros saltam logo à vista. Fiquem lá no vosso cantinho que isto não vos diz respeito.

Anónimo disse...

Observações destas vindos de pessoas formadas em escolas vão de escada, com planos curriculares completamente inúteis e desadequados, limpadores da escória mais baixa na escala da nojeira e serviçais de tudo o que é profissional de saúde. Se há quem tenha telhados de vidro, são estes tipos, e ainda assim têm o desplante de se meterem em conversas alheias mostrando – ainda mais – a dor de coto que têm de não serem médicos, farmacêuticos ou veterinários (e pelo que tenho visto, a lista continua). É que virem do blog do doutor da mula russa para aqui comentar sobre temas que não dizem respeito nem ao mais ilustre da vossa “classe”, mostra muito a azia de serem o que são.

Farmacêutico proprietário de farmácia disse...

Acham mesmo que eu estou interessado no "prestígio" dos enfermeiros? Quero lá saber do "prestígio" - que não existe - dos enfermeiros. O "prestígio" dos enfermeiros só existe na sua cabecinha fraca e destituída de inteligência e capacidade intelectual - e, mesmo assim, é um falso prestígio, porque lá no fundo o comum dos enfermeiros sabe que ninguém o reconhece - nem à sua actividade, nem à sua formação académica (que há bem pouco tempo exigia tanto quanto a 4.ª classe).

Ora vejamos: carpintEIRO, bombEIRO, lavadEIRO, pedrEIRO, padEIRO, pastelEIRO, maquEIRO, obrEIRO, cartEIRO, enfermEIRO. Nem é preciso ser linguista para perceber que entre um pedreiro e um enfermeiro, intelectualmente, não há lá grande diferença - e, meus caros, assim se manterão vocês, na base da pirâmide social, ad eternum. Mas se isso vos incomodar, tentem mudar o nome da vossa actividade para, sei lá, serviçal. Também é apropriado.

Pessoalmente, por mais que se esperneiem, eu não lhes reconheço qualquer tipo de prestígio. Nem eu, nem os meus utentes.

Bem haja!

P.s.: e tentem controlar mais essas dores que tanto vos afligem. Para uma classe tão "prestigiada" como a dos enfermeiros (ó, sim...), não deviam abespinhar-se tanto. Infelizmente, não é o que sucede. As melhoras.

Anónimo disse...

Dr Enfermeiro, é preciso ligar a comments de alguém com neurose severa? Por amor de Deus, isso do frustrado daqui e frustrado dali é mesmo conversa da quarta classe. Visto ser o representante da sua classe por estas bandas virtuais, não acha que devia ter mais tento nos dedos?

Não consigo discordar com os telhados de vidro que todos temos de acarretar. Mas não nos tome por ignorantes e tente dar a entender o contrário, porque o facto é que os enfermeiros possuem o telhado com o vidro mais fino de todos.

Anónimo disse...

É horrível ter uma discussão séria com farmacêuticos. É uma peixeirada.
Algum enfermeiros argumentos com estudos sério, um deles do governo espanhol, e um lindo farmacêutico contra-argumenta com um estudo do reader's digest. É tudo o que conseguer fazer?
Outro diz que afinal o prestígio na interessa. Outros dizem que os enfermeiros mudam fraldas. Mudam pois, tal como os médicos fazem toques rectais enfiando o dedo na merda e ainda não vi aqui algum farmacêutico desdenhar dos médicos. Depois é só pensar um pouco. Ás funções do farmacêutica na formácia de oficina serão assim tão altamente qualificadas? Vejamos, ou aviam as receitas do médico, vou vendem cremes para as rugas, metem pontos no cartão farmácia, fazem trocos, cortam códigos de barra com um x-acto, vendem chás e tintas para o cabelo.

Nos hospitais o cenário dos farmacêuticos ainda é mais lindo: fazem compras, metem comprimidos e ampolas nas caixinhas de unidose, aviam os pedidos dos enfermeiros, etc... não há nada que os técnicos de farmácia não possam fazer!

Nos conselhos de administração dos hospitais não há sinais de farmacêuticos. Afinal de contas, os farmacêuticos andam sempre a dizer que os enfermeiros são serviçais dos médicos, e ao que parece, enquanto a hierarauia mámima dos enfermeiros nos hospitais é o enfermeiro-director, o hieraaquia máxima dos farmacêuticos é o director clínico (médico). Rídiculo.

Por fim, gostava de ver os farmacêuticos numa unidade de cuidados intensivos, numa unidade de diálise, no pré-hospitalar, numa medicina, nos transplantes.... ia ser lindo!

Farmacêutico proprietário de farmácia disse...

Mas porque raio é que os farmacêuticos estariam numa unidade de cuidados intensivos, numa unidade de diálise ou no pré-hospitalar (hilariante) se existem os serviços farmacêuticos hospitalares. Não está a confundir-se?

Quero lá saber se o enfermeiro põe a mão na merda e se o médico também a põe - em ambos os casos, é trabalho de merda: seja efectuado pelo serviçal (enfermeiro) ou pelo seu mestre (médico). E quer o serviçal, quer o mestre, têm fazem muito trabalho de merda que eu, honestamente, já mais aceitaria fazer. Obrigado, mas não.


Só por acaso, e porque eu gosto de vos irritar, até há bem pouco tempo, para ser enfermeiro, bastava ser mulher e ter a 4.ª classe. E mesmo hoje, basta fazer um cursozeco de 3/4 anos numa escolinha de enfermagem de vão de escada no politécnico de um terriola qualquer perdida no mapa.

E deixem-me lá fazer pirraça e aguçar a vossa cobiça (sim, que eu gosto de vos irritar, caros serviç... Enfermeiros, confesso): formei-me em 2004, estudei 6 ANOS na Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra e, hoje, sou farmacêutico. Faço uso do meu título académico no cartão de crédito, e em qualquer local onde o possa fazer (sim, gosto de ostentar o Dr. que os srs. serviç... Enfermeiros, tanto cobiçam aos outros) e, para vos aguçar mais ainda a cobiça: à porta da minha farmácia está o seguinte:

PROPRIEDADE E DIRECÇÃO TÉCNICA
DR. [________ ________ ___ ________]

Vá, agora abespinhem-se aí à vontade, no vosso banho lama, que nem porcos.

Anónimo disse...

A cobiça é tanta que até têm um "Doutor Enfermeiro" como "capataz" virtual.

Não sei se rir, se ter dó de criaturas como vós, ó Enfermeirus serviçalis.

Desprezados, mal pagados, desdenhados, ignorados, menosprezados - enfim, marginalizados.

Nem mesmo mexendo na merda e na escória conseguem obter um mínimo de reconhecimento - o mesmo já não se aplica ao mestre, não é verdade?

Pensando bem, só consigo ter dó de vós.

Anónimo disse...

*mal pagos.

NA disse...

