quinta-feira, novembro 03, 2005

Sobre Os Chorudos Salários

A perspectiva de um leitor:

"Caros Senhores,

Creio ser necessário aqui esclarecer os senhores sobre o Fantasma que parecem ser os salários dos quadros superiores.

- Um engenheiro civil empregado ganha em média 3000 euros por mês, mais prémios. E refiro-me aos não pertencentes a empresas de topo.Temos obviamente que negligenciar os que trabalham para as câmaras municipais, que esse sim auferem o ordenado de um funcionário público regular (não considerando so cargos nas empresas públicas criadas pelas câmaras municipais).

- Os bancário podem auferir desde 700 euros por mês a 5000 (estou a falar de funcionários e não de gestores administrativos), por trabalhar das 8h30 até as 16h30, com direito a um dos melhores sistemas de saúde (SAMS e SAMS-quadros) e prémios anuais que podem ser astronómicos. Escusado será dizer que recebem 15 meses e complementos afins...

- Um arquitecto normalmente cobra pela percentagem da obra a efectuar. No caso da casa da Música do porto, por exemplo~(custo 100.000.000 de euros) se auferir de 1 a 5% do valor da obra, imaginem só o plano de reforma a que não terá direito o arquitecto Rem Koolhas.
Cito o exemplo também do projecto de arquitectura da centro Materno Infantil do Norte, projecto votado ao abandono, que custou 3.000.000 de euros para o gabinete do arquitecto responsável!! Dinheiro literalmente, para o lixo...
Ou para os bolsos dos arquitectos...

- Os artistas e profissionais por conta própria (canalizadores, pintores, carpinteiros, etc...) auferem o que muito bem entenderem, e, acreditem que pode ser mais que o primeiro-ministro, pois só são obrigados a declarar o rendimento mínimo.
Cito o caso do nosso caro Manuel Damásio, ex-presidente do Sport Lisboa e Benfica, que declarava 70 contos/mês e viajava para o estadio da Luz de helicóptero, e tinha os filhos em dois dos colégios internos mais caros de Lisboa...

- os advogados, será melhor nem comentar...Mas se estiveram atentos as noticias do caso vale e Azevedo recordar-se-ao que declarava para impostos cerca de 350.000 contos/ano...E estes eram os valores que DECLARAVA!!!

- Os construtores civis, podem ganhar cerca de 20000 a 50000 euros por apartamento vendido nas construções edificadas, e supondo que vendem no mínimo 10 por ano, façam as contas e tentem perceber a quantia implicada...

Para concluir, acredito que as pessoas que se preocupam com estas questões dos salários indevidos na profissão médica devem questionar o seguinte:

Será que os Gestores de grandes Unidades, que gerem milhões de euros por ano e as vidas profissionais de mil ou mais funcionários estão a realizar um bom trabalho e a poupar milhões de euros com a sua boa gestão ao erário público? Ou será que estão a ser pagos para nada?

Antes de questionar os seus salários devem levantar estas questões, porque, BONS há poucos, e se eles fazem falta, temos de lhes pagar...Não interessa credo, cor ou simpatia futebolística...interessa que façam um bom trabalho!!! E os locais onde há muito para trabalhar é na saúde...Há muito para poupar e optimizar, e para isso são necessários BONS gestores....e os BONS pagam-se...

Deixo também uma ideia, em portugal, no ano de 2004 obtiveram-se 50 patentes em Portugal, contra 76000 nos EUA!!! Sr. Raul , ja que é professor, coleccione os seus alunos mais brilhantes, incentive-os a produzir algo de novo e inovador que renda bom dinheiro, e faça-se rico, para fazer algo mais além de criticar sobre o que não sabe!!
"

10 comentários:

Raúl R Boldão disse...

Será por este tipo de coisas (salários) que Portugal está como está?

O tipo de vencimentos que aqui enumerou, são maioritáriamente do sector privado... nós estamos a falar do público.

Vejamos: um engenheiro (quem diz engenheiro, diz arquitecto, professor do ensino secundário, assistente social, psicólogo, etc... )no sector público (carreira técnica superior) aufere pouco mais de 350 contos (falemos ainda em escudos) por mês!! Com filhos, casa, carro, despesas... não chega!

O que estes profissionais ganham no sector privado não interessa para as contas públicas (desde que pagem os impostos correctamente)...

Referiu, alguns bons salários que existem... quer que lhe diga a percentagem de portugueses que vive abaixo dos 500 euros?

Sabe a fatia do orçamento do estado que usada para pagar aos médicos? Se calhar por isso não há dinheiro para a investigação/bolsas para o ensino em Portugal! E vem-me para aqui falar em patentes!! Nos EUA há muitas patentes?? Saiba que nos últimos anos REDUZIRAM em mais de 30% os salários médicos (nos EUA)!!!

Tenho conhecidos (médicos) que se gabam de ganhar "milhares de contos", devido aos "regimes de prevenção e horas extra" que não são cumpridos... porque os "doutores" ou estão a trabalhar noutro lado (mesmo com o regime de exclusividade!!) ou estão bem longe a passear com a família!!

Os médicos têm responsabilidades e lidam com vidas? Ó amigo, um motorista de autocarro também têm responsabilidades (se tiver um acidente pode matar mais de 50 pessoas!!!!) e muitos ganham o vencimento mínimo!!!

Faça o seguinte exercício: vá ao site da Caixa Geral de Aposentações e veja bem os valores de reformas dos médicos... reflicta, e diga-me se são comportáveis para o nosso país!!

Luis disse...

Urge aqui esclarecer mais alguns aspectos da Economia do nosso país!

A economia, no meu ponto de vista, tem quatro variáveis fundamentais que devem ser consideradas:

-produção/eficácia de produção
- custo
- rendimento
- e, benefício obtido.

Neste sentido, e tendo em conta estas variáveis, temos que o sistema mais eficaz combinam uma alta produção/eficácia de produção com um custo menor permitindo assim obter o um rendimento que nos proporcione o maior benefício possível.

Ora, no sector privado, este pensamento é Lei (base do actual sistema capitalista pela qual o mundo se gere).
No entanto, no Funcinalismo Público temos de levar em conta a mesma filosofia, enquadrada numa perspectiva diferente, a da Poupança. Ou seja, quem mais produzir no mesmo espaço de tempo aumenta o rendimento, e, deste modo, o benefício obtido. Neste caso podemos considerar benefício a menor quantia de dinheiro utilizada para realizar determinada tarefa.

Considerando que no funcionalismo Público português existem 700.000 funcionários, devemos considerar que devem ser premiados com salários mais altos aqueles que mais produzirem (ou seja, que maior quantidade de mais-valias acrescentem ao sistema)! No entanto, e, por mais irracional que pareça, isto não se verifica. Um indivíduo qualquer (supondo que não são todos iguais e que têm todos capacidades diferentes) entra nos quadros do funcionalismo público, e, após estar no quadro, só tem de esperar pelo passar dos anos para ver os seus rendimentos subirem, mesmo que não acrescente mais-valias ao sistema. Isto é o tal e designado desperdício!! Não devia ser assim...Mas é!! Perdoem-me as palavras a utilizar, mas qualquer idiota incompetente que não sabe fazer aquilo que lhe compete, pode subir na carreira por antiguidade e chegar a director de um serviço, sem saber ler nem escrever!! Isto é inadmissível, e gera desperdício...

Isto leva-nos a outra questão, o valor acrescentado. Um tecnico de quadro superior formado no estrangeiro, com grandes competências, obviamente que não deve receber tanto como alguem que so tem o bacharel, simplesmente porque ambos são funcionários públicos. E o busílis desta questão é que o indivíduo com mais competências aporta muito mais-valias ao sistema, e, portanto, poupança, que o outro indivíduo. Espero ter sido suficientemente claro neste ponto.

Luis disse...

E agora, vamos argumentar com este Sr. Professor:

- Queira saber que dos 700.000 funcionários públicos em Portugal, cerca de 30.000 são médicos...Ora, sobram 670.000...

- Nem qualquer pessoa tem capacidades para exercer medicina, e creio que isto é mais do que claro para todos nós, pelo que nem sequer vou argumentar mais sobre o assunto.

-Portanto, você tem que seleccionar todos os anos cerca de 1200 pessoas para virem a exercer medicina no futuro, e como são indivíduos com um elevado potencial de desenvolvimento, tem que convencê-los a virem para medicina, e não para outras áreas!! É, ou não é justo? Talvez não, mas é a lei de mercado....

-Os melhores médicos germa inúmeras mais-valias no sistema (pedem menos exames, tratam mais rápido, investigam mais, tornam mais eficientes os processos, agilizam serviços, trabalham mais e melhor), pelo que é necessário colocá-los em lugares de relevância, ou comando. Ora, para tal, confere-se-lhe mais responsabilidades e trabalho, e ainda, se tem que conquistá-los ao sector privado!! Ora diga-me lá o senhor como é que consegue fazer isto nos dias que correm??

- E assim, mais uma vez, temos que os melhores indivíduos trabalham mais e melhor, portanto geram mais-valias ao sistema, devem ser “vinculados”. Ora, não concorda com isto? Eu acho que é indiscutível...

E chegamos a uma conclusão, só deve ganhar quem produzir... O senhor deu o exemplo do condutor de autocarro...Bem, qualquer indivíduo com carta de pesados pode ser condutor de autocarro...Mas nem todos os condutores de autocarro podem pilotar aviões...Ou projectar casas...Os camionistas profiissionais podem chegar a ganhar entre 2000 a 5000 euros por mês....Se o indivíduo não ganha mais, é porque ele próprio não é capaz de produzir mais...Noutras palavras, é preguiçoso e não trabalha...Não fique escandalizado porque é verdade.

Luis disse...

-Bem, um exemplo de desperdício:
numa agência de segurança social, uma senhora entra e enocntra o seguinte panorama: dois indivíduos num gabinete a ver o Rex, na televisão. Outro numa secretária a ler o jornal, outra tinha saído para ir ao cabeleireiro, outro estava de férias e os outros dois não se sabia deles.
Conclusão: se estes indivíduos nao estava a fazer nada é porque há pouco serviço, se há pouco serviço, porque é que lá trabalham 7 indivíduos? (funcionários públicos!)

Quem não ganha mais, é porque não produz rendimento suficiente que justifique um maior salário!!

- E agora, o senhor diz que 350 contos não chega.... Bem, pelas leis da economia e do mercado diremos o seguinte: se não chega, poupe!! Não compre mais do que aquilo que pode pagar... Ninguém (segundo as leis do mundo em que vivemos) tem de lhe dar nada!!Compre uma casa mais barata, um carro mais pequeno, poupe nos gastos do dia-a-dia, viva consoante as suas possibilidades. É assim que funciona...

E já agora, explique-me porque é que um professor pode ganhar o salário completo, sem ter um horário completo?? Ou porque é que há indivíduos a ganhar com horário 0. Isto é um insulto à inteligência dos que conhecem estes casos, e um desrespeito por quem realmente tem de trabalhar para viver.

Há uma coisa que não entra na cabeça dos portugueses: há que trabalhar, e trabalhar mais e melhor, para mais ganhar!! Tudo o resto são desculpas de mau pagador.

E já agora, um médico estuda (ou tem de estudar e actualizar-se) a vida toda!! Convença um camionista, empregado de balcão ou trolha,a estudar a vida toda?! (Alguns é porque não podem, e desses, sim, tenho pena...)

Bem, sr.raul, deixe-se lá de disparates, denuncie esses indivíduos que corrompem o sistema. Trabalhe mais e melhor e convença os outros a trabalharem mais e melhor!!!

Isto Sim era bom!!

Anónimo disse...

Quanto mais leio o Sr. Boldão, mais me encanto com a lua onde ele parece viver.

Acha que a maioria dos médicos ganha mais de 300 contos? No sector público?

Um Chefe de Serviço )topo de carreira), com cargo de direcção de um serviço, ganha cerca de 1500 euros, Exmo. Sr, sem exclusividade (e a exclusividade não é opcional). Pelo menos em Portugal, onde eu vivo.

E não me venha com a história das horas extra, porque ninguém acredita que no dia em que não sejam necessárias, não deixem de existir. Já agora mais uma informação, o serviço extraordinário de urgência é OBRIGATÓRIO por lei para todos os médicos da carreira hospitalar, e todo e qualquer médico que se recuse prestá-lo sujeita-se a sancções disciplinares que podem ir até à expulsão. Isso no país onde vivo. Se fosse opcional acredite que havia menos despesa com as horas extraordinárias. E também menos médicos a atender nas urgências, mas isso é outra conversa.

AV

Mário de Sá Peliteiro disse...

A questão é esta, um bom médico tem que ganhar no mínimo 1.000 contos por mês. Um mau médico tem que ir para a rua, melhorar ou desaparecer do panorama.
Como nem uma nem outra acontece surge o lodaçal, os arranjos, os esquemas, etc. etc.
O barato sai caro!

Mário de Sá Peliteiro disse...

Esta lógica pode ser extrapolada para tantas outras profissões.

Medico Explica disse...

Concordo inteiramente consigo. O funcionalismo público na saúde e noutras profissões leva a que muitos, médicos inclusivé, se baldem para as actualizações.

Anónimo disse...

WWW. SIMEDICOS.PT

Podem consultar as tabelas salariais.

Paulo disse...

Essa referência aos arquitectos é injusta. O holandês Rem Koolhas não é um arquitecto qualquer. Não existe 1 arquitecto em Portugal que receba um décimo do Rem Koolhas. E esses 1% também são para pagar os outros arquitectos que trabalham para ele. Um gabinete de arquitectura é uma pequena empresa, no caso do Rem Koolhas é uma grande empresa.
Em Portugal um arquitecto que trabalhe por conta de outrem recebe 1200 a 1500 euros por mês (a recibos verdes), e isto já com 5 a 10 anos de experiência. Um recem licenciado tira no máximo 600 líquidos.