quinta-feira, novembro 17, 2005

Incrível! III (O Ministro Enganou-se)

Segundo o jornal virtual do SIM - Sindicato Independente dos Médicos o Ministro da Saúde enganou-se ao contar os médicos oftalmologistas do Hospital dos Capuchos.

O comunicado:

"OS FANTASMAS DO MINISTRO DA SAÚDE

Ciclicamente, e com frequente mau gosto, o Senhor Ministro da Saúde culpa tudo e todos, principalmente os médicos, pelos males do Serviço Nacional de Saúde. Com estrondo e ofensa, apontou o exemplo dos 59 oftalmologistas do Hospital dos Capuchos, cujo número elevado, nas suas palavras, “é uma vergonha nacional”, para criticar “as carapaças jurídicas”, alimentadas pelos sindicatos, que impedem a actuação ministerial.


Enganou-se quanto aos oftalmologistas do Hospital dos Capuchos, pois são 24, têm péssimas condições de trabalho, não têm listas de espera cirúrgicas e viram o seu bom-nome injustamente atingido.

Enganou-se quanto aos sindicatos, pois não são estes que abrem e fecham hospitais, que os constroem por critério político e onde não fazem falta, que abrem e fecham serviços, que abrem e fecham urgências, que programam os recursos humanos e a sua distribuição por especialidades e carreiras ou que fazem Leis.

Recordemos o Senhor Ministro, agora publicamente após esta ofensa, que reunimos no passado dia 20 de Julho, por nossa insistência, onde, mais uma vez perante um titular da pasta da Saúde, nos propusemos colaborar na gestão dos recursos humanos, no encerramento de urgências excedentárias, na reorganização de serviços, principalmente nas grandes cidades, com a consequente mobilidade dos médicos e no cumprimento da Lei, com a possibilidade de médicos da carreira hospitalar fazerem consultadoria nos Centros de Saúde.

A tudo o Senhor Ministro se escusou invocando a proximidade da refrega eleitoral autárquica e não querer afrontar os autarcas. Recordemos ainda o Senhor Ministro da Saúde que volvidos 3 anos de empresarialização de mais de 30 hospitais, ainda não é possível termos um Acordo Colectivo de Trabalho para os médicos nestes hospitais, por exclusiva culpa dos gabinetes ministeriais.

É em si próprio, como Ministro da Saúde, e nos dirigentes do Ministério da Saúde que de si dependem, que o Senhor Ministro deve encontrar os seus fantasmas.Não são os médicos nem os sindicatos que justificam inércia, incapacidade e erros políticos no planeamento dos recursos humanos."

1 comentário:

Julia Coutinho disse...

Gostava de corroborar o que aqui foi dito sobre os Oftalmologistas do Hospital dos Capuchos. O ano passado tive um descolamenteo da retina e, depois de ter passado pela urgência de S José fui de imediato encaminhada para o Hospital dos Capuchos.
Fui vista de imediato pelo especialista Dr Pedro Carreira que, perante a gravidade da situação tratou de me fazer passar à frente de outros doentes menos graves, apesar de já marcados. E foi pelo empenho deste médico (que na altura era o único cirurgião especialista em retina ali), que fui intervencionada passados apenas 3 dias !!! Assisti ao esforço daquele cirurgião e de toda a sua equipa para conseguirem salvar-me o pouco que me restava do olho doente.
Fui muito bem tratada. Lembro-me que no fim de semana seguinte o Dr Pedro Carreira interrompeu o seu descanso familiar para deslocar-se ao Hospital avaliar a situação e fazer-me ele próprio o penso.
Devo-lhe a minha visão. Ou seja, o pouco que ainda foi possível salvar, dado que havia um rasgão central que me deixou diminuída.
Acho que o senhor ministro não percebe nada do que se passa nos hospitais. Só o esforço da grande maioria dos nossos médicos faz com que as coisas ainda funcionem. Não é justo que se desconsiderem os nossos técnicos de saúde.
Dentro das condições que têm eles fazem os impossíveis para salvar vidas ! Publicamente, a minha homenagem aos médicos e enfermeiros do serviço de Oftalmologia do Hospital dos Capuchos. Muito especialmente, ao Dr Pedro Carreira.