É assim, o último comentário do "Farmacêutico proprietário de farmácia" não será a coisa mais elegante que já vi, certamente. Mas face ao comentário imediatamente anterior...
Vou tentar então esclarecer o Exmo. Sr. que disse o que disse no comentário supracitado:

1. O estudo espanhol, ainda que governamental, não se pode transpôr directamente para a realidade nacional, parece-me a mim.
2. Desdenhar médicos provavelmente não viu não; criticar, se ler com atenção, há-de encontrar.
3. Dizer o que diz da farmácia comunitária é tão idiota como dizer que os enfermeiros só mudam fraldas; revela apenas ignorância.
4. Quanto à FH, confere: tudo o que refere, à excepção das compras, é da responsabilidade dos técnicos. E mesmo as compras, os SF apenas fazem a avaliação técnica, as compras propriamente dita são da responsabilidade do serviço de aprovisionamento.
5. Confesso que não conheço os CVs do administradores hospitalares. Já agora, qual é o curso que maioritariamente exerce como administrador hospitalar? Presumo que, já que sabe que não são farmacêuticos, saiba quem são.
6. A hierarquia máxima dos farmacêuticos é o farmacêutico director dos SF e, obviamente, o CA do hospital (mas que é superior a toda a gente).
7. Pois, eu também gostaria de ver farmacêuticos em UCIs e em todas as outras unidades e enfermarias (como acontece aliás nos bons hospitais americanos). Infelizmente, Portugal continua atrasado.

NA

Farmacêutico proprietário de farmácia disse...

É interessante ver que, quando escumalha mais reles e ordinária, que mal tem uma formação dita "superior" (a.k.a enfermeiros) solta a lábia, é difícil manter a elegância, seja onde for. A sua ordinarice e vocação para a peixaria é tanta, que tudo perde a compostura. De uma discussão frutífera e saudável (antes da sua intervenção), estes serviçais conseguem fazer um autêntico mercado do peixe. É revelador da baixa casta social de onde estes serviçais/enfermeiros provêm. Quem é que quer limpar merda e não ser reconhecido, nem com dinheiro nem com estima, por isso? Ninguém!

Anónimo disse...

Gostei do comentário do serviçal em relação ao trabalho em farmácia hospitalar. É que a ignorância não tem limites, e se na saúde há que seja ignorante, são os enfermeiros.

Anónimo disse...

"6. A hierarquia máxima dos farmacêuticos é o farmacêutico director dos SF e, obviamente, o CA do hospital (mas que é superior a toda a gente)."


Vamos lá ver. Ignrorância uam vez mais. O director dos serbviços farmacêuticos respondem ao um médico (director clínico). Os enfermeiros-chefes e supervisores responde a um enf-director, que por sua vez tem assento no CA à semelhança do director clínico.

Ainda não sabiam disso?

Anónimo disse...

Não que dedique muito do meu tempo no troco a observações desnecessárias nestes blogs, preferindo tê-los em consideração apenas para fins (des)informativos. Mas já que este - proprietário desse blog comunista apelidado de doutor enfermeiro - ligou a um comentário infantilizado, feito por outro idiota, sinto-me compelido a descer também ao seu nível para responder a esses comentários dignos de um verdadeiro serviçal de médico.

Sr. Enfermeiro, não vale a pena tentar mistificar a realidade, basta que se faça um dia de farmácia clínica para ver os enfermeiros todos nervosos com a presença de mais um "doutor" no serviço. Engraçado que da minha experiencia durante o curso, na CUF, o único antagonismo parcial com que me deparei, foi a postura de enfermeiros fracassados, sendo que o pessoal médico se mostrou mais que prestável - talvez fruto de uma relação jovem pautada por interesses genuínos, e bastante mais dinâmica do que na generalidade dos lugares.

Outra coisa, 50% dos farmacêuticos trabalham longe das farmácias comunitárias, só por ai cai esse seu argumentozeco por terra. Olhe que fiz investigação em veiculação durante muito tempo, e nem por isso me sinto gorado, pelo contrário, não me vejo noutra qualquer profissão – se durante o secundário me vi, foi em biologia. Mas deixe lá que, só na minha turma de vinte, quadro deles eram enfermeiros.

Já que tocou no assunto da prescrição, apesar de terem sido os enfermeiros a arrancar com a prescrição no UK (e não só do UK vive o mundo, no Canadá por exemplo, não foram os senhores), os farmacêuticos fazem-no sem limitações ao contrário de vossas excelências, informe-se no sítio da RPSGB, e se gostar de ler, procure sobre o papel do farmacêutico clínico na Kaiser Permanente para título de exemplo generalizado. Os direitos de prescrição foram alcançados em muitos outros países tendo começado pelos anglo-saxónicos. É óbvio que nos respectivos locais onde tal é praticado, a formação farmacêutica é constituída em mais de metade por clínica prática, algo que nos países de língua itálica não acontece (com algumas excepções) e a figura do farmacêutico é bastante mais científica e industrial sendo que só posteriormente se forma como clínico (mediante um internato como em Itália e França, ou na respectiva especialidade clínica).

Pela pouca prática hospitalar que tive (já que me inicio na especialidade de industria), e de uma opinião meramente pessoal, fundamentada apenas pelo contacto que desfrutei com um grupo relativamente diversificado de enfermeiros, a um deles, nem um AINE deixaria a cargo.

Para esse asno com o desplante de se manifestar sobre a farmácia hospitalar: Sabe que cabe ao director dos serviços farmacêuticos escolher escrupulosamente a medicação a usar em cada serviço? Sabe o que é farmacocinética clínica? Faz a mínima ideia o que é farmácia clínica?
Preocupado com o tratamento (não farmacológico) da sua ignorância, eu, deixo-lhe uma pérola de sabedoria: http://www.infarmed.pt/portal/page/portal/INFARMED/PUBLICACOES/TEMATICOS/MANUAL_FARMACIA_HOSPITALAR/manual.pdf
Contudo, se for de mais para a sua compreensão estou disponível para qualquer esclarecimento.

Antes de por os pés no hospital julgava que na enfermagem, mais que qualquer outra profissão, ia encontrar pessoas sérias e verdadeiramente absorvidas pelo doente. Para minha grande surpresa descobri uma profissão minada das pessoas mais mesquinhas, frustradas e interesseiras que já conheci. Uma nobre profissão completamente corroída por pessoas de merda, com interesses de merda.

NA disse...

Oh meu caro, tem razão. De facto há hospitais em que o director clínico está hierarquicamente acima do director dos SF. Tal como está dos directores dos serviços clínicos. Isto deve ser uma daquelas coisas - que eu não percebo bem - em que os que têm Dr. antes do nome ficam de um lado (director clínico), os que não têm ficam doutro (enfº director ou lá o que é). Mas informo-o de que em alguns hospitais, só quem está hierarquicamente acima do director dos SF é o CA.
Ainda não sabia disso?
NA

Anónimo disse...

Errado, os Serviços Farmacêuticos Hospitalares são departamentos com autonomia técnica e científica, sujeitos directamente à orientação geral dos Órgãos de Administração dos Hospitais, perante os quais respondem pelos resultados do seu exercício sendo independentes da direcção clínica, já que os serviços farmacêuticos são de apoio à clínica, e não clínicos.

Realmente, estes serviçais...xô...xô cães sarnentos!

Anónimo disse...

Como sugerido num post anterior, e como gentil contributo para a educação do pessoal de enfermagem no que concerne à hierarquia e ao funcionamento dos Serviços Farmacêuticos:

http://www.infarmed.pt/portal/page/portal/INFARMED/PUBLICACOES/TEMATICOS/MANUAL_FARMACIA_HOSPITALAR/manual.pdf

Manual de Farmácia Hospitalar (Infarmed)

Mera questão de curiosidade.

Cumprimentos,
Dr.

Anónimo disse...

Mas porque é que os enfermeiros se metem num assunto que não lhes diz respeito, e porque é que lhes estão a responder?

Anónimo disse...

Para "espicaçá-los" mais só mais um bocadinho.

Anónimo disse...

Quando acabar a especialidade de industria torno-me director técnico de uma empresa inteira, e estes cromos com picardias sobre quem está acima de quem (enfermeiros não estão acima de nada certamente) num hospitaleco público a cair de podre.
Tenho dó...


Ps: Quando estive em hospitalar os enfermeiros eram os carteiros, a prescrição era entregue em mão aos serviços farmacêuticos por um enfermeiro de cada serviço (algo que está legislado).

Anónimo disse...

"Já que tocou no assunto da prescrição, apesar de terem sido os enfermeiros a arrancar com a prescrição no UK (e não só do UK vive o mundo, no Canadá por exemplo, não foram os senhores), os farmacêuticos fazem-no sem limitações ao contrário de vossas excelências"


NÃO SEJA TOLO, DESDE 2007 QUE OS ENFERMEIROS NÃO TÊM LIMITAÇÕES

Anónimo disse...

"Errado, os Serviços Farmacêuticos Hospitalares são departamentos com autonomia técnica e científica, sujeitos directamente à orientação geral dos Órgãos de Administração dos Hospitais, perante os quais respondem pelos resultados do seu exercício sendo independentes da direcção clínica, já que os serviços farmacêuticos são de apoio à clínica, e não clínicos."


Ó homem, estude e aprenda para não dizer asneiras.

Anónimo disse...

Tenha juízo, cursos de enfermagem (portugueses) com uma anatomofisiolohistologia, com 3 créditos em farmacologia e 200 de sociopsicotretas.
Vocês nem da vossa poda percebem, metam-se no vosso lugar.

Anónimo disse...

Os enfermeiros são, por natureza, seres limitados. Como é que não têm limitações? Contra-senso, senhor, contra-senso!
Para além do mais, em Portugal os enfermeiros são todos de vão de escada.
O que os enfermeiros portugueses melhor sabem fazer, neste âmbito, é servirem de carteiro entre o médico que prescreve e os serviços farmacêuticos, onde o farmacêutico valida e põe os técnicos a trabalhar.

Anónimo disse...

http://doutorenfermeiro.blogspot.com/2009/04/os-enfermeiros-sao-feios.html



Este enfermeiro limitado, dá-vos cada tanga ;)

Anónimo disse...

Sim sim, claro, como se alguém se desse ao trabalho de encher a caixa de correio de um infeliz enfermeiro.
É com cada peta.

Bruno disse...

Desconhecia o blog, mas o sujeito fala como se não fossem os tais de "serviçais" a darem inicio à peixeirada completamente unilateral.
Vejo aqui ataques infantis de enfermeiros e respostas em tom de gozo por parte da "oposição".
Já cresciam...

Anónimo disse...

Ó proprietário de uma farmácia, agora viraste médico para prescreveres medicamentos sujeitos a receita? Afinal só avias aquilo que vem das mãos do Sêu-tor, né? Pois, antes de chamares servo a alguém, olha para aquilo que fazes.

Sou enfermeiro e tenho muito gosto em trabalhar em PARCERIA com imensos médicos. Aliás, hoje cada vez mais as equipas médicas estão cientes do que é enfermagem, o nosso alvo de acção e qual o objectivo da parceria que estabelecemos. O mito urbano que domentas nos teus posts só demonstra o quão os farmacêuticos estão afastados da realidade do prestar cuidados. Podera... o balcão não vos deixa sair do mesmo sítio!

Um bem haja a todas as equipas multidisciplinares medicos/enfermeiros

Lifepassenger disse...

O ataque despropositado aos Enfermeiros parece-me sim um acto de negação, medo e de uma ignorancia completa.


Os enfermeiros trabalham com pessoas ao longo do ciclo de vida, saudáveis e doentes, em ambientes de alta tecnologia, como as unidades de cuidados intensivos, ou no domicílio mais pobre de qualquer zona do país, onde a principal arma terapêutica é o próprio enfermeiro e a relação que estabelece.

Apesar da evolução e mudanças ocorridas, a Enfermagem continua a ser uma profissão exigente, para a qual é necessário uma forma de ser compassiva, um saber teórico específico, um fazer técnico próprio, e capacidade para tomar decisões em situações de grande complexidade ética, na relação permanente com outras pessoas.


Será que conhecendo só o farmaco conseguem Cuidar da saúde . Termino referindo que após a ultima Greve de 2 dias dos Enfermeiros muitos serviços hospitalares pararam após a greve por falta de material, falta de condições ... e só foram 2 dias .

Para quem nao recorda deixo o link do que foi a greve de 1976 onde não houve minimos!!!

http://www.dre.pt/pdf1s%5C1976%5C03%5C06501%5C00010002.pdf

Anónimo disse...

Pois, qual ataques ao mail qual quê, pedi-lhe que provasse tais alegações e veja o que fez, bloqueou o comentário. Como se alguém se dignasse a enviar seja o que fosse para o mail dele.
É muito feio mentir dr enfermeiro, e pior, todos os da sua seita o seguem como patinhos.
Já só faltava inventar comentários.

Lifepassanger, recue nos posts e constate por si mesmo a "baixesa" de que são dotados os seus colegas.

Anónimo disse...

"Ó proprietário de uma farmácia, agora viraste médico para prescreveres medicamentos sujeitos a receita? Afinal só avias aquilo que vem das mãos do Sêu-tor, né? Pois, antes de chamares servo a alguém, olha para aquilo que fazes.

Sou enfermeiro e tenho muito gosto em trabalhar em PARCERIA com imensos médicos. Aliás, hoje cada vez mais as equipas médicas estão cientes do que é enfermagem, o nosso alvo de acção e qual o objectivo da parceria que estabelecemos. O mito urbano que domentas nos teus posts só demonstra o quão os farmacêuticos estão afastados da realidade do prestar cuidados. Podera... o balcão não vos deixa sair do mesmo sítio!

Um bem haja a todas as equipas multidisciplinares medicos/enfermeiros"

Acho que é precisamente o contrário, julgo que a enfermagem colapsou, basta para isso ver as condições em que trabalham, isto é, quando o fazem (relembro os dados relativos à pouca empregabilidade).

A Farmácia enquanto ciência em Portugal é uma infeliz excepção à realidade do primeiro mundo, o atraso é incontestável e a inercia do país não se faz sentir só na saúde.

Anónimo disse...

de facto o cartão farmácia mostra como os farmaceutocs ssão bons a meter pontos, tal como os gajos da galp

Anónimo disse...

Não seja tão mauzinho com os doutores da farmácia que exibem o titulo tão orgulhosamente...

Onde estudei, a faculdade de farmácia era quase ao lado da medicina e esse era o meu prazer deles....já que não puderam estar lá dentro, ao lado já foi bom...

Anónimo disse...

Não seja tão mauzinho com os doutores da farmácia que exibem o titulo tão orgulhosamente...

Onde estudei, a faculdade de farmácia era quase ao lado da medicina e esse era o maior prazer deles....já que não puderam estar lá dentro, ao lado já foi bom...

Anónimo disse...

E lá voltaram os enfermeiros para dar ar de sua graça e mostrar o quão desprovidos de massa cinzenta são.

Cesso a minha participação neste ou outro blog onde participem serviçais como vossa senhoria, com um comentário jocoso ao seu nível:

- E tu és bom para limpar trampa e carregar com baldes de estrume escada acima escada abaixo, como os tratadores do zoo.


HA HA HA

Fique bem.

Anónimo disse...

"Não seja tão mauzinho com os doutores da farmácia que exibem o titulo tão orgulhosamente...

Onde estudei, a faculdade de farmácia era quase ao lado da medicina e esse era o maior prazer deles....já que não puderam estar lá dentro, ao lado já foi bom..."

Fala aquele que não entrou em medicina, farmácia, dentária ou veterinária e teve de ficar com os restos. Não sei se a azia custa, mas pelo seu comentário julgo que sim.

Já agora, a ex-gulbenkian é dentro do recinto do HSM.

Ps: Enfermagem, média de 11, pfff roflol

Med08 USD disse...

Não se pode ter um debate sério sem virem estes estafermos estragar tudo.

Boa noite memais, e até ao dia em que ponha ordem nesta casa.

Farmacêutico proprietário de farmácia disse...

O que eu já me ri à conta disto.
E Os caríssimos serviç... Enfermeiros caíram que nem uns patinhos tontinhos - bastou que eu falasse do Dr. de que faço uso no meu cartão de crédito e estalou-lhes logo o verniz. Também queriam, é? Vá, não custa nada admitir. Mas não precisam, porque o terramoto que a minha declaração provocou na blogsfera dos serviç... Enfermeiros, por si só, já o atesta. Mas se quiserem, também vos posso falar dos meus investimentos no Credit Suisse. Querem?

Sois mesmo previsíveis.

Obrigado pelos momentos de risada!

Cumprimentos,
Dr.

? disse...

Mas que cambada de "putos"...
Meu Deus...
Cada macaco no seu galho, cheguem a um consenso...
Serem retrógrados não abona nada a vosso favor...ninguém é serviçal de ninguém! E há muito tempo que assim o é...e não é só na área da Saúde!
Boa Páscoa e comam amêndoas, para adoçar a boquita s.f.f

Anónimo disse...

Pessoalmente acho inadmissivel este ataque mutuo entre classes profissionais, fazendo que se desprestigiem ainda mais.

Por isso, somos todos uns fracos, uns mais que outros! Não é preciso virem os administradores, politicos, governos para nos atingir, nos tentar negar aquilo que conquistamos ao longo de uma geração!
Temos as varias classes profissionais que se infligem, para que a outra fique pior do que já está.

É tipico de uma grande maioria dos portugues: "Eu posso estar mal, mas vou fazer para que aquele ainda esteja pior do que eu" ou então "para eu subir, vou f#$##$ aquele". Como se assim o egocentrismo fosse a cura para os males que assolam as diversas profissões.

Chamar de Mestres aos Médicos, Serviçais ou pits bulls aos Enfermeiros, Meu DEUS, Que FALTA de Profissionalismo tem algumas pessoas que se dizem profissionais

Utente disse...

Este blogue está atolado de merda.

NA disse...

A todos, votos de uma Santa Páscoa.

NA

NEL disse...

Não posso deixar passar em claro o que o "Farmacêutico proprietário de farmácia" disse.

Embora a palavra "disse" implique alguma capacidade de raciocínio, aliada à lógica da razão, a verdade é que simplesmente neste caso isso não se verifica.

Segundo Séneca a "razão" é uma qualidade exclusiva do homem. Logo quando um homem é desprovido de razão, deixa de ter a qualidade que o distingue dos outros animais.

Diria mesmo que, no que diz respeito aos farmacêuticos, estamos perante uma classe de "pavões", que incessantemente procuram a ribalta.

Estas "pegas" do "vil metal", não hesitam mesmo em usurpar funções de outras classes em prol dos seus intentos.

Na história da humanidade, ao contrário do que possam pensar, foi a irracionalidade sem razão, que gerou os monstros que se materializaram no holocausto.

Podem pois acreditar que estamos assistir à ascensão de mais um, que dá pelo nome vulgar de farmacêutico.

Estes monstros crescem em qualquer esquina, tal como as lojas dos 300, são a praga do século, ávidos do poder, já congeminam alterar o nome de farmácia para o "desenrasque do faz tudo".

Também aqui a nossa Ordem tem a sua quota parte de culpa, impávida, serena, inoperante e enfraquecida por uma débil Bastonária, ébria de uma estonteante ética de húmus fecundo

em acções da carácter ignóbil, deixaram-nos derrotados, num primeiro confronto...

EU NÃO VOTO PS.

NEL.

Anónimo disse...

A parte mais engraçada da coisa é que todos vocês, um dia numa cama de hospital, precisarão dos nossos cuidados.. Nunca cuspam para o ar porque o Karma tem coisas levadas da breca... Um abraço para todos vocês que ganham como licenciados mas vivem como desgraçados.

Anónimo disse...

para o "Farmacêutico proprietário de farmácia disse..."

Dr... no meu cartão de crédito....sem comentários.... mas que farmaceutico é este? Se quer demonstrar o seu titulo honorifico tenha comentarios que demonstrem o saber estar e saber ser.......

PS: O sr. tem dr... mas existem muitos farmaceuticos e enfermeiros em que o seu titulo será : Doutor. Qualquer licenciado tem o titulo honorifico de DR.

Neuro_enfermeiro disse...

Para o "Farmacêutico proprietário de farmácia" a sua imbecilidade é do tamanho do seu ego. Espero que quando estiver internado num qualquer serviço e então entulhado de m.rda até ao pescoço, chame um colega seu para lhe limpar o rabinho, pois não vá o reles, ignóbil e limitado enfermeiro, confundir o seu cérebro com o orifício anal…

P.S – Já vi que passar a vida atrás de um balcão a aviar smarties trás graves transtornos psicológicos.

Anónimo disse...

Neuro_enfermeiro, pelos seus comentários se vê bem de que orifício provem. Deixe que daqueles que estão a vender smarties, o fazem com gosto e muito bem estão na vida. E os outros que não o fazem, estão ainda melhor.
Não devia desdenhar de quem acolhe os seus colegas que recorrerem à farmácia em desespero e com fome.
(Será que uma vida inteira como empregado de limpeza não trará transtornos mentais mais cedo? Olhe que os seus telhados de vidro são os mais rachados.)

Esse líder desse blog marxista embrulha todos os seus discípulos e estes veneram-no com aplausos de olhos fechados. A conversa estava a seguir bem até choverem os intocáveis para abandalhar tudo.
Quando lhe é solicitação que prove tais alegações de que a sua caixa de correio ficou cheia com ataques (!), colocando apenas 1/5 deles à disposição dos leitores (já que eram assim tantos), eis que ignora e impede que o requerimento chegue aos olhos dos seus fiéis partidários – ainda vai a tempo para os começar a fabricar.
Se os seus seguidores possuíssem o mínimo de massa encefálica funcional talvez percebessem que os farmacêuticos estão muito bem como estão. Não precisam de se preocupar com afairs daqueles que ganham esmola em asseios, e talvez aí conseguissem vislumbrar algo de desacertado na ideia de que alguém como os primeiros, carecerem de se inquietar com as trivialidades dos segundos.
Como o outro dizia “inveja em ser pobre e mal amado? Por favor…”

Cesso também eu aqui a minha participação neste chiqueiro.

Boa Pascoa, e mais emulsão nessas esquinas.

Anónimo disse...

P.s.: É "Traz" e não "Trás" sr. enfermeiro, acho que ser empregado de limpeza realmente traz neuroses mais cedo, ou no seu caso, psicose tal o distanciamento da realidade em que vive.

Anónimo disse...

Caro Farmacêutico proprietário de farmácia:

Sabe qual é a realidade actual dos Farmacêuticos? Eu digo-lhe a autodestruição!

A vossa ganância de vender cada vez mais, ganhar cada vez está a fazer com que vocês se autodestruam...cada vez abrem até mais tarde...isto pk? pk a farmácia vizinha também o faz; cada vez fazem descontos maiores nos medicamentos...isto pk porque na farmacia vizinha também o fazem, ao ponto de muitas já venderem medicamentos abaixo do preço de custo...ou seja a vossa falta de ética já advêm entre a vossa classe profissional...

Quanto ao curso de Enfermagem ser tirado em escolas de vão de escadas, deixem-me que o lembre que existem cursos de "Drs Farmacêuticos tirados em privadas que sabe Deus como aquilo funciona!"

Eu sou enfermeiro, não tenho a quarta classe descanse...sou doutorado em Biotecnologia e por acaso até dou aulas a futuros farmacêuticos e sabe como os seus futuros colegas se intitulam nos corredores da faculdade? Os futuros Srs Drs do x-acto e da fita cola...pense nisso antes de nos atacar...

E só para acabar o desemprego está a chegar à vossa classe...apontem as vossas energias para isso, pois quando abrirem em massa as farmácias hospitalares a vossa classe vai entrar em ruína!

Simplesmente Enfermeiro, pois o doutor não me torna único!

Anónimo disse...

Desde já peço desculpa por estar a escrever neste blog, visto que sou............ muitos nomes que eu desconhecia, no meu hospital a relação enfermeiro / farmacêutico é excelente, quantas vezes telefona o farmaceutico a pedir para ajuadar a perceber a prescrição? Quantas vezes o enfermeiro telefona a pedir informações sobre algum farmaco que desconheça? SOMOS UMA EQUIPA QUE TRRABALHAMOS PARA O MESMO OBJECTIVO, PRESTAR SERVIÇOS DA MELHOR QUALIDADE!!!

Em todas profissões existem bons e maus profissionais, mas rotular uma classe de nomes improprios, é de um nivel muito baixo.

Sou feliz no que faço, e desenvolvo o meu trabalho numa equipa interdisciplinar, e aprendo com todos desde auxiliares aos medicos.

Não tenho qualquer problema em ir a qualquer farmacia e pedir opiniões aos farmaceuticos, dominam e têm mais conhecimentos do que eu na sua area....tal como nos enfermeiros recebemos os vossos familiares e amigos e damos o nosso melhor, tb sei que os farmaceuticos, assim o fazem com os meus amigos e familiares....


Feliz Páscoa.

Anónimo disse...

pra o senhor proprietário,
qualquer pessoa tem escrito Dr no seu cartão de crédito. não pense que isso é exclusivo dos médicos.

Anónimo disse...

sempre que tenho um doente que é farmacêutico enfio-lhe um dedo no cu

Farmacêutico proprietário de farmácia disse...

As farmácias abrem "até mais tarde" porque o sr. Primeiro-Ministro e o seu Governo legislaram nesse sentido. O que é que quer que eu lhe diga? Que é a minha "ganância" a trabalhar? Olhe, vá falar com o "Socras".

Mas se de facto é "doutorando em Biotecnologia", presumo que já tenha conhecimentos científicos suficientes que lhe permitam interpretar este EMSA: http://img129.imageshack.us/img129/2428/emsa.png

Presumo que o caro "doutorando" saiba o que é um bandshift, um supershift ou algo tão básico como um gel de agarose e uma electroforese.

Digo-lhe que temos 3 sondas de dsDNA marcadas com as sequências dos locais de ligação putativos dos FT Sp (+68/+75), (-50/-36) e (-92/-85) do promotor do gene Gαi2.

Se me conseguir explicar porque é que em (3) não há shift, mas em (4) há, dou-lhe um prémio (em cash).

fernandomgster disse...

Após ler a totalidade dos comentários colocados, pude concluir que, a par de um debate sensato, foi colocado um comentário anónimo irónico em relação aos farmacêuticos seguido de outro anónimo a denunciar o anterior como sendo de um enfermeiro. Se realmente quem começou a baixaria foi um enfermeiro, devo dizer que estou mesmo triste com isso.

Face à realidade actual na qual os enfermeiros enfrentam a maior batalha de sempre, surgirem ironizações sobre outras classes, é lamentável.

Assim como a intervenção do senhor Rui Sobral, igualmente infeliz.

Farmacêutico proprietário de farmácia, deplorável.

Doutor Enfermeiro, respeito o seu blog, mas a sua intervenção também não veio ajudar, perdeu a oportunidade de mostrar a sensatez que lhe reconheço.

Todos vocês necessitarão no futuro de médicos, enfermeiros, farmacêuticos... sejam coerentes no futuro e recusem ser atendidos pelos profissionais das classes às quais vocês não pertencem. Em matéria de saúde, está provado que vocês se julgam autosuficientes e a multidisciplinaridade não é um conceito do vosso dicionário.

Um bem haja aos enfermeiros, farmacêuticos e médicos que conseguem abstrair-se de estereótipos, preconceitos, frustrações e demonstrações fáceis de arrogância. Mantenham a vossa integridade social, científica e sobretudo, moral.

Boa Páscoa!

PGT disse...

Este pessoal da saúde é muito raivoso.... tratem-se todos! Srs. Médicos, Farmaceuticos e Enfermeiros. Ainda se acham os campeões com estes discursos?! Shame on you! A nata deste país são os fisicos e engenheiros que vingam no exterior. Os médicos teimam em andar com o rei na barriga por terem tido boas notas na escolinha secundária lá da terrinha quando tinham 17 anos. Aos 50 anos ainda é a unica coisa de que se orgulham.

sr enfermeiro disse...

boa noite gente...
desde ja peço desculpa visto que nao gostam de nos.
queria aqui dizer que esta conversa é muito estupida, andam para aqui a criticarem se sem motivos para tal. alias nao passamos uns sem os outros, todos temos cuidados independentes como tambem temos dependentes, e nao venham dizer que nao. o medico precisa de nos tal como o farmaceitico e vice-versa.
deixem se de ser mesquinhos e de alimentar uma discusao que nao nos leva a lado nenhum.
para ser sincero e como forma de resposta a um individuo a unica coisa que gostava de ter era trabalho como enfermeiro e sermos mais reconhecidos no nosso pais como ja acontece la fora (mas para isso é preciso lutar para a mudança de mentalidade da nossa classe e da nossa ordem ja que nao luta nada pela classe), agora inveja de ser medico?? nao..

boa pascoa

Anónimo disse...

Discussão inutil...Não sei qual é a ideia desta gente...Um dia morremos todos...Isso é certo e, acreditem que já vi muita degradação da vida humana provocada pela falta de ética e compreensão, pela incapacidade de colocarmos o doente/utente em primeiro lugar...Trabalhemos todos em conjunto nesse grande objectivo de proporcionar aos que precisam de nós, um pouco mais de dignidade, de conforto.É este o meu designio e, foi por isso que optei pela Enfermagem, com muito orgulho...Conheço excelentes médicos, excelentes farmacêuticos e excelentes enfermeiros, mas há muitos que deixam muito a desejar... Esse proprietário de farmácia, está me atravessado na garganta...Serviçais???Limpadores de m...a???E porque não "apertadores de queixos" de quem nos trata assim???É que eu só respeito a dignidade de quem a tem!!!Pense nisso e, um dia, quando estiver numa cama de hospital em degradação, lembre-se de que quem vai estar ao seu lado e vai acompanhá-lo até ao fim, será um Enfermeiro...
No entanto, pode ser que tenha sorte e, não precise...
Cumprimentos a todos os que trabalham com profissionalismo e sabem respeitar os outros profissionais...Os outros que se F...M...
Enfermeiro com muito orgulho

Nuno Pereira, Enf.º

Anónimo disse...

Para o "Farmacêutico proprietário de farmácia"

Desculpe... Dr. Farmacêutico.

Ainda à bem pouco tempo eram os Enfermeiros que estavam a dar formação a farmacêuticos. Porque? Será que é por estes Enfºs terem a 4ª classe? creio que não.

Estes srºs Drºs um dia irão parar a um hospital e a um centro de saúde, e poderão confirmar a insignificância dos enfºs.

Deixem-nos falar... olhem que estar atrás de um balcão aviar receitas, fazer trocos, repor stocks, aconselhar cremes e respirar €€€€€€€... que vida mais triste, que profissão mais monótona. Agora ainda vos deram o direito de administrar umas vacinas e mais não sei o que... que alegria, parecem crianças só de saberem que vão administrar vacinas. Sempre ajuda a diminuir essa monotonia de balconeiro. Antes preferia trabalhar num café.

Quando vou uma farmacia, não encontro diferença entre um técnico e um DRº... será que têm ambos a 4ª classe?

Tudo neste país é apelidado de DOUTOR, ficando com a sua auto-estima elevadíssima... que enorme valor mesquinho.
Eu prefiro que me tratem como ENFERMEIRO, mesmo sendo doutorado.

Fiquem bem gente. Tenham é calma, o mundo não acaba amanhã e cuidado com os ataques aos enfermeiros, acho que não merecem tanto... um dia falaremos pessoalmente.

AMP

Anónimo disse...

"Nem é preciso ser linguista para perceber que entre um pedreiro e um enfermeiro, intelectualmente, não há lá grande diferença - e, meus caros, assim se manterão vocês, na base da pirâmide social, ad eternum"
devem tar a gozar cmg.. eu sou enfermeira, 1ª opção.Smp o quis ser.. a minha irma é medica, e n tnh qq problema c medicos, c farmaceuticos c nada.
A escolha da nossa profissão´tem a ver connosco, c a nossa personalidd, com akilo q nos faz sonhar.
agr quem fala assim,sem educação, sem postura a atacarem-se uns aos outros.. n valem nada.
Deviam ir respirar ar puro lá fora, pq tao a ter um curto-circuito.
a quem escreveu isto, d facto,adoraria prestar-lhe cuidados de enfermagem, so p essa pessoa s apreceber q realmente os enfermeiros sao importantes, e q sao eles q estao convosco 24h diarias, e vos prestam cuidados.
Nao estou aqui a dizer q os medicos nao estao presentes, n é esse o meu intuito. os medicos licenciaram-se e orientaram os seus estudos para o tratamento dos doentes. é isso q fazem.
as vezes pode n conseguir fazer-s mto.. desde a simples presença ao pe do dte na hora da morte, à mao q agarramos, ao inicio da reanimação, as entubações, aos partos q fazemos, às pessoas q ajudamos no domicilio..
sou enfermeira e amo a enfermagem. n sou nenhuma frustrada...
conheço a medicina de perto, mas amo a enfermagem. sou instruida, licenciei-m, e tento fazer o meu melhor.
Parem c estas coisas... sao tao estupidos...
Discutam com sabedoria e nível.


"Pessoalmente, por mais que se esperneiem, eu não lhes reconheço qualquer tipo de prestígio. Nem eu, nem os meus utentes" nao reconheces prestigio aos enf?
é a tua opiniao.. e pelos vistos falas pelos teus doentes.. é bem.
ja reparast naquilo q assumes? pareces uma criança, q so sabe defender-se magoando os outros.

eu reconheço-m prestigo, eu sei aquilo q faço diariamente. SE n reconheces, é pq n sabes o q é a enfermagem.. n estou a dizer q somos melhor q as outras profissoes.. cada um no seu lugar.

e realmente como alguem diz:
"Por fim, gostava de ver os farmacêuticos numa unidade de cuidados intensivos, numa unidade de diálise, no pré-hospitalar, numa medicina, nos transplantes"

Tb gostava.

Anónimo disse...

AMP, muitos dos farmacêuticos até podem trabalhar enquanto farmacêuticos comunitários e executar essas tarefas (completamente deturpadas da realidade) que diz serem menores (mais de metade de todos os farmacêuticos que exercem em comunitária são proprietários). Mas grande parte da classe ocupa altos cargos (sejam especialistas ou não) distribuídos pela indústria farmacêutica, infarmed, anf, grupo mello, laboratórios de análises clínicas/bromatológicas/hidrológicas e empreendedorismo privado em geral (desde a farmacoeconomia até a consultoria particular em saúde). Enquanto que dos vossos 50 000 apenas uma percentagem centesimal consegue deitar as unhas a meia dúzia de cargos de enfermeiro chefe e director por esses hospitais fora. Já o resto, esse fica a pedir esmola visto que empreendedorismo por entre a classe de enfermagem é praticamente nulo.
Não subestime uma classe que desconhece completamente nem tem como conhecer – se quiser, até posso gastar alguns minutos a dar-lhe exemplos do que referi acima.

Anónimo disse...

Eu também tenho um cartão de crédito com DR. nhã, nhã, nhã... e tu não tens!


O meu filho de 7 anos é mais adulto ...

Que infantilidade!!!! e que estupidez natural esta de os Portugueses se acharem mais importantes que outros com essa do DR...

Anónimo disse...

O ensino superior deveria ter umas cadeiras de boa educação e de respeito pelos outros, principalmente pelos utentes da saúde, que somos todos, incluindo médicos, enfermeiros e os farmacêuticos.

O proprietário da farmácia pura e simplesmente deveria deixar de poder exercer a sua profissão.

Já fui operado à coluna e tive de "choco" uma série de tempo, e ainda bem que foram enfermeiros licenciados que me limparam a merda antes e depois da operação.

Também gosto de ser respeitado quando opero um quadro de perfuração intestinal e chalafurdo em merda por todo o lado!! Quando tento resolver um quadro de sub oclusão e e espirra merda para todo o lado, até já levei com ela na cara!!!

O senhor da farmácia não faz isso?

Sabe o que é lidar com a morte, a vida ... a merda, a urina ...

As prescrições que os médicos fazem para os enfermeiros administrarem nos hospitais são geralmente bastante mais complexas daquelas que fazem para serem aviadas pelo farmacêutico na farmácia de berbigais de baixo!!!

Todos somos importantes, agora há aqui farmacêuticos que são um bocadinho vaidosos, não sei bem porquê????

Neuro_enfermeiro disse...

"O ensino superior deveria ter umas cadeiras de boa educação e de respeito pelos outros, principalmente pelos utentes da saúde, que somos todos, incluindo médicos, enfermeiros e os farmacêuticos.

O proprietário da farmácia pura e simplesmente deveria deixar de poder exercer a sua profissão.

Já fui operado à coluna e tive de "choco" uma série de tempo, e ainda bem que foram enfermeiros licenciados que me limparam a merda antes e depois da operação.

Também gosto de ser respeitado quando opero um quadro de perfuração intestinal e chalafurdo em merda por todo o lado!! Quando tento resolver um quadro de sub oclusão e e espirra merda para todo o lado, até já levei com ela na cara!!!

O senhor da farmácia não faz isso?

Sabe o que é lidar com a morte, a vida ... a merda, a urina ...

As prescrições que os médicos fazem para os enfermeiros administrarem nos hospitais são geralmente bastante mais complexas daquelas que fazem para serem aviadas pelo farmacêutico na farmácia de berbigais de baixo!!!

Todos somos importantes, agora há aqui farmacêuticos que são um bocadinho vaidosos, não sei bem porquê????"

ora aqui está um comentário que demonstra inteligência.

Anónimo disse...

São vaidosos a maioria das vezes porque acham que são muito importantes. Que tiraram um curso superior, que por acaso até tem uma nota alta, e que o fizeram por uma paixão.
Mas existe paixão em estar atrás de um balcão???
É inegável que os farmacêuticos são necessários mas que assumam por uma vez que tiraram o curso porque dá muito, muito dinheiro e pouco trabalho. O objectivo final de qualquer farmacêutico é ter a sua própria farmácia para lhe dar lucro. Não me contem histórias da carochina e não mevenham dizer que é paixão por estar atrás um balcão a aviar receitas.
è um trabalho estático e que não requer qualquer exercício mental. Chamem as coisas pelos nomes: Querem dinheiro (e ganahmm muito).
Não spu médico nem profissional de saúde mas conheço muitos farmacêuticos e convivo com alguns e o discurso deles é sempre o mesmo.

Carolina Pimentel disse...

Olá boa tarde!

Estou deveras triste por ver como as pessoas se atropelam...

Somos ou não somos profissionais de saúde em prol de um único fim?! Talvez não!

Sou médica do ano comum, e fiz o curso de medicina com alguns enfermeiros e farmaceuticos.

Ambos possuem visões diferentes, conhecimentos e metas distintas!

Os enfermeiros possuem um raciocínio clínico muito mais apurado e certeiro a par com colegas de dentária e veterinária. Os farmacêuticos tinham apenas a vertente científica em demasia e boas notas a farmacologia e negativas a terapêutica.

MAS...nós precisamos de farmaceuticos com veia científica...a investigação reside aí! E o mérito de muita da ciência MOLECULAR é dos farmacêuticos da indústria e investigação...pcos, mto pcos!

Mas senhor Farmacêutico proprietário de farmácia, repudio por completo toda e qualquer calúnia imposta aos Enfermeiros, nem sabe do que está a falar!
E relativamente a frustrados...bem...no seu meio não faltam! A minha irmã terminou o secundário com 19,7 valores e eu com 18,6 ela seguiu Enfermagem e eu Medicina. Os nossos pais: Farmacêuticos, também donos de FarmáciAS!
E meu caro senhor comparar Enfermeiros a Obreiros, quando um dia por certo será cuidados por um com o maior profissionalismo, vai ser apenas uma forma de lhe dar uma estalada sem mão...

Deixo-lhe o desafio de me acompanhar a uma unidade de intensivos, um bloco operatório ou uma urgência...onde usualmente os farmacêuticos só colocam os glúteos menores, médios e maiores por doença ou engano no corredor!


Ahhh e por certo...o médico e o enfermeiros são profissionais de quem um dia, alguém irá por certo precisar...um farmacêutico...é apenas um intermediário entre a carteira e o fármaco.

Ainda falando de títulos...bem...o Enfermeiro da minha turma tirou 98 no exame de especialidade...o farmcêutico 51...o exame não é justo para ninguém...mas o exame era o mesmo para todos naquele dia!

Atenciosamente,
Carolina

Interno (Ano Comum) disse...

Cara Carolina Pimentel, não devemos viver no mesmo país então. É que eu também sou interno do Ano Comum e o primeiro colocado do concurso, que eu até conheço pessoalmente (e não é enfermeiro mas apenas formado em Medicina) teve 97 no exame da especialidade (não houve nenhum 98). Por acaso escolheu Medicina Interna. Mas se calhar eu e a Carolina vivemos em "dimensões" diferentes... E discordo quando diz que Enfermagem e Medicina Dentária (muito cirúrgica e pouco clínica) têm raciocínio clínico mas ainda menos Enfermagem, cuja base são, essencialmente algoritmos. E as bases científicas são nenhumas (quase).

sr enfermeiro disse...

caro interno(ano comum) se nao sabe do que fala esteja calado.
se nao sabe qual a funçao de um enfermeiro nao abra a boca.
se acha que so os enfermeiros tem algorritmos, ta mt enganado!!
a pratica da medina tambem tem muitos...

cumprimentos

IAC disse...

Eu também sou médico e interno do ano comum.
Não percebo a ponta do que a Carolina Pimentel escreveu no post?
Um enfermeiro tirou 98 no exame de especialidade e um farmacêuctico 50??????
Mas não são só médicos que fazem o exame de acesso??? (pelo menos na minha sala foram.
Ou se seriam já pré-licenciados mas que raio é que isso prova? Porque realmente quando fiz o exame o raciocínio foi uma coisa que me foi bastante útil (tirei 93 mas garanto que não foi à custa do raciocínio)
Para além disso a Carolina Pimentel deve mesmo viver numa outra dimensão uma vez que consultando a lista dos internos do ano comum, ou seja os que fizeram o exame de especialidade se observa que NÃO EXISTE NENHUMA CAROLINA PIMENTEL.
Mas de que em que faculade/hospital ela se terá formado???
Básica. Básica.
Mas concordo com ela quando afirma que os enfermeiros são profissionais de saúde muito mais capazes do que os farmacêuticos e com muitas mais capacidadesd e prescrição.

Interno (Ano Comum) disse...

O IAC desculpe não sei quem é mas se calhar também vive noutro mundo que não é o meu ou então tenha noção nessa cabeça. Eu acho que um enfermeiro a prescrever neste país seria de loucos e um atentado à saúde pública. Eu tenho muito boa noção da realidade dos enfermeiros neste sítio e os enfermeiros portugueses são muito mal formados em termos de ciência básica na área da saúde porque há de tudo e não há uma única escola de enfermagem que lhes dê bagagem suficiente para qualquer acto de prescrição... Nem em termos de farmacologia nem em termos de terapêutica. Para prescrever é preciso clínica mas antes da clínica são precisas as bases da ciência básica que nenhum enfermeiro têm. O que sabem nesse aspecto aproxima-se de zero. E sem isso não há clínica que valha a ninguém. Os enfermeiros que façam o que lhes compete porque e não sonhem muito porque a prescrição é um acto médico...

Anónimo disse...

"Ahhh e por certo...o médico e o enfermeiros são profissionais de quem um dia, alguém irá por certo precisar...um farmacêutico...é apenas um intermediário entre a carteira e o fármaco."

Ó Carolina Pimentel, lamento desiludi-la, mas já olhou bem para a embalagem de um medicamento? Já reparou bem na designação da profissão que lá vem impressa ou preciso de lhe dizer que é "Farmacêutico"? Afinal, não me diga que nunca precisou de um farmacêutico... Para sua infelicidade, todos os dias entra ou está um produto da sua actividade em sua casa: o medicamento - quer queira, quer não. Se não fosse esse farmacêutico de indústria, quem garantiria a qualidade, ao nível do fabrico, do medicamento que toma? A Carolina Pimentel, com os seus conhecimentos imensos de tecnologia farmacêutica? É só um pequeno exemplo, entre muitos.

Quanto à questão da intermediação entre a carteira e o fármaco - ou seja, à farmácia - lamento que lhe cause urticária (como a tantos outros da sua espécie - e outras mais ou menos aparentadas). Mas sempre é mais honesto do que cobrar, qual mercenário da saúde e bem-estar, 100 euros/5 minutos/consulta na clínica da Conchichina. Os verdadeiros comerciantes da saúde, afinal, são outros.

Retiro-me agora deste antro pestilento e mal frequentado, pois não tenho por hábito manter diálogos com gentalha.

Bem-haja.

Farmacêutico proprietário de farmácia disse...

"Ahhh e por certo...o médico e o enfermeiros são profissionais de quem um dia, alguém irá por certo precisar...um farmacêutico...é apenas um intermediário entre a carteira e o fármaco."

Ó Carolina Pimentel, lamento desiludi-la, mas já olhou bem para a embalagem de um medicamento? Já reparou bem na designação da profissão que lá vem impressa ou preciso de lhe dizer que é "Farmacêutico"? Afinal, não me diga que nunca precisou de um farmacêutico... Para sua infelicidade, todos os dias entra ou está um produto da sua actividade em sua casa: o medicamento - quer queira, quer não. Se não fosse esse farmacêutico de indústria, quem garantiria a qualidade, ao nível do fabrico, do medicamento que toma? A Carolina Pimentel, com os seus conhecimentos imensos de tecnologia farmacêutica? É só um pequeno exemplo, entre muitos.

Quanto à questão da intermediação entre a carteira e o fármaco - ou seja, à farmácia - lamento que lhe cause urticária (como a tantos outros da sua espécie - e outras mais ou menos aparentadas). Mas sempre é mais honesto do que cobrar, qual mercenário da saúde e bem-estar, 100 euros/5 minutos/consulta na clínica da Conchichina. Os verdadeiros comerciantes da saúde, afinal, são outros.

Retiro-me agora deste antro pestilento e mal frequentado, pois não tenho por hábito manter diálogos com gentalha.

Bem-haja.

NA disse...

Os farmacêuticos são básicos, estão atrás de balcões, o que fazem qualquer um faria, etc... Mas se não fôssemos nós, não havia nem análises clínicas para ajudar a diagnosticar, nem medicamentos para curar. E aí é que eu queria ver como é que era... Por isso, tenham juízo, não venham para cá atacar gratuitamente os farmacêuticos, porque ninguém vive sem ninguém. Agora o tamanho do ego de cada um é que parece toldar a razão de muitos que vêm para aqui com um discurso que, na melhor das hipóteses, envergonha as mãezinhas dos respectivos emissores.
NA

Anesthetist disse...

Médicos, Enfermeiros e Farmacêuticos...são e continuarão a ser elementos primordiais em qualquer sistema de saúde organizado em prol do utente!

Sejamos coerentes! E ao invés de procurar fragilidades e lançar insultos...sejamos capazes de reunir esforços e encontrar consensos!

Sendo Enfermeiro e Estudante de Medicina, à semelhança de muitos que passaram por aqui, não posso deixar de discordar de algumas afirmações feitas!

Quem é afinal o especialista do medicamento?!?!? Inegavelmente, o Farmacêutico! E continuará a sê-lo! Quem se atrever a discutir isto...certamente, não sabe do que se trata um Farmacêutico.

Relativamente a títulos...por mais que o neguem, em Portugal toda a gente gosta deles! TODA! Uns mais outros menos...mas não deixam de gostar!

Saibamos conviver....

P.S.- Genéricos frente a frente, ontem na SIC Notícias...quem encontrar o link e me possa enviar agradeço.

Abraço,
N. Tavares Lopes

Anónimo disse...

É assustador verificar o nível das pessoas que supostamente são responsáveis pela saúde do país...nem é preciso dizer-vos o que parecem, voçês falam por voçês próprios.
Cresçam...

Anónimo disse...

1) cresçam
2) Se preocupem com o trabalho de vocês e tentem fazer o melhor possível sendo médicos - farmacêuticos e/ou enfermeiros.
3) como há farmacêuticos que dão de dez em um médico, há também contradições.
4)Nós fazemos a nossa profissão, pelos nossos esforços podemos fazer dela a melhor profissão que há.
5)Em defesa aos farmacêuticos, há farmcêuticos que atrás de um simples balcão ganham muito mais do que enfermeiros, os cremes/cosméticos/shampoo/alimentação/toxicologia/medicamentos....entre outros são feitos por farmacêuticos, ou seja, enquanto vocês (médico-enfermeiros)só tem uma saída que é a da área da saúde, nós podemos nos envolver com diversas áreas.
O que eu quero dizer é que vocês não devem menosprezar o trabalho/serviço de ninguém, se preocupem com o de vocês em fazer o melhor, para a sua profissão ser reconhecida.
6) Dizem que farmacêuticos são médicos frustados, não estou de acordo, pois, não se pode dizer no total, quem quer ser médico lute e seja, e vice versa.
A frustação pode sim ocorrer mais por diversos motivos, e em diversas profissões.
Então cresçam e assumam cada profissão tem seu valor, e que um precisa do outro, se não como podemos ajudar a população, se diversos idiotas discutem quem é ou era melhor, detalhe isso não ajuda em absolutamente nada.

atenciosamente estudante de farmácia de apenas 18 anos.

Anónimo disse...

Sr Farmacêutico
Você de Dr. tem tanto como eu que sou enfermeira ou até menos!
De conhecimento só se for de farmacologia e pouco mais. Tem umas paletes como uns “amigos” nossos de quatro patas que só olham para a frente:) se é que me entende...
Pela sua classe tenho maior respeito, como pela grande parte de outros profissionais de saúde, porque, apesar da sua licenciatura pelos vistos ser "maior" que a minha não tem a percepção que Farmácia e Enfermagem são profissões diferentes e têm focos de acção distintos.
Voçê é daqueles que eu gostaria de ver numa unidade de internamento, numa urgência em paragem cardio-respiratória, unidade de cuidados intensivos (cuidados especializados prestados por quem ????)ou acidentado na via pública e que fossem os seus grandes amigos farmacêuticos ou até mesmo doutores “médicos” a acudi-lo:
"Ai, ai, ai que me valham os srs. “doutores”…"
Antes de falar de enfermagem procure saber do que fala e já agora http://portal.esenf.pt/www/pk_menus.v_menu?sessionid=&cmenu=15275
Não percebo também porque a sua excelência que é Sr. Dr. , ande agora a administrar vacinas na sua farmácia(???), ora se essa é uma competência dos tais menos doutores enfermeiros :S Se um doente lhe faz um choque anafilático o sr. Dr. puxa pelo conhecimento e chama o INEM, senta o cliente numa cadeira fora do seu estabelecimento a “apanhar ar” como já se viu e continua a aviar receitas.
Quero aqui referir que respeito os seus colegas que tenham uma abordagem diferente da sua… que presumo serem muitos.
Ah e para sua informação os enfermeiros também fazem investigação e pergunto-me se neste país não haveram mais enfermeiros com mestrados/ doutoramento que a classe da sua excelência???
Há enfermeiros especialistas em Médico-Cirúrgica, Pediatria, Obstetrícia, Reabilitação, Saúde Mental. E trabalham em vários locais: a nível comunitário, hospitalar alguns são investigadores e docentes universitários já viu!!
Sabe é que educação, cultura e conhecimento não se aprende numa Licenciatura, seja ela qual for!!!
Os melhores cumprimentos….
Enfª Magalhães