quinta-feira, novembro 03, 2005

Se Tem Tomates, Denuncie-os

"Tenho conhecidos (médicos) que se gabam de ganhar "milhares de contos", devido aos "regimes de prevenção e horas extra" que não são cumpridos... porque os "doutores" ou estão a trabalhar noutro lado (mesmo com o regime de exclusividade!!) ou estão bem longe a passear com a família!!"

Se tem tomates, denuncie-os, senão apenas tem língua.

E de línguas está Portugal cheio.

Eu já denunciei à Inspecção-Geral de Saúde casos de médicos (como vê sou muito corporativista ao denunciar colegas) que infringiram situações que não era supor infringir! Tenho tomates!

Sr Boldão linguareiro, deite os nomes desses médicos que conhece e se vangloriam junto de si, seja homem, pá.
Ajude a limpar a sociedade e a minha profissão, porque sei que tem ovelhas negras.

Quero nomes, já! Senão os denunciar será conivente com os prevaricadores e deixarei de lhe prestar qualquer atenção!

Vale tanto como esses meus colegas que emporcalham a profissão.

Faça como eu, denuncie. Até o pode fazer anonimamente, mas por favor denuncie quem rouba o erário público, senão será apenas mais um conivente ou então faz como eles: dá explicações aos seus alunos, dá aulas em vários locais públicos e privados, etc, etc.

QUERO NOMES!

15 comentários:

Ivone Marques disse...

Boa doutor. Quem assim fala não é gago. Gostei da atitude.

Ricardo Figueira disse...

Há muito esse hábito de falar mal de tudo, criticar tudo mas deixar-se estar confortavelmente sentado sem fazer nada. Para criticar também é preciso ser responsável pelo que se diz. É de louvar a capacidade de denunciar o que está mal. Acredito que muitas coisas que são socialmente não aceites deixam de existir. Mas todos temos de fazer um pouco para melhorar o todo. As denúncias têm de ser feitas pelos que têm conhecimento das ilegalidades. Criticar é acima de tudo responsabilizar-se.
É cansativo a conversa de café do costume onde tudo está mal e apetece sempre perguntar: o quê que tu já fizeste para melhorar a situação?
Parabéns pelo blog e por contribuir para a melhoria do país.

Raúl R Boldão disse...

Antes de mais, se não consegue bons argumentos, paciência. Mas, a bem na cidadania e do civismo público, não valia a pena tal linguagem. Fica-lhe mal e faz denotar um certo desespero.

Esses médicos (que particularizei), não o denunciarei, porque são meus conhecidos, e apesar de tudo, amizade acima de todas as coisas. Mas já fiz muitas denúncias e nunca vi seguimento em nenhuma delas.

O MEMI já denuciou colegas?? Pago para ver. Só se foi algum que lhe roubou "clientes" na privada. Só quem viu a forma como defendeu aquela médica que atendeu o diabético, que por mero acaso era o nosso conhecido Sá Peliteiro..! Francamente!

Ao Ricardo Figueira: eu tenho o hábito de criticar e fazer o que está ao meu alcance para mudar o que está mal. Tive o prazer de mudar alguma coisa (por pouco que fosse..) para melhor.

Ao Luís: nem me dou ao trabalho de escrever mais.

Ao MEMI: há algum tempo atrás passou uma reportagem na televisão sobre iates. Quando tal, a jornalista entrevistou um representante de uma marca de iates e perguntou-lhe quem eram os seus clientes. Empresários e médicos foi a resposta. Coitadinhos dos "doutores", ganham tal mal.

Penso que deve estar informado que o número de queixas contra médicos a dar entrada nas entidades competentes tem crescido exponencialmente, o que contraria alguns barómetros que nadam para aí. As queixas referem-se sobretudo a mau atendimento, agressividade verbal por parte do médico, não cumprimento de horário de consultas, má prática, honorários elevados (no privado!), etc, etc, etc...

Na revista "Sábado" (penúltima revista), saíu um pequeno esquema que explica porque é que Portugal tem lista de esperas muita grandes. Pelos vistos os médicos chegam tarde e a más horas ao bloco, operam um ou dois doentes e saem mais cedo do hospital para ir para o privado!! Será verdade?? O Luís que responda.

Por falar em cirurgias, há bem pouco tempo, veio a público o facto de cdertos médicos terem operado peclec's (agora com outro nome...) nas horas normais de serviço e forma pagos como peclec's...mas... o Luís que responda.

Ou como aquela greve dos médicos de Aveiro, nomeadamente cardiologistas, que ao invés de cumpriram serviços mínimos, nem sequer compareceram nos hospital. Os doentes que vieram de urgência, foram transferidos para coimbra... os que sobreviveram... O Luís que responda!

Segundo o IGIF, os médicos absorvem a maior fatia do orçamento para a saúde, em termos de salários... mas não há o correspondente em produtividade... num país que paga tanto aos médicos como é possível haver longas listas de espera?? O luís que responda.

O Manuel Antunes (cardio-torácica de Coimbra), não tem lista de espera. Sabe porquê? POrque no seu CRI, os médicos chegam às sete me ponto e só saem do serviço quando ele manda! E nem tem direito a piar! É pena é que o Manuel Antunes (ninguém lhe tira o mérito como cirurgião) só opera os "magrinhos" e sem riscos peri ou pós-operatório. Além dos mais, para ele o SNS são os médicos e os resto é paisagem! Mas tem um ponto positivo: obriga os médicos a cumprir horários, trabalhar, produzir e a cumprir as suas funções! Esees médicos gamham menos que os outros médicos, porque apesar da distribuição dos lucros no final de cada ano, não têm tempo para fazer privada!! CUMPREM!!

Há uma conhecida chefe de serviço de anestesiologia, num determinado hospital, que obriga os seus médicos a cumprir horário! Claro, que é escusado dizer que eles se queixam de não ter tempo para fazer privada.

Ao contrário daqueles médicos, deste SNS, que estão a trabalhar no privado, no horário em que deveriam trabalhar no público. Mesmo assim, são pagos sem reduções de vencimento ou faltas... O Luís que responda!

Enfim, MEMI, então conte-me lá o que as suas denúncias trouxeram de melhor para o SNS ou para o país?

P.S. Voçê, penso que deve ser é um "gargantas", pois nem o mistério da Rupatadina, que prometeu denunciar, ainda explicou.







Pelos vistos as denúncias do MEMI, de nada servem tabém porque tudo continua igual. O azar dos médicos é que o povo, já não é o que era, e exige o que tem direito e não tem receios de denunciar.

Luis disse...

É assim mesmo...

Deixar-se de conversa divagante e dizer o que interessa!! Finalmente deu pra perceber que o senhor sabe muito mais do mundo médico do que quer fazer transparecer...

Só tenho mais umas coisas para lhe dizer:

eu sou recém-licenciado em medicina, e, assim como muita gente, acho que há coisas q devem mudar!! Urgentemente!! Uma delas é a selecção dos futuros profissionais que irão exercer medicina!! Como alguém disse: só as notas não contam para eleger os melhores profissionais (porque para este trabalho é preciso pessoas que se dediquem à causa!!) e é verdade...Se a gente que para cá vem só vem por dinheiro, é óbvio que muita gente vai ter razão de queixa...

E agora, esta é directamente para si, "as coisas só não mudam porque cá somos todos amigos!!"

E se nem você tem coragem de quebrar essa regra, como ousa sequer imaginar e exigir que os outros o façam? Não é justo!!

Eu acho que os médicos devem ganhar muito bem, cumprindo o trabalho que se lhes é exigido! No entanto, se só ouver interesseiros por cá, isso nunca iria funcionar!!

Não concordam? Mas, cuidado, não generalize porque há muitas pessoas que se dedicam de alma e coração por cá...Louve as que conhece, porque isso só faz com que sejam modelos a seguir...

Abraços e cumprimentos para todos

MEMI: bom trabalho e mais sorte para o futuro.

Sr. Raul, não desista de mudar as coisas, mas, não aqui!! No mundo real...Lá é que conta!!

Medico Explica disse...

Só lhe digo, senhor Boldão coitados dos seus alunos! Assim se vê (e as críticas ao ensino vêm de todo o lado) que os professores não prestam, porque basta um ser mau, como você e todos o são. Segundo relatórios europeus, são dos que mais ganham e menos tempo estão nas Universidades. Dão explicações na privada e andam de escola em escola. Segundo os últimos relatórios, os professores de física e universitários acomodam-se e sobem na carreira docente sem nunca fazerem um exame. Reformam-se com reformas de centenas de contos e não fazem nada nos últimos anos. Sr Boldão, o senhor é o reflexo do mau ensino que temos. Peço-lhe um favor: como não sabe argumentar, mas apenas repetir frases feitas, divulgar casos pontuais e acima de tudo põe a sua amizade acima da honestidade, da competência e das boas práticas, desapareça. Mas também lhe digo, para ter amizades com esses médicos, que sei que os há, já começo a perceber como será o senhor. Eu a esses médicos, recuso-me a ser amigo deles. São daqueles que passam metade do ano em aviões pagos pelos laboratórios. E o senhor até com essa escumalha está a ser desonesto. Faz-se amigo deles, para ter umas consultitas de borla e nas costas deve assassiná-los. Senhor Boldão, desde que apareceu, com as suas provocações baixou bastante o nível deste blog. Peço-lhe educadamente, desapareça. Não lhe censurarei os seus comentários, mas volto a pedir-lhe, desapareça. As suas intervenções não trazem nada de novo a este blog. Adeus, e quando tiver tomates, apareça de novo.

Anónimo disse...

Para quem não quer denunciar um amigo, conhece muitas infracções, o que, das duas uma, ou o seu amigo é um médico-delinquente em série, ou então, afinal, poderia denunciar uma série de ilegalidades de vários médicos. Ou então tem muitos amigos, mas sabe-se lá.

Por outro lado, reparei que já se escusa a fazer as ressalvas de "até há os que são bons". O debate aquece, e vem ao de cima o rol de preconceitos que eu já lhe tinha detectado anteriormente contra a classe. Talvez devesse ter repetido os exames, podia ser que tivesse conseguido entrar para uma profissão que fosse mais do seu agrado?

E depois vem, claro, porque isso de se escrever muito leva a estas coisas, o discurso esquizóide. O Manel Antunes é porreiro, um chefe de serviço que cumpre (horários, etc...). Isso dos fantásticos resultados resultarem da exclusão dos casos complicados parece de somenos, na opinião do amigo Raúl. Até sugiro que faça disso doutrina, resolveria certamente o problema das listas de espera: só tem direito a recorrer ao SNS quem for relativamente saudável. Até se podiam despedir os médicos, e pôr os seus estimados enfermeiros ou profissionais de práticas alternativas a atender os utentes.

Finalmente, era o que faltava que a maior fatia das despesas em salários na saúde não ser essencialmente destinada aos médicos. Devia-se destinar a quem, aos auxiliares? E mesmo que assim fosse, lá estaria daqui a dez anos o Sr. Raúl a queixar-se que as notas para "entrar em" auxiliar de acção médica são muito elevadas, de se estarem a deixar de fora os mais vocacionados, daqueles serem uma classe privilegiada e corporativista, pouco profissional a lavar rabos, e de só não os denunciar porque tem lá muitos amigos, ou porque dá trabalho, ou então porque no fundo não lhe apetece e só quer mandar uns bitaites inconsequentes na net.

Quanto aos barquitos, diga-me lá onde é que se arranjam, ou onde está um laboratório a dá-los. Ou então diga-me onde mora, porque aí na sua zona os médicos devem estar a ser muito bem pagos. E se for o caso, não me faço rogado e toca a velejar um pouco por estes mares.

O amigo é muito metafísico, para um físico. E a sua vivência de ganhos e perdas arrisca-se a não dar azo a grandes transformações, pelo que se vai lendo. Lavoisier deve estar a dar voltas na campa.

Alfredo Vieira

Anónimo disse...

O professor universitário tem razão!!

Vão ao site da Caixa Geral de Aposentações, e comparem as reformas dos médicos aposentados no último mês com as dos professores!!

É cómico...No mínimo! Ó Sr. boldão, eu acho que 2500 euros de reforma pros professores até é de mais!! Primeiro porque há dezenas de miles de professores por aí fora (multiplicado por 2500, dá muito dinheiro!podiamos poupar 500 euros em cada um para dar a quem mais necessita!)...Depois, porque só tiveram que tirar a licenciatura...e já está!!~É so deixar os anos passar...Ir pra casa tranquilinho...Dar as mesmas aulinhas todos os anos...Q stress de vida!!!

Bem , acrescentemos que os prof catedráticos levam 4000 euros pra casa...Que injustiça!! É pouco... Não pensou já em fazer as provas de agregação?? Pudesse ser q andasse mais satisfeito com as suas perspectivas de futuro...

Olhe, e se não gosta dos médicos portugueses, vá à espanha!! Lá há muitos...Ou a França!!

Senhores, creio que este lacaio prototipo de cidadao exemplar não tem nenhum contributo para dar...É mais um "muita uva e pouca parra"! deve haver gente com problemas médicos que realmente necessita do Vosso tempo e atenção

cumprimentos

Eva Lopes disse...

Alguém comentou que este blog estava a perder o nível. Concordo! Se um Médico-que-Explica-Medicina-a-Intelectuais perde a cabeça, como me parece que está a acontecer, e não pode mais suportar a crítica, principalmente quando esta vem de alguém que não pertence ao seu núcleo, então deveria fazer uma de duas coisas: retirar-se da blogosfera ou mudar o nome ao blog. Para esta segunda alternativa, sugiro o título MÉDICO-DEFENDE-COM-UNHAS-E-DENTES-A-CORPORAÇÃO.

Prof. Boldão, apoio, caso o decida, a sua saída deste blog: deixe-os, não vale a pena... talvez daqui a uns anos, quando estiverem mais crescidinhos.

Medico Explica disse...

Cara Eva Lopes: estou inteiramente de acordo consigo. As constantes provocações do senhor Boldão, sempre na contradição fizeram-me perder a cabeça e, para quem lê, ficar com a noção de que defendo "com unhas e dentes os médicos". Quem ler os postes destes dois anos, vê que não é assim. Sempre tenho dito que os médicos que prevaricarem, seja negligência, seja outras ilegalidades processuais devem ser condenados e julgados, até como exemplo. Tenho pena que o senhor Boldão, hipercrítico para com toda uma classe, tendo conhecimento de abusos que ele próprio critica e não os denuncie aqui, mesmo anonimamente, que eu os faria chegar à Inspecção-Geral de Saúde. Sou a favor da limpeza da minha classe. Mas o senhor Boldão com a sua cegueira, vê em tudo o que eu digo, aquilo que ele quer ver contra uma classe.
Repito, tem razão, cara Eva, excedi-me em alguns dos meus argumentos e vou seguir o seu conselho: não desapareço, mas vou novamente hibernar, como já fiz em tempo.

Medico Explica disse...

Cara Eva, e mais uma coisa: numa das mensagens antigas disse que tinha acabado de ultrapassar a barreira dos 50 e com cabelos grisalhos, a caminho de futuras cãs. Puto é que já não sou, mas tenho pena...

Raúl R Boldão disse...

Antes de mais, deixo aqui o meu pesar sobre a sua atitude pouco elegante. Demonstra que não sabe lidar com a crítica, nem tão pouco argumentar, pois pois até os factos não são a seu favor.

Há dois anos, nos seus posts não mostrava este sentimento de "corporação", porque não tinha comentários acessíveis no seu blog.

Eu tenho o hábito de criticar e fazer. Lamento que tudo o que tenha feito (denúncias a várias entidades), AINDA tenham surtido pouco ou nenhum efeito!! Mas também... vamos queixar-nos sobre os médicos aos médicos..! Triste.
Alguém escreveu, que "2500 euros" para reformas dos professores do ensino secundário é muito! Esqueceu-se foi que a educação é a base de um qualquer sistema socio-político, ou seja todos os cidadãos, necessitam forçosamente de educação e formação para desenvolver a sua actividade pessoal e profissional o melhor possível em prol da sociedade!!

Ainda bem que alguém sabe, que as provas de agregação são muito difíceis!!

À espectacular Eva Lopes, os meus mais dignos cumprimentos por se dignar a escrever neste blog de corporativistas sem auto-controlo e apoiantes das "meias-verdades" sobre os médicos (porque se soubessem de toda a a verdade, se calhar pensavam doutra forma...). Terá sempre o meu apoio.

Ao Alfredo Vieira, vai o meu voto de coragem, pelas suas opiniões "fabulosas"... parece um náufrago perdido no "mar das verdades"... sei que deve sentir pena por ninguém lhe ter dado um iate! Mas, aqueles que eu me referi, foram comprados por médicos!! As opiniões do MEMI, aos menos são desafiantes, as suas são hilariantes. Continue!

Enfim, parece que corre aqui neste blog, um sentimento de nervosismo. Será porque os argumentos dos doutores se acabaram? Será porque se avizinha o fim do "reinado médico"? Não sei bem. Mas uma coisa lhe digo MEMI, se tivesse pedido para eu não comentar mais, com dignidade, respeito e gentileza, eu acederia. Desta forma, reservo-me ao direito de continuar a fazê-lo sempre que eu achar pertinente! A menos que censure os meus comentários... fica ao seu critério!

P.S. Um abraço aos meus amigos médicos, os quais eu referi aqui. São todos vindos de antigas amizades do ensino secundário, cientes das opiniões e críticas, mas acima de tudos sempre amigos. Porque estes MEMI, mesmo com a crítica (e muitas vezes sem argumentos para as refutar) sabem ser, estar e falar.
Um grande abraço ao J., ao M. e à F.

Anónimo disse...

Já me esquecia, Sr. Boldão: o seu tempo de antena aqui com este interlocutor acabou.
Calha bem, argumentos também não apresentou. Nem tem, só "opiniões".
Pena que o MEMI ainda lhe dê conversa, esse meu colega é um verdadeiro humanista. Eu cá remeto-o para o seu círculozito, seja lá ele qual for, que atura o seu tipo de desvarios patéticos e inconsequentes, e onde você poderá continuar a divertir-se a falar sobre nada de jeito e a apresentar soluções nenhumas.
A este círculo aqui é que não pertence, nisso tem razão. E ainda bem.

AV

Rui @t Blog disse...

Vim aqui por acaso e gostei do que li.
Parabéns, mas prometo voltar para ler com redobrada atenção.
Este blog fazia falta de facto.

RR disse...

Bem, "caí" aqui por acaso dei com uma discussão e pêras. Pena foi que, de parte a parte não se tentasse chegar a um consenso razoável, porque podres e ovelhas negras existem em qualquer sector, que são mais notadas no público simplesmente porque são os nossos impostos "fogueira". Como se costuma dizer "no meio está a virtude", também o acho acerca da verdade. Não sou nem médico nem professor, mas exerço actividade num "pequeno" lobby, senão o maior, e pela minha ainda curta experiência pude constatar que existe de tudo, bom e mau. Tal não será com certeza diferente em relação aos médicos e professores. Existem falhanços incríveis no sistema, e principalmente nos seus agentes, que continua a tolerar que se "roube" o estado e contribuintes. Concordo quando se diz que o reinado dos médicos sem vocação nem ética profissional está para acabar, mas também acho que a época dos professores caídos de pára-quedas em fase pós 25 de Abril também se aproxima do fim. Concordo com avaliações a TODOS os que fazem parte do sector publico, assim como acontece no privado. Um pouco por força do capitalismo e das regras económicas pelas quais o mundo moderno se move, que ainda vamos sentir na pele se realmente é o sistema mais adequado, todavia é o sistema que temos e aquele pelo qual as nossas finitas vidas se movem. As histórias e boatos (vá-se lá saber qual é qual) que aqui correram não deveriam nunca servir para chatear ninguém que aqui anda, porque no mínimo, todas as pessoas que comentam têm interesse em que acabe, caso contrário nem pensavam no assunto. Cada um à sua maneira e com a sua perspectiva, defendem o fim, o caminho a seguir é que deve ser debatido com vista a um consenso civilizado, tão civilizado como o conceito de serviço publico que aqui tão ardentemente têm defendido.
Fica a nota muito positiva de um blog em que se debate um tema muito polémico, fica o sinal mais para os médicos deste blog que mostram disponibilidade em debater este assunto. Acredito que os que exploram o sistema, tal como os professores, nem sequer se dignariam a debater esta matéria.
Um abraço a todos, entendam-se que já são adultos. A geração que se segue agradece.
RR

Anónimo disse...

Uma palavra para o duo dinâmico (Sr. Boldão e Srª Eva): contactei recentemente com este blog (não estarei a par de todas as discussões) mas parece que são professores não é ? Vamos por pontos
1- falar da cardiotorácica de Coimbra como uns mouros que não podem fazer privada coitados! Acha por acaso que se manipulas aortas e válvulas cardíacas em qualquer lado? Entra em contradição por o serviço do MAntunes JÁ É PRIVADO senhor!
2- relembre sempre que para vencimentos semelhantes (façam as contas)alguém tem 22 HORAS de horário completo, não não me enganei nas teclas 22 HORAS sem responsabilidade de vida/morte, doença/saúde (se os vossos alunos chumbarem chumbam!)não vejo por insistem no paralelismo
3- os directores de serviço ganham bem mas são poucos, prestam provas, avaliados nas várias etapas de progressão; não é progressão AUTOMÁTICA até 10º escalão só porque fica mais velho (e necessariamente com menos horas e a trabalhar menos)
4- porque não de se reforma de vez ... deste blog . . para ver se ficamos crescidos