terça-feira, junho 24, 2008

Um Esclarecimento do Gabinete de Comunicação e Imagem do INEM ao Post ""Mais uma do INEM ..."

A voz do INEM com o mesmo destaque do post:

inem deixou um novo comentário na sua mensagem "Mais uma do INEM ...":
Exmo. Autor,
sobre este post importa informar que o 112 funciona nas centrais de Emergência da PSP, sendo quem atende efectivamente as chamadas e encaminha para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM as chamadas relacionadas com a área da saúde.
Ora, nesta ocorrência, quando a vítima já se encontrava no Centro de Sáude, recebeu o CODU uma chamada do 112 alertando para a situação. Uma vez que a vítima se encontrava aos cuidados de profissionais de saúde, o INEM registou a situação explicando que, caso necessário, alertassem para a necessidade do envio de um socorro mais adequado.
Ou seja, o 112 e o INEM são dois serviços distintos e o INEM não recebeu qualquer pedido do Centro de Saúde. Assim sendo, como poderia actuar? Se o Centro de Saúde pediu socorro ao 112 (Central de Emergência da PSP), não tendo sido encaminhada a chamada para o INEM, como poderia esta Instituição enviar socorro?
Não se tratou assim de negligência por parte do INEM que todos os dias salva vidas e que apenas envia meios para situações concretas. A gestão dos meios de socorro é feita de forma criteriosa, para que estes meios não faltem em situações necessárias, situações essas que infelizmente, ocorrem com alguma frequência. Aquando da chamada recebida no CODU pelo 112, nunca se deu a conhecer a necessidade do socorro do INEM a uma vítima que se encontrava com profissionais de saúde.
Esperamos desta forma ter contribuído para um esclarecimento e apresentamos os melhores cumprimentos,
Ana F. S. Ros
Gabinete de Comunicação e Imagem
Instituto Nacional de Emergência Médica
Rua Almirante Barroso, 36 / 1000-013 Lisboa – Portugal
Tel. + 351 213 508 108 / Fax. + 351 213 508 183
e-mail: ana.ros@inem.pt
Internet: www.inem.pt

1 comentário:

Fénix disse...

Não me convence, existiram varias chamadas efectuadas por cidadãos para o 112, algumas o INEM teve conhecimento certamente, era um atropelamento na via pública.

Qual foi o tipo de despacho dessas chamadas por parte do INEM?

Mesmo sabendo que o atropelamento era a frente de um serviço de saúde, é obrigatório mandar meios de socorro, certamente os funcionários do centro de saúde legalmente não podiam virar as costas a situação vivida a frente do seu trabalho, são humanos e claro que todas as ajudas são necessárias nestas situações.

Se o alerta já estava efectuado, o porquê aguardar mais chamadas de alerta do centro de saúde?
Se existia duvidas, porquê é que o INEM não ligou para o centro de saúde se queria saber mais informação sobre a criança?
Os senhores têm o número de lá, e sabiam que a criança estava lá.

Os funcionários do centro de saúde sabiam que alguém tinha ligado para o 112, e esperaram eternamente pelos meios de socorro, é verdade que podiam reforçar o pedido de alerta, erraram em transportar a criança num carro de qualquer maneira.

Qual o papel dos agentes de autoridade, tiveram no local, o porquê é que não alertaram a sua central e o CODU para a situação que estava a decorrer no local?

Normalmente os Bombeiros locais têm conhecimento da situação, não sei se foi informado o corpo de bombeiros do atropelamento, porque legalmente o socorro local é da responsabilidade do comandante do corpo de Bombeiros local, qual foi o papel deles nisso tudo?

Erros a traz de erros, erros que persistem em ser resolvidos, iremos esperar pacificamente até a próxima situação anormal com o socorro nacional